Futebol Arte Marcial – As graves lesões em jogadas maldosas

  • por Bráulio Silva
  • 94 Visualizações

Futebol Arte Marcial de hoje vai abordar um tema chato: as lesões ocasionadas por entradas criminosas ou no mínimo imprudentes. Aquelas imagens que mostram o jogador se contorcendo e com algo errado com seu corpo. Aquela quase multilação que atinge o coração dos amantes do futebol, a fratura que dói na alma.



A inspiração para o tema de hoje veio após o lance do último domingo, quando o atacante Danielzinho, do São Caetano, deu um carrinho imprudente no volante Ferrugem, da Ponte Preta. O pé do ponte-pretano ficou preso no gramado e com o peso do corpo, na hora da queda, teve todos os ligamentos do tornozelo estourados. A previsão mais otimista é de que o jogador volte aos gramados no começo do ano que vem. Enquanto isso, o agressor Danielzinho, que só levou cartão amarelo no lance, seguirá nos campos.

Hoje relembraremos de outros casos famosos. Falaremos de Mirandinha do São Paulo, em 1974, Zico no Flamengo, em 85, Juninho Paulista nas vésperas da Copa de 98, além de um caso mais recente, a lesão de Eduardo da Silva quando estava no Arsenal.

Crédito: Domécio Pinheiro - Jornal da Tarde

Mirandinha vivia grande fase no São Paulo. Havia sido o artilheiro do time na Libertadores de 1974 e também esteve no grupo que disputou a Copa do Mundo. Principal atacante do tricolor na época, era o cara a ser marcado naquele time. Num sábado à tarde, o time da capital foi até São José do Rio Preto encarar o América. Logo no começo o São Paulo abriu o placar com gol dele. Ainda no primeiro tempo, Mirandinha foi lançado pela direita e invadiu a área. Na hora do chute, o zagueiro Baldini deixou a trava da chuteira e a canela do atacante se partiu ao meio. Como resultado, fratura na tíbia e no perônio. A foto de Domício Pinheiro rodou o mundo e conquistou diversos prêmios. Mirandinha ficou afastado dos campos por quase 3 anos e seu futebol nunca mais foi o mesmo.

Depois de jogar pela Udinese, Zico estava de volta ao Flamengo, em 1985, e sua principal motivação era tentar impedir o tricampeonato estadual da Máquina Tricolor. Na segunda rodada, um jogo difícil contra o Bangu. A ártida teminou em 0x0, mas, antes do fim, uma entrada criminosa do lateral Márcio Nunes deixou nada menos 5 lesões no corpo de Zico. A principal delas estourou seu joelho esquerdo. Apesar da genialidade, o futebol do craque flamenguista nunca mais foi o mesmo e Zico passou a viver apenas de lampejos.

Nas vésperas da Copa de 98, Juninho era nome certo na lista de Zagallo. Titular com o Velho Lobo, Juninho vivia grande momento defendendo o Atlético de Madrid. Num jogo contra o Celta de Vigo, o meia-atacante recebeu a bola na entrada da área, com velocidade estava se livrando dos zagueiros, mas não da maldade de Michel Salgado. O lateral, que depois foi para o Real Madrid, deu um carrinho criminoso que, em nenhum momento, visou a bola. Juninho contratou um fisioterapeuta particular e se recuperou antes da convocação final. Porém Zagallo preferiu deixá-lo de fora dos 22 convocados.



A lesão de Eduardo da Silva é a que mais se assemelha com a lesão sofrida no fim de semana por Ferrugem. Logo aos dois minutos da partida entre Arsenal e Birmingham, o brasileiro naturalizado croata recebeu um passe no meio de campo. Antes do domínio, o zagueiro Taylor o atingiu com um carrinho desleal. A imagem com o pé do atacante quase que amputado deixou todos revoltados. O atleta ficou de fora da Euro de 2008 e voltou aos gramados exatamente um ano após a lesão. Contudo, seu futebol caiu de produção e ele acabou negociado com o Shakhtar Donetsk.



*A coluna gosta de jogadores raçudos, daquela confusão em campo. Mas tem repúdio com a deslealdade. Desejamos uma breve recuperação ao atleta Ferrugem da Ponte Preta. E que muito em breve ele possa desfilar seu futebol defendendo a tradicional camiseta da Macaca.

Pra saber mais sobre estas lesões, a Coluna Departamento Médico apresenta uma matéria em parceria com a Futebol Arte Marcial e analisa do ponto de vista médico (como não poderia deixar de ser), quatro das lesões aqui citadas. Leia em 4 lesões, 4 dramas.

Facebook Comentários

Paulistano, casado e com 33 anos. Apaixonado por futebol e pelo São Paulo FC. De memória privilegiada, adora relatar e debater fatos futebolísticos de outrora. Ex-estudante de jornalismo, hoje gerencia uma drogaria no município de Barueri, além de escrever para a Doentes por Futebol.

  • facebook