De Frango a Galinho – o trabalho de fortalecimento físico feito em Zico

  • por Edson Vinicius
  • 4 Anos atrás

O Trabalho de fortalecimento físico feito em Zico no início de sua carreira

Quando o garoto Arthur, apelidado de Zico (uma contração de seu apelido inicial, Arthuzico), chegou à Gávea para um teste em 1967 , aos 14 anos, levado pelo radialista Celso Garcia, o técnico da escolinha, Modesto Bria, desdenhou do futuro gênio: “você me disse que traria um garoto, mas trouxe um menino. Aqui não é berçario!’’. Ele media então 1,55m e pesava apenas 37 quilos. Apesar da desconfiança do treinador, mostrou excelente futebol, e foi aprovado. Com uma ressalva: era preciso fortalecer o franzino jogador. O próprio craque admitiu isso anos depois: ‘’Era difícil jogar com jogadores com diferença de idade de até 2 anos superior a minha, tendo um físico desvantajado’’. Atenção especial então comecou a ser dada à sua alimentação, e Zico então iniciou um dura rotina diária de treinos-escola-treinos (sempre indo de ônibus), sendo ajudado por dirigentes Flamenguistas, especialmente George Helal.

No final de 1968, um acontecimento pouco lembrado foi essencial para o sucesso do desenvolvimento físico do Galinho: a chegada de Garrincha ao Flamengo, já com 35 anos, fora de forma e treze quilos acima do seu peso. Em dois meses, sob os cuidados do preparador físico José Roberto Francalacci, o Anjo de pernas tortas recuperou seu peso e forma, estreando contra o Vasco. O trabalho do profissional chamou a atenção de Zico, que o procurou. Em 1969, com 16 anos recém completados, foi iniciado, na academia particular de Francalacci, o trabalho que marcaria a história da preparação física no futebol brasileiro. Segundo palavras do preparador físico, ‘’Zico possuía um corpo que não condizia com seu raciocínio rápido. Primeiro preservamos e facilitamos o crescimento ósseo dele, priorizando a correção de defeitos posturais e fazendo um intenso trabalho de alongamento. Depois disso começamos o trabalho para ganho de massa muscular, mas de forma controlada, para que ele não perdesse sua mobilidade e agilidade.’’

Também tiveram participação nesse processo os médicos José de Paula Chaves e José de Paula Chaves Filho, que supervisionaram todo o desenvolvimento do trabalho. Foi sob orientação e controle deles que pequeno número de injeções de anabolizantes, com periodicidade mensal e fora do período de competições, foram dadas ao craque, quando ele tinha entre 16 e 17 anos de idade.

Quando estreou pelos profissionais, em 1971, Zico ainda fazia o tratamento físico. Em 1974, quando se profissionalizou e explodiu de vez, o eterno camisa 10 da Gávea já era 17cm mais alto do quando chegou sete anos antes, e havia ganho 29 quilos, basicamente de massa muscular.

Foi aí que o frangote virou o Galinho de Quintino (referência ao bairro onde nasceu). Ironicamente, foi logo ao chegar ao Flamengo que recebeu o apelido, dado pelo radialista Waldir Amaral, justamente pelo seu físico ‘’mirrado’’. Zico virou Galinho muito antes de virar craque…

Comentários

Médico clínico geral e geriatra, apreciador do bom futebol, doente pelo Flamengo e viúva de Zico!