DOENTES POR FUTEBOL

Futebol Arte Marcial – O dia que Edmundo acabou com um São Paulo x Palmeiras

No próximo domingo, São Paulo e Palmeiras se enfrentam no Morumbi em jogo válido pelo Paulistão. Como organização e inteligência não é o forte da Federação Paulista, o clássico tem tudo para ser morno, já que os times estão envolvidos com a Libertadores da América e estão tranquilos entre os que se classificam para o mata-mata do torneio.

Bem diferente do que ocorria no princípio dos anos 90. Os times eram os melhores do Brasil e qualquer encontro entre as equipes era certeza de um jogo com muita técnica (e alguma tensão no ar). Isso foi, basicamente, o que ocorreu em 30 de outubro de 1994, em jogo válido pelo Brasileirão.

O Palmeiras tinha um baita elenco, turbinado pela parceria com a Parmalat. O São Paulo começava um período de entressafra após a conquista de duas Libertadores e dois Mundiais. O Morumbi exigia uma reforma – que seria iniciada no ano seguinte – e os jovens pediam passagem com o expressinho que, na época, se preparava para a disputa da Copa Conmebol. Os técnicos eram os melhores de então: Luxemburgo em franca ascensão e Telê sendo, enfim, reconhecido como grande treinador.

Como era de se esperar, o jogo começou tenso. Logo no início da partida, num lance duvidoso, o zagueiro Murilo se enroscou com Antônio Carlos na área e o árbitro nada marcou, para desespero de Luxemburgo que reclamou até ser expulso pelo árbitro Cláudio Vinícius Cerdeira. A expulsão de seu treinador parece ter animado o Palmeiras, que foi acumulando chances que levavam perigo ao goleiro Zetti. Numa destas chances, o Verdão abriu o placar no fim do primeiro tempo. O lateral Cláudio cruzou, a bola desviou na zaga e sobrou para Edmundo que bateu no canto, sem chances para Zetti.

O segundo tempo começou igualmente tenso, com o Palmeiras melhor e o São Paulo resistindo à pressão. Telê tirou de campo o apagado Palhinha para colocar o arisco Juninho e viu resultado. Num contra-ataque, Euller avançou pela direita e lançou Muller que, de primeira, bateu no canto, sem chances para Velloso. O Palmeiras sentiu o gol. Aos 22 minutos, Juninho mandou um chute na trave. Aos 23, o tricolor chegou ao gol de virada. Cafu foi lançado nas costas de Roberto Carlos, se livrou de Cleber, deu um drible em Velloso e bateu para o gol vazio.


Com a virada do São Paulo, o jogo ficou mais truncado e o Palmeiras partiu para o tudo ou nada. O meia Paulo Isidoro foi a campo no lugar do volante Amaral e a partida ficou imprevisível. O empate surgiu aos 36 minutos do segundo tempo, quando Edmundo recebeu cara a cara com Zetti e fuzilou. Era o segundo gol do atacante, grande destaque do jogo até então.

Finda a comemoração, após uma dividida de Edmundo e o volante Alemão, um dos diretores do São Paulo, Kalef João Francisco, que ficava no banco de reservas, xingou o atacante. De pavio curto, Edmundo discutiu com Kalef e xingou Telê Santana, que estava em pé, na área técnica. No reinício da partida, o Animal deu um carrinho criminoso em Euller. O juiz só deu cartão amarelo. Enquanto o atacante do São Paulo recebia atendimento, Juninho foi discutir com Edmundo e levou um tapa na cara.

O árbitro expulsou Edmundo e Juninho, e o cartão vermelho foi o estopim de nova confusão. Os dois voltaram a discutir, Muller e André foram separar a briga, no que Edmundo deu um direto que atingiu, em cheio, o lateral do tricolor. A confusão foi generalizada. Tonhão tirou Edmundo do bolo, mas foi perseguido pelo revoltado André e por Vítor. Porradas, chutes e pontapés foram vistos por todos os cantos do gramado. O zagueiro Antônio Carlos, que teve problemas com o atacante, levou-o para o vestiário.

Ao fim da confusão, novas expulsões: Antônio Carlos e Cesar Sampaio pelo Palmeiras, Muller e Gilmar pelo São Paulo. Após paralisação de oito minutos, o jogou foi reiniciado, mas sem nenhum atrativo. O homem que acabou com o jogo estava no vestiário, tentando esfriar a cabeça.

ODD Shark

Ficha técnica: São Paulo 2×2 Palmeiras

São Paulo: Zetti; Cafu (Vítor), Gilmar, Murilo e André Luiz; Axel, Doriva, Alemão e Palhinha (Juninho); Muller e Euller.

Palmeiras: Velloso; Cláudio, Antônio Carlos, Cleber e Roberto Carlos (Gustavo); Cesar Sampaio, Amaral (Paulo Isidoro), Rivaldo e Zinho; Edmundo e Evair.

Gols: Edmundo (2) para o Palmeiras; Muller e Cafu para o São Paulo.

Expulsões: Juninho, Gilmar e Muller pelo São Paulo; Edmundo, Antônio Carlos e Cesar Sampaio pelo Palmeiras.

Veja abaixo, o vídeo com a briga

O conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor. O Doentes por Futebol respeita todas as opiniões discordantes e tem por missão promover o debate saudável entre ideias.

Paulistano, casado e com 33 anos. Apaixonado por futebol e pelo São Paulo FC. De memória privilegiada, adora relatar e debater fatos futebolísticos de outrora. Ex-estudante de jornalismo, hoje gerencia uma drogaria no município de Barueri, além de escrever para a Doentes por Futebol.