Notthingham Forest Campeão da Liga dos Campeões

Na nossa segunda parada sobre grandes finais de Liga dos Campeões, falaremos sobre uma das finais mais alternativas de todos os tempos (senão a mais alternativa): Notthingham Forest vs. Malmö – SUE na temporada 1978/79.

No começo da temporada 1978/79 da Liga dos Campeões, os grandes favoritos ao título eram Liverpool (campeão na temporada anterior), Juventus e Real Madrid. Mas, já na primeira eliminatória, o Notthingham Forest eliminou o Liverpool, após vencer por 2×0 em casa e empatar em 0x0 fora. Por mais que o Forest tivesse ganho o título inglês da temporada 1977/78 com 7 pontos de vantagem no próprio Liverpool (que foi o vice), a eliminação dos Reds foi uma enorme surpresa. Surpreendentes, também, foram as eliminações da Juventus contra o Ranger e do Porto contra o AEK Atenas, esta última com direito a goleada de 6×1 no primeiro embate.

Notthingham Forest 2×0 Liverpool

 

O Malmö também chocou ao eliminar o Monaco (campeão francês 1977/78) com um empate em 0x0 na Suécia e vitória por 1×0 na França.

 

Monaco 0x1 Malmö




Nas oitavas de final, foi a vez do Real Madrid cair no confronto contra o Grasshopper – SUI. Vitória do Real por 3×1 no jogo de ida e do Grasshopper por 2×0 no jogo de volta, com a equipe suíça avançando graças ao gol marcado fora de casa. O Forest atropelou o AEK por 7×2 no agregado e o Malmö avançou após eliminar o forte Dínamo de Kiev (empate em 0x0 na antiga União Soviética e vitória por 2×0 na Suécia).

 

Notthingham Forest 5×1 AEK Atenas




Malmö 2×0 Dínamo de Kiev

 

 

 

Nas quartas, oito equipes sem qualquer tradição em nível continental. Eis os times:

Notthingham Forest
Grasshopper 
Colônia
Dínamo Dresden – RDA
Wisla Cracóvia
Malmö
Glasgow Rangers
Austria Viena


Os confrontos foram: Notthingham Forest x Grasshopper, Colônia x Glasgow Rangers, Austria Vienna x Dínamo Dresden e Wisla Cracóvia x Malmö

Na rodada de ida, todos os mandantes venceram. O grande destaque foi a goleada do Forest sobre o Grasshopper, mesmo após o clube suíço abrir o marcador na partida disputa na Inglaterra.

Notthingham Forest 4×1 Grasshoppers



Nos outros jogos, tivemos Colônia 1×0 Glasgow Rangers, Áustria Viena 3×1 Dínamo Dresden e Wisla Cracóvia 2×1 Malmö.

Dentre as partidas de volta, chamou atenção a vitória do Malmö sobre o Wisla, garantindo o clube sueco na semi final da Liga dos Campeões. Curiosamente, o Malmö também saiu atrás no placar e a classificação esteve ameaçada.



Malmö 4×1 Wisla Cracóvia



Na semifinal, houve:

Notthingham Forest x Colônia
Áustria Vienna x Malmö

O Colônia surpreendeu o Forest no primeiro jogo, abrindo 2×0 em 20 minutos, calando o público presente no City Ground. Mas o adversário buscou a virada e, aos 18 minutos do segundo tempo, já vencia por 3×2. Até que, aos 80′ de jogo, o Colônia empatou. Malmö e Áustria Vienna, por sua vez, empataram por 0x0.

Notthingham Forest 3×3 Colônia

 

 



No jogo de volta, o Colônia tinha ampla vantagem, podendo empatar até em 2×2, porém o Forest venceu por 1×0 e ficou com a vaga. Já o Malmö venceu por 1×0, conquistando a classificação à final da Liga dos Campeões.



Malmö 1×0 Áustria Viena



Colônia 0x1 Notthingham Forest



A Grande Decisão


O Estádio Olímpico de Munique foi o palco da grande decisão da Liga dos Campeões 1978/79. Cinquenta e sete mil pessoas compareceram para ver a partida entre Notthingham Forest x Malmö. O Notthingham chegou invicto à final, enquanto o Malmö teve uma derrota na competição, 2×1 para o Wisla Cracóvia nas quartas de final. Por não poder contar com dois dos seus principais jogadores, o zagueiro Larsson e o meia Andersson, o time sueco adotou uma tática ainda mais defensiva do que Brugge (linkar texto Happel) no ano anterior. 

Pelo lado do Forest, uma história e tanto: em Fevereiro de 1979, o treinador Brian Clough gastou o dinheiro ganho com o título inglês na contratação do jogador Trevor Francis, do Birmingham. Francis custou £1 milhão e foi primeiro jogador britânico a alcançar esse valor. Na época, as regras da UEFA diziam que ele só poderia jogar pelo clube em competições europeias após três meses. Curiosamente, a primeira partida em que Francis esteve liberado para jogar foi a final da Liga dos Campeões quando acabou escalado entre os titulares graças à lesão de Martin O’Neill.

O começo do jogo foi truncado, muito devido à retranca do Malmö que pouco saiu para o jogo. No primeiro tempo, apenas duas oportunidades para cada lado. O Malmö, já desfalcado, ainda perderia outro importante jogador com a saída do capitão Tapper por lesão aos 34 minutos de jogo. Mas, no fim do primeiro tempo, Robertson passou por dois jogadores adversários e cruzou para a área. Möller, o goleiro da equipe sueca, não saiu e a bola encontrou Francis sozinho no segundo pau. O estreante de £1 milhão cabeceou com firmeza antes da chegada da marcação e fez o gol que deu o título ao Notthingham Forest.

Sem três dos seus principais jogadores, o Malmö pouco fez para buscar a igualdade na segunda etapa, consolando-se com o vice-campeonato. Permanece, até hoje, como o único clube da Suécia a disputar uma final de Liga dos Campeões.

Jogo Completo

 

 

 

A ficha técnica da partida você encontra aqui. Até a próxima semana!

Comentários

33 anos, morador do Rio de Janeiro. Rubro Negro de coração, apaixonado pelo Maracanã, tem no Barcelona o exemplo de clube para o que entende como futebol perfeito, dentro e fora do campo. Estudioso da memória do futebol, tem nessa sua área de maior atuação no site, para preservar a memória do esporte. Dedica especial atenção aos times mais alternativos, equipes que tiveram grandes feitos, mas que não são tão lembradas quanto as maiores do mundo. Curte também futebol do centro e do leste da Europa, com uma coluna semanal dedicada ao assunto. Um Doente muito antes de fazer parte desse manicômio, sua primeira memória acadêmica é uma redação sobre o Zico, na qual tirou 10 e a mesma foi para o mural da escola. Nunca trabalhou com futebol dessa forma, mas adora o que faz junto com o restante do pessoal e se pergunta o porquê de não ter começado com isso antes. Espera recuperar o ''tempo perdido''. Acha Lionel Messi o melhor que viu jogar e tem em Zico, Petkovic e Ronaldo Angelim como heróis.