60 anos do Messias Rubro-Negro.

  • por Igor Leal da Fonseca
  • 4 Anos atrás

Zico chegou ao Flamengo em 1967, ainda com 14 anos de idade. Mesmo franzino e mais novo, já se destacava há muito nas peladas contra garotos mais velhos. Zico foi levado ao clube pelo jornalista Celso Garcia e, já na sua estréia nos profissionais, em 29/9/1971, mostrou a que veio. Foi dele o passe para um dos gols da vitória do Flamengo sobre o Vasco por 2×1. É, tempos que guris faziam estréia em clássico e não “tremiam.”

Celso Garcia, o homem que levou Zico para o Flamengo.

Celso Garcia, o homem que levou Zico para o Flamengo.

Durante o ano de 1971, Zico entrou em campo pelo Flamengo em 17 jogos e fez 2 gols. Estava claro para todos que aquele garoto tinha muito talento, mas precisava de fortalecimento muscular.

Em 1972, já fazendo o trabalho de fortalecimento, Zico entrou em campo apenas 8 vezes e não marcou nenhum gol. Foi a única temporada de Zico sem um gol sequer. Mas o Flamengo, comandado por Reyes, Doval e Caio Cambalhota, chegou ao título carioca após bater o Fluminense por 2×1.

Flamengo 2×1 Fluminese – Flamengo Campeão Carioca de 1972

O Time Campeão Carioca de 1972.

O Time Campeão Carioca de 1972.

Em 73, já em estágio avançado do tratamento para ganhar força física, Zico entrou em campo pelo Flamengo em 52 ocasiões e marcou 13 vezes. Mas o Flamengo terminou a temporada sem o título carioca (perdido para o Fluminense) e no Brasileiro foi apenas o 24º colocado.

Em 74, já condicionado e em boa forma física, Zico entrou em campo 64 vezes e anotou espantosos 49 gols na temporada, sendo o principal responsável pelo título carioca do Flamengo. No Brasileiro, a primeira boa campanha do Flamengo, que terminou em sexto lugar. Mas foi um sexto lugar amargo, já que foi ano de título do Vasco, o primeiro de um clube do Rio de Janeiro na competição. Mas como consolo, Zico foi Bola de Ouro do Brasileiro.

Flamengo 0x0 Vasco – Flamengo Campeão Carioca de 1974

A primeira Bola de Ouro da Placar, conquistada em 1974.

A primeira Bola de Ouro da Placar, conquistada em 1974.

A equipe Campeã Carioca de 1974. Zico está agachado, o segundo da direita para a esquerda.

A equipe Campeã Carioca de 1974. Zico está agachado, o segundo da direita para a esquerda.

Em 75, o Flamengo vê o Fluminense montar a “Máquina Tricolor” e ganhar o título carioca. Mas o que incomodava é que, apesar do time do Fluminense ser melhor, em 5 jogos contra eles o Flamengo venceu 2, empatou 2 e perdeu apenas 1, o clássico pelo Campeonato Brasileiro. Zico anotou 30 gols no Carioca. No Brasileiro, um 7º lugar e o mundo via surgir o melhor time dos anos 70, o Internacional de Falcão e cia.

Em 76, o Bi do Carioca do Fluminense e o Bi do Brasileiro do Inter. Mas houve uma partida que entrou para a história do Fla x Flu. Em um jogo valendo pela “Taça Nelson Rodrigues”, o Flamengo goleou por 4×1 e Zico anotou os 4 gols do Fla. Infelizmente, não existe vídeo desse jogo, não que eu conheça. Se alguém conhece, favor indicar, terei prazer em postar aqui nesse humilde espaço.

Zico fez 56 gols na temporada, recorde da sua carreira. Mas começavam a ganhar espaço outros 2 jogadores que fariam história no clube: Júnior e Adílio

Já eram 2 anos sem títulos e a pressão começava a ficar grande na Gávea.

Veio o ano de 77 e com Zico em plena forma e a dupla Júnior/Adílio já consolidada, Rondinelli já fazendo jus ao apelido de “Deus da Raça”, Carpegiani e Cláudio Adão contratados como reforços e com o surgimento de Tita, era considerado “obrigação” vencer um título na temporada.

No Carioca, o Flamengo teve apenas uma derrota, em clássico contra o Vasco na Taça GB. Na decisão, após um 0x0, Tita desperdiça a última penalidade e o Flamengo vê o título ir para o Vasco. Eram 3 temporadas sem título e a pressão, que já era enorme, se tornou gigantesca. Mas nos bastidores do clube, havia um movimento forte e Márcio Braga, pela 1º vez presidente, começava a mudar a forma de administrar o Flamengo. Os frutos começariam a ser colhidos no ano seguinte.

Tita perde penalty e o Vasco conquista o Carioca de 1977

Novamente Zico “salvaria” a temporada, ao ganhar a Bola de Prata e ser considerado, por um jornal venezuelano, como o futebolista sulamericano do ano.

Em 78, havia um movimento de grande parte da torcida e da política Rubro-Negra para que o Flamengo negociasse aqueles jogadores que mais para frente fariam história. Só um título poderia assegurar a permanência de uma safra que era talentosa, mas considerada “imatura” por muitos. No Estadual, novamente o Flamengo sofreu uma única derrota, na decisão do 1º turno, em clássico contra o Fluminense.

Apesar da derrota, o Flamengo levou o título do 1º turno e partiu para ganhar o do 2º. Adversários batidos com facilidade – com direito a uma goleada de 4×0 em cima do Fluminense – e vem a decisão contra o Vasco, que jogava pelo empate para forçar os jogos extras. 120 mil pessoas lotaram o Maracanã para ver a decisão. Jogo tenso, com o Vasco sabendo usar sua vantagem. No finalzinho, após o Vasco ceder um escanteio de forma desnecessária, Zico pega a bola e parte em velocidade para o local da cobrança. Aqui eu abro parentêses para narrar o que um senhor amigo meu, já sexagenário hoje em dia, fala do momento: ”Foi um espanto ver o melhor finalizador do time não estar na área naquela bola. Zico raramente batia escanteios. Raramente não, nunca. Era exímio cabeceador e se posicionava com a maestria dos centroavantes mais qualificados. Ninguém entendeu quando ele, Zico, foi cobrar aquele escanteio.” Zico também sempre fala que todos os torcedores do Flamengo colocados atrás do gol do Vasco falavam para que ele deixasse a cobrança para outro e fosse para a área.

Mas Zico sabia o que estava fazendo, porque gênio é aquele que vê o que nenhum outro vê.

Na cobrança, bola na cabeça de Rondinelli, Leão estatelado no chão e título Rubro-Negro depois de 3 anos de jejum. Zico terminou na artilharia da competição.

Flamengo 1×0 Vasco – Flamengo Campeão Carioca de 1978

Rondinelli voa para marcar o gol do título do Flamengo.

Rondinelli voa para marcar o gol do título do Flamengo.

 

1978 - Campeonato Carioca

O Time Campeão Carioca de 1978.

 

Após o título Carioca e a quebra de um incômodo jejum, o Flamengo iniciaria 1979 como favorito ao título estadual e um dos candidatos ao título brasileiro. No início de 1979, a Federação do Rio de Janeiro resolve criar um Estadual Especial, por causa da má campanha dos clubes cariocas no Brasileiro de 1978 (que ainda estava em andamento em 79) e também para dar oportunidade de disputa aos clubes do Estado do Rio de Janeiro, já que esses ainda estavam alijados da disputa, apesar da união Estado do Rio/Estado da Guanabara ter acontecido anos antes.

No Estadual Especial, título conquistado de forma invicta pelo Flamengo e Zico sobrando na artilharia. Em clássicos disputados pelo Estadual Especial, Zico anotou 6 gols, passando em branco em apenas 1 dos 6 clássicos.

1979_-_Campeonato_Carioca_Especial

A equipe Campeã do Carioca ”Especial” de 1979.

Flamengo 2×2 Botafogo – Flamengo Campeão Carioca ”Especial”

No meio do estadual, o Flamengo fez um amistoso contra o Atlético Mineiro, em benefício de desabrigados por uma enchente em Minas Gerais, na partida que entrou para a história como a partida em que Pelé vestiu a camisa do Flamengo. O Flamengo venceu por 5×1 e Zico fez 3 gols no jogo.

Flamengo 5×1 Atlético MG – Zico e Pelé lado a lado.

Pelé e Zico em amistoso contra o Atlético-MG.

Pelé e Zico em amistoso contra o Atlético-MG.

 

O Flamengo conquistou também o título do Estadual “normal”, conquistando assim o 3º tri da História Rubro-Negra. Zico fez 34 gols nesse Campeonato e 81 gols no total, quantidade absurda para um meia.

 

Flamengo Campeão Carioca de 1979. Raul (2º em pé da direita para a esquerda) chegou ao clube depois.

Flamengo Campeão Carioca de 1979. Raul (2º em pé da direita para a esquerda) chegou ao clube depois.

 

Depois de conquistar os 2 Campeonatos Cariocas jogados no ano, o Flamengo era tratado como um dos favoritos ao título do Campeonato Brasileiro de 1979.

Na 1º fase do Brasileiro, o Flamengo passeou no seu grupo, com 7 vitórias e 2 empates em 9 jogos, 20 gols marcados e 2 sofridos.

Na 2ª fase, eliminatória simples, o Flamengo receberia o Palmeiras para partida única no Maracanã. A vitória era considerada certa, tanto pela superioridade do time do Flamengo quanto pelo futebol apresentado por esse time na fase anterior. 112.047 pagantes lotaram o Maracanã no dia 09/12/1979, mas inexplicavelmente o Flamengo não jogou 10% do apresentado anteriormente e o Palmeiras, comandado por Jorge Mendonça – aquele que barrou Zico na Copa de 78 – goleou por 4×1, saindo classificado do Maracanã.

Flamengo 1×4 Palmeiras – Campeonato Brasileiro de 1979

Gols do Tricampeonato

Em 1980, o Flamengo e Zico sofriam pressão para que o clube conquistasse o Campeonato Brasileiro de qualquer forma. Na estreia, vitória em cima do São Paulo no Morumbi, gol de Zico. Na 2ª rodada, outra vitória, dessa vez em cima do Internacional, também com gol de Zico. Na 3ª rodada, o Flamengo jogaria contra o Botafogo-PB no Maracanã e a expectativa era de goleada. Mas o time jogou mal, perdeu por 2×1 e a cobrança foi enorme, com muitas vaias. Mas aquele time tinha chegado ao seu ápice e retomou o fôlego, permanecendo 17 jogos invicto, com direito a uma goleada antológica em cima do Palmeiras, um 6×2 no Maracanã, com 2 gols de Zico, 2 de Tita, 1 de Toninho e 1 de Nunes, com Tita dando “tchauzinho” para a torcida do Palmeiras no Maracanã.

Flamengo 6×2 Palmeiras – Campeonato Brasileiro de 1980

Tita dá ''tchau'' para a torcida do Palmeiras no Maracanã.

Tita dá ”tchau” para a torcida do Palmeiras no Maracanã.

 

Na semi final do Brasileiro, vitória tranquila no jogo de ida, 2×0 sobre o Coritiba no Paraná, 2 gols de Zico.

Coritiba 0x2 Flamengo – Campeonato Brasileiro de 1980

A classificação era praticamente certa, já que o Flamengo mandaria o jogo da volta. Mas o que se viu foi um dos maiores jogos da história dos Campeonatos Brasileiros.

O Coritiba, sem qualquer pressão, rapidamente abriu 2×0, em pleno Maracanã. Ainda no 1º tempo, o Flamengo virou, com gols de Nunes (2) e Carlos Alberto, o desse último antológico, após dar um pique de quase 50 metros, escapar da falta e soltar a pancada no ângulo.

No 2º tempo, o Flamengo ampliou para 4×2, com Anselmo, em gol que resumiu o espetáculo que foi o jogo. Anselmo recebeu lançamento, deu um drible da vaca no goleiro do Coritiba e, percebendo que o zagueiro do time paranaense corria para dentro do gol, meteu por cobertura, deixando o pobre zagueiro caído no chão. Vitória maiúscula do Flamengo e, pela 1º vez na história, o clube estava na decisão do Brasileiro. Graças a Zico, que já havia marcado 20 gols até então. O adversário era o Atlético Mineiro, de Reinaldo, Toninho Cerezo, Palhinha e Éder.

Flamengo 4×3 Coritiba – Campeonato Brasileiro de 1980

Desolado, Moreira vê a bola no fundo do gol após o quarto gol do Flamengo.

Desolado, Moreira vê a bola no fundo do gol após o quarto gol do Flamengo.

 

No 1º jogo da decisão, disputado de forma violenta, o Flamengo sucumbiu ao Atlético e perdeu por 1×0. Zico, contundido desde a semifinal contra o Coritiba, não jogou e era dúvida para a finalíssima, que seria disputada no Maracanã. Júlio César também desfalcou o Flamengo no 1º jogo da decisão.

Atlético MG 1×0 Flamengo – Campeonato Brasileiro de 1980

Para deixar a situação do Flamengo ainda mais complicada, Rondinelli desfalcaria o time para a finalíssima, pois quebrou o maxilar após ser atingido de forma proposital por Palhinha. Mas Zico e Júlio César conseguiram se recuperar e foram para o jogo. Rondinelli, internado em um hospital próximo ao Maracanã, estava fora da partida.

Logo no começo, aos 7 min, Zico descobre Nunes em velocidade e passa na medida para o “artilheiro das decisões” tocar na saída de João Leite e abrir os trabalhos. Festa da torcida do Flamengo no Maior do Mundo, 1×0 no placar. Menos de um minuto depois, Reinaldo empata para o Atlético MG. Rondinelli, sem poder ver o jogo, sofria no quarto de hospital com as variações de comportamento da torcida do Flamengo.

O jogo é disputado com a mesma intensidade e violência da partida de ida, até que Zico apanha a sobra de um bate-rebate e estufa a rede de João Leite. Eram 44 min do 1º tempo e o Flamengo tinha agora apenas um tempo pela frente para enfim se sagrar Campeão Brasileiro. No intervalo, Coutinho reuniu o time e leu um bilhete escrito por Rondinelli, bilhete que continha um simples pedido do Deus da Raça: ”Vamos para as cabeças, dêem para mim esse título!”

Anos depois, Zico declarou que jamais perderia aquela partida depois de ouvir Coutinho narrar o pedido do amigo.

Na volta do intervalo, o Flamengo tem chances de ampliar, mas desperdiça. O título parece mais próximo após a contusão de Reinaldo, que não pôde sair de campo porque o Atlético já havia queimado as alterações. O Flamengo segue dominando, até que Éder acha Reinaldo sozinho na pequena área e o mesmo empata o jogo novamente. Discussão generalizada na defesa Rubro-Negra e Zico pega a bola, falando aos berros: ”Bora acabar com essa palhaçada, nessa porra mando eu. Quero um time de macho agora!”*

O Atlético Mineiro, com a vantagem do empate, começa a catimbar e Reinaldo é expulso de campo após atrasar uma reposição de bola do Flamengo. Confusão e o treinador Procópio Cardoso também é expulso de campo. Mas nada do Flamengo virar.

Até que Júnior, que havia cochilado no gol de empate atleticano, rouba bola e toca para Andrade, que lança Nunes. Nunes para em frente a Silvestre, corta o marcador e bate no único lugar que havia espaço. Flamengo 3×2 Atlético MG e o título é logo ali.

Chicão, companheiro de Zico na Copa de 78, também é expulso de campo. Palhinha pouco depois também dá adeus ao falar que Aragão – juiz do jogo – estava roubando para o Flamengo. Com 3 a mais em campo, o Flamengo toca a bola, dá olé e espera o tempo passar. Mas como em todas as finais, o componente emoção só sai de campo no último minuto de jogo: no último lance, Manguito atrasa mal uma bola para Raul, bola que é interceptada por Éder. Éder avança, se livra de Raul, mas Andrade vem na cobertura e salva o Flamengo da tragédia. Fim de jogo, Flamengo 3×2 Atlético Mineiro e Zico artilheiro do Campeonato com 21 gols em 22 jogos. O Flamengo chegava ao topo do Brasil. No ano seguinte, o alvo seria o mundo.

Flamengo 3×2 Atlético MG – Flamengo Campeão Brasileiro de 1980

Nunes comemora o 1º gol do jogo, após passe brilhante de Zico.

Nunes comemora o 1º gol do jogo, após passe brilhante de Zico.

 

Zico apanha a sobra para fazer 2x1 para o Flamengo.

Zico apanha a sobra para fazer 2×1 para o Flamengo.

Nunes dribla Silvestre e chuta entre João Leite e a trave. Gol do título!

Nunes dribla Silvestre e chuta entre João Leite e a trave. Gol do título!

 

Após a conquista do Campeonato Brasileiro de 1980, o Flamengo voltava seus olhos para o Campeonato Carioca, em busca do Tetracampeonato. Mas uma derrota para o pequeno Serrano impediu que o clube vencesse o segundo turno, que acabou nas mãos do Vasco, que foi à final contra o Fluminense, vencedor do primeiro turno. Na final do Campeonato Carioca, o Fluminense bateu o Vasco por 1×0 e ficou com o título.

Zico foi eleito pelo jornal ”El Mundo” como o segundo maior jogador da América no ano, atrás apenas de Maradona.

1981, o Ano Rubro-Negro.

Para o ano de 1981, o Flamengo tinha o Campeonato Brasileiro e a Taça Libertadores para disputar, além do Campeonato Carioca. E o objetivo Rubro-Negro era claríssimo: levar todos os títulos. O time começou bem no Brasileiro, avançando de fase tranquilamente, até chegar ao mata-mata, no qual mais uma vez era favoritíssimo. Nas oitavas, o clube eliminou o Bahia e nas quartas teria pela frente o Botafogo, tradicional rival carioca. No primeiro jogo, 0x0. No segundo jogo, o Botafogo tinha a vantagem do empate, mas Zico abriu o placar e deu ao Flamengo a esperança de avançar às semifinais. Mas o Botafogo empatou ainda na etapa inicial e, jogando nos contra-ataques, virou para 3×1 no segundo tempo. Fim do sonho Rubro-Negro, festa do Botafogo.

Botafogo 3×1 Flamengo – Campeonato Brasileiro de 1981

Mendonça entortar Júnior e chuta para fazer 3x1 para o Botafogo. Fim do sonho do Bi.

Mendonça entorta Júnior e chuta para fazer 3×1 para o Botafogo. Fim do sonho do Bi.

 

Após a eliminação no Brasileiro, o Flamengo voltou seus olhos para a Taça Libertadores e o Campeonato Carioca. Na competição continental, o clube da Gávea caiu no grupo de Atlético MG, Cerro Porteño e Olímpia. Como só o vencedor do grupo avançava à próxima fase, os dois jogos entre Flamengo e Atlético-MG foram embates épicos.

No primeiro jogo, realizado em Minas, o Galo abriu 2×0 – 2 de Éder – e deu a impressão que venceria. Mas o Flamengo buscou a igualdade na parte final do jogo – primeiro com Nunes, após passe de Zico, e depois com Marinho – e saiu em vantagem no ”confronto direto”, já que a volta era no Maracanã.

 

Atlético MG 2×2 Flamengo – Libertadores de 1981

No segundo jogo do clube na competição, o Flamengo recebeu o Cerro Porteño. Sem tomar conhecimento do time paraguaio, o Rubro-Negro da Gávea fez tranquilos 5×2, com 2 gols de Zico, 2 de Nunes e um de Baroninho.

Flamengo 5×2 Cerro Porteño – Libertadores de 1981

No terceiro jogo, o Flamengo recebeu o Olímpia e precisava vencer, já que o Atlético MG tinha vencido o Cerro fora de casa e chegado aos 4 pontos na competição. Mas Zico e Flamengo fizeram uma partida apática e o clube paraguaio levou um empate para casa, em pleno Maracanã.

Flamengo 1×1 Olimpia – Libertadores de 1981

No segundo turno da fase de grupos, o Flamengo recebeu o Atlético no Maracanã. Após um primeiro tempo equilibradíssimo, o Galo saiu na frente, com Palhinha, após falha da zaga do Flamengo. O clube carioca chegou ao empate com Nunes, após grande jogada de Zico e falha de João Leite. O Flamengo virou com Tita, após cochilo da zaga atleticana, mas sofreu o empate, que saiu dos pés de Reinaldo, depois de grande tabela entre Cerezo e Palhinha.

Flamengo 2×2 Atlético MG – Libertadores de 1981

Na rodada seguinte, o Flamengo viajou ao Paraguai e fez tranquilos 4×2 no Cerro, com 3 gols do Galo, em uma noite que entrou para a história do jogador.

Cerro Porteño 2×4 Flamengo – Libertadores de 1981

Ainda no Paraguai, o Flamengo empatou em 0x0 com o Olímpia e terminou líder do grupo, com os mesmos 8 pontos do Atlético-MG. Foi preciso o jogo desempate – que entrou para a história pela porta dos fundos – e o Flamengo classificou-se para a segunda fase da competição.

Na segunda fase, o Flamengo caiu no grupo de Deportivo Cáli e Jorge Wilstermann. Na estreia, em jogo na Colômbia, Nunes garantiu a vitória do Flamengo, ainda no começo do primeiro tempo.

Deportivo Cali 0x1 Flamengo – Libertadores 1981

No segundo jogo, também realizado fora de casa, a equipe bateu o Jorge Wilstermann por 2×1, gols de Baroninho e Adílio.

Jorge Wilstermann 1×2 Flamengo – Libertadores de 1981

Na volta ao Maracanã, o Flamengo recebeu o Deportivo Cáli e não tomou conhecimento da equipe colombiana, vencendo por 3×0, gols de Zico(2) e Chiquinho. Com a vitória, o time Rubro-Negro garantia a vaga à final da Libertadores da América.

Flamengo 3×0 Deportivo Cali – Libertadores 1981

No último jogo da segunda fase, com a equipe já na final, o Flamengo fez 4×1, gols de Nunes, Adílio, Anselmo e Chiquinho.

Flamengo 4×1 Jorge Wilstermann

A final da Libertadores: a hora de Zico!

Com 7 gols nas fases anteriores, Zico era o maior nome Rubro-Negro na competição. E a final viria para coroar essa situação. O primeiro jogo foi disputado no Maracanã e, antes dos 15 min do primeiro tempo, Zico pegou a bola pouco após o círculo central, arrancou, tocou para Adílio, que devolveu para o camisa 10 da Gávea fazer 1×0 no placar, em um gol típico de Zico. Ainda no primeiro tempo, Mario Soto comete penalidade em cima de Lico e Zico vai para a cobrança, deslocando o goleiro chileno e fazendo 2×0. O Cobreloa diminuiu a vantagem, mas nada que impedisse a euforia Rubro-Negra, já que o time jogava pelo empate no jogo da volta.

Flamengo 2×1 Cobreloa – 1º Jogo da Final da Libertadores de 1981

Zico comemora seu segundo gol contra o Cobreloa, na primeira partida da final da Libertadores.

Zico comemora seu segundo gol contra o Cobreloa, na primeira partida da final da Libertadores.

 

No jogo da volta, clima de guerra no Chile. Jogadores do Flamengo sofreram com a polícia, torcedores apanharam nas arquibancadas e dentro de campo os jogadores apanharam durante 90 minutos, com a conivência da arbitragem. Adílio chegou a sair com o rosto sangrando após uma pancada. O Cobreloa venceu por 1×0, gol de Merello. Ironicamente, o gol do chileno foi de falta, após a bola desviar levemente em Leandro.

Cobreloa 1×0 Flamengo – 2º Jogo da Final da Libertadores de 1981

Tônica do jogo da volta: marcação pesada e tentativas de intimidação para cima de Zico.

Tônica do jogo da volta: marcação pesada e tentativas de intimidação para cima de Zico.

 

Após dois jogos com uma vitória para cada lado, o regulamento previa uma partida extra a ser disputada em campo neutro. E o local escolhido foi o Estácio Centenário, em Montevidéu. Em mais um jogo de pancadaria, Alarcón, Andrade e Jiménez foram expulsos ainda no primeiro tempo. Quando das expulsões, o Flamengo já vencia por 1×0, gol de Zico. Faltando pouco mais de 5 min para o fim do jogo, Zico cobrou falta e fez 2×0, decretando a vitória Rubro-Negra. O Flamengo era Campeão da Libertadores da América!

Flamengo 2×0 Cobreloa – Flamengo Campeão da Libertadores da América de 1981

Comemoração Rubro-Negra no Uruguai.

Comemoração Rubro-Negra no Uruguai.

 

Zico recebe a Taça Libertadores da América.

Esquadrão Rubro-Negro, Campeão da América!

Esquadrão Rubro-Negro, Campeão da América!

 

O Amistoso contra o Boca de Maradona.

 

No dia 15 de Setembro de 1981, o Maracanã foi palco de um encontro histórico: de um lado, Maradona e seu Boca Juniors. Do outro, o Flamengo de Zico. As equipes disputaram um amistoso, que terminou com a vitória do Flamengo por 2×0.

Flamengo 2×0 Boca Juniors – Amistoso em 1981

Maradona e Zico no amistoso Flamengo 2x0 Boca, disputado no Maracanã.

Maradona e Zico no amistoso Flamengo 2×0 Boca, disputado no Maracanã.

O título do Campeonato Carioca de 1981.

 

Após a conquista do título da Libertadores da América, o Flamengo voltava seus olhos para o Campeonato Carioca. A equipe venceu a Libertadores em 23 de Novembro e no dia 29 já entrava em campo para o primeiro jogo pela final, contra o Vasco da Gama. Por ter vencido 2 dos 3 turnos, o Flamengo precisava apenas empatar um dos dois jogos para ser campeão. O Vasco precisava vencer os 2 para forçar um jogo extra, quando o clube da Zona Norte do Rio teria a vantagem do empate.

No primeiro jogo, ainda na ressaca da final da Libertadores, o Vasco venceu por 2×0, dois gols de Roberto Dinamite.

Vasco 2×0 Flamengo – 1º Jogo da Final do Carioca de 1981

No segundo jogo, a vitória do Vasco por 1×0 forçou a terceira partida. O gol foi marcado por Roberto Dinamite, aos 43 min do segundo tempo, quando a torcida do Flamengo já comemorava o título (infelizmente não encontrei registro em vídeo desse gol).

No terceiro e último jogo da decisão, era o Flamengo que precisava vencer para garantir o título. Mais de 160 mil pessoas compareceram ao Maracanã para a decisão e viram Adílio abrir o placar aos 20 min do primeiro tempo. Quatro minutos depois, Junior recebeu passe em velocidade, o goleiro Mazaroppi saiu para tentar cortar, mas a bola caiu limpa nos pés de Nunes, que bateu por cobertura, fazendo 2×0 para o clube da Gávea. O Flamengo teve chances para ampliar o placar, mas no fim tomou um gol de Ticão que quase colocou tudo a perder, já que o Vasco tinha a vantagem do empate. A equipe vascaína reclamou muito da invasão de um torcedor do Flamengo, invasão essa que, segundo eles, freou o ímpeto vascaíno em busca do empate. O episódio passou à história como ”Invasão do Ladrilheiro”.

Flamengo 2×1 Vasco – Flamengo Campeão Carioca de 1981

Nervoso, Roberto Dinamite apressa a saída do torcedor que invadiu o gramado.

Nervoso, Roberto Dinamite apressa a saída do torcedor que invadiu o gramado.

 

Flamengo Campeão Carioca 1981

Flamengo Campeão Carioca 1981

 

 

O acerto de contas com o Botafogo.

 

Ainda durante o Campeonato Carioca, o Flamengo encontrou tempo para um antigo ”acerto de contas” com o Botafogo. Em 1972, o Botafogo tinha goleado o Flamengo por 6×0, em uma partida pelo Campeonato Brasileiro. Por mais que na segunda metade dos anos 70 o Flamengo tenha levado vantagem contra o Botafogo, a torcida botafoguense cantava ”seis, seis, seis” a cada jogo contra o Flamengo. Na parte alvinegra da arquibancada, existia uma faixa com ”6×0”. Era uma derrota engasgada na torcida do Flamengo e era necessário devolvê-la.

No dia 8 de Novembro de 81, as duas equipes entraram em campo para um jogo, pelo Campeonato Carioca. O Flamengo já tinha vencido o primeiro turno e liderava o terceiro e último. Nos quatro jogos anteriores no ano, a equipe da Gávea não havia vencido o rival, sendo 2 empates, 2 vitórias do Botafogo e uma eliminação no Campeonato Brasileiro, conforme mostrado acima. Mas naquele jogo tudo seria diferente. Aos 7 min, Nunes fez 1×0. Zico ampliou aos 27, Lico aos 33 e Adílio aos 40, tudo isso na primeira metade do jogo. A torcida do Flamengo cantava ”Queremos Seis”, empurrando o time para a goleada, para evitar que tirasse o pé. Zico aumentou apenas aos 75 min de jogo, faltando 15 minutos para mais um gol. Até que Andrade apanhou uma sobra e, com raiva, definiu o placar. Flamengo 6×0 Botafogo, vingança consumada. Curiosamente, Andrade – autor do sexto gol – jogava com a camisa #6 do Flamengo.

Flamengo 6×0 Botafogo – Campeonato Carioca de 1981

Jogadores do Fla comemoram o gol de Andrade, o sexto na goleada.

Jogadores do Fla comemoram o gol de Andrade, o sexto na goleada.

 

O Mundial Interclubes.

 

Após garantir o título do Campeonato Carioca, o Flamengo ainda tinha mais um desafio para 1981: a conquista do Mundial Interclubes no Japão. O time brasileiro enfrentaria o Liverpool, considerado bicho papão na Europa, já que o time inglês tinha conquistado 3 Ligas dos Campeões em curto espaço de tempo. Os europeus chegaram ao Japão pensando apenas em ir lá, vencer o Flamengo e voltar para a Europa, sem maiores dificuldades. Quando as equipes se cruzaram na hora da chegada ao estádio, os jogadores ingleses debocharam dos jogadores do Flamengo, em conduta que enervou o time Rubro-Negro.

Anos depois, Phil Neal – ex jogador dos Reds – confessou que a equipe desconhecia o Flamengo e que pensou que se trataria de um jogo fácil. Quando acordaram, porém, já estava 3×0 para o clube da Gávea, com 2 gols de Nunes e um de de Adílio, todos no primeiro tempo. Zico foi eleito o Melhor Jogador em Campo, graças aos passes precisos, especialmente a assistência para o primeiro gol do jogo, um fantástico passe por elevação para Nunes sair na cara de Grobbelaar e fazer o gol. No segundo gol do Flamengo, Zico cobrou falta, Grobbelaar deu rebote e Adílio fez 2×0. Nunes fechou o placar, após receber mais uma primorosa assistência de Zico e bater cruzado. Festa Rubro-Negra em Tóquio!

 

Flamengo 3×0 Liverpool – Flamengo Campeão Mundial 1981

Da esquerda para a direita: Zico, Tita, Andrade, Leandro e Junior.

Da esquerda para a direita: Zico, Tita, Andrade, Leandro e Junior.

Eleito melhor jogador da partida, Zico recebe um carro.

Eleito melhor jogador da partida, Zico recebe um carro.

Zico ergue a taça do Mundial Interclubes.

Zico ergue a taça do Mundial Interclubes.

 

Zico terminou o ano com todos os títulos narrados acima, além de diversas premiações esportivas, como Melhor Jogador e Artilheiro da Libertadores, Melhor em Campo no Mundial Interclubes, Melhor Jogador da América do Sul de acordo com o jornal ”El Mundo”, além de diversas premiações individuais na Europa.

1982 – O Bi do Brasileiro e a tristeza na Libertadores.

O ano começou quente para o Flamengo, já com um jogo de grande porte, contra o São Paulo no Maracanã. O time paulista havia chegado à final do Brasileiro no ano anterior e vinha de dois títulos no Campeonato Paulista. A equipe tricolor era uma máquina, com jogadores como Waldir Peres, Oscar, Marinho Chagas, Mário Sérgio e o artilheiro Serginho Chulapa, todos com história no futebol e passagens pela Seleção Brasileira. E a equipe paulista abriu 2×0 ante um incrédulo Maracanã, que não poupou vaias contra a equipe Campeã do Mundo. Mas na volta do intervalo, Zico comandou a virada, marcando dois gols e dando passe para o outro.

Flamengo 3×2 São Paulo – Campeonato Brasileiro de 1982

O primeiro jogo do Brasileiro, um clássico contra o São Paulo no Maracanã.

O primeiro jogo do Brasileiro, um clássico contra o São Paulo no Maracanã.

 

E Zico seguiu voando no Brasileiro, anotando mais dois gols na rodada seguinte, em nova virada, dessa vez contra o Náutico nos Aflitos.

Náutico 3×4 Flamengo – Campeonato Brasileiro 1982

O Galo fez mais um contra o Treze, três contra o Ferroviário e o Flamengo seguiu ganhando, até o confronto contra o São Paulo no Morumbi, que valeria a primeira posição do grupo. O clube carioca saiu perdendo, mas rapidamente o Flamengo virou e no segundo tempo chegou a estar vencendo por 4×1, mas permitiu que o time do São Paulo diminuísse para 4×3. Zico foi fundamental na partida, anotando um gol e participando de outros dois.

São Paulo 3×4 Flamengo – Campeonato Brasileiro de 1982

Para a segunda fase, o Flamengo caiu no grupo de Atlético MG, Corinthians e Internacional, em jogos de ida e volta, e Zico fez 4 gols nesses 6 jogos. O Flamengo passou em segundo lugar no seu grupo e nas oitavas de final enfrentou o Sport, com o time de Recife tendo a vantagem de jogar por dois resultados iguais. No primeiro jogo, o Flamengo venceu por 2×0, dois gols de Zico.

Flamengo 2×0 Sport – Campeonato Brasileiro 1982

No jogo da volta, uma polêmica que ainda hoje é alvo de reclamações: o Sport precisava vencer por dois gols de diferença, saiu na frente, mas sofreu o empate. O time pernambucano chegou ao segundo gol e precisava de mais um, que foi marcado por Edson Ratinho. Mas o tento foi anulado, em decisão ainda controversa.

Sport 2×1 Flamengo – Campeonato Brasileiro de 1982.

Nas quartas, o Flamengo enfrentou o Santos, vencendo por 2×1 no Maracanã e empatando no Morumbi. Zico fez o gol de empate do Flamengo, garantindo a vaga para a semifinal.

Santos 1×1 Flamengo – Campeonato Brasileiro de 1982

Na semifinal, mais um time de São Paulo: o Guarani. A equipe de Campinas tinha um grande time, liderados por Careca e Jorge Mendonça. No primeiro jogo, o Flamengo abriu 2×0, mas sofreu um gol faltando pouco mais de dez minutos para o fim do jogo, deixando tudo em aberto para a partida de volta.

Flamengo 2×1 Guarani – Campeonato Brasileiro de 1982

No jogo da volta, um Brinco de Ouro lotado presenciou uma atuação soberba de Zico. Logo aos 3 minutos de jogo, o Guarani abriu o placar, através de Jorge Mendonça. Mas o Flamengo tinha Zico e quem tinha Zico tinha tudo. Com três gols do Galo, o Flamengo fez 3×1 e garantiu a vaga na final. Jorge Mendonça ainda faria seu segundo gol no jogo, mas a vaga na decisão era do Flamengo.

Guarani 2×3 Flamengo – Campeonato Brasileiro de 1982

Para a grande decisão, chegaram os dois times que dominaram o ano anterior. O Flamengo com os títulos da Libertadores e Mundial, o Grêmio com o título do Campeonato Brasileiro. A equipe gaúcha era fortíssima, com jogadores como Leão, De León, Paulo Isidoro, Renato Gaúcho, Tarciso e Baltazar. E o Grêmio tinha a vantagem de decidir em casa.

No primeiro jogo, o Flamengo criou diversas oportunidades, mas não fez nenhuma. Até que em um contra-ataque do Grêmio, Tonho Gil fez o gol do Grêmio aos 83 minutos. Desespero no Maracanã, já que a volta seria no Olímpico. Mas novamente Zico salva o clube, anotando o gol de empate aos 89 mnutos.

Flamengo 1×1 Grêmio – 1º Jogo da Final do Brasileiro de 1982

Zico fuzila Leão para empatar o jogo e salvar o Flamengo.

Zico fuzila Leão para empatar o jogo e salvar o Flamengo.

 

 

No segundo jogo, realizado no Olímpico, o Grêmio pressionou o Flamengo durante a maior parte do tempo, pois precisava apenas de uma vitória simples para se tornar Bicampeão Brasileiro. Mas Raul fez algumas importantes defesas e os atacantes gremistas estavam em má tarde, impossibilitando a vitória. O jogo terminou 0x0 e foi necessário a realização de uma terceira partida.

Grêmio 0x0 Flamengo – 2º Jogo da Final do Brasileiro de 1982

Na derradeira partida, o Grêmio poderia empatar novamente para ficar com o título. Ao Flamengo, só restava vencer, mesmo jogando no Estádio Olímpico. E o clube carioca chegou à vitória logo aos 10 minutos de jogo. Após uma falta marcada a favor do Flamengo, a bola chegou aos pés de Zico na intermediária. O Galo arrancou e serviu Nunes, que bateu de primeira para vencer Leão e fazer o único gol do jogo. Era o gol do bicampeonato brasileiro do Flamengo.

Grêmio 0x1 Flamengo – Flamengo Campeão Brasileiro de 1982

Festa Rubro-Negra no Olímpico.

Festa Rubro-Negra no Olímpico.

Flamengo Campeão Brasileiro de 1982.

Flamengo Campeão Brasileiro de 1982.

 

 

Após o título brasileiro, o Flamengo voltava seus olhos para a disputa da Libertadores da América e também do Campeonato Carioca. Pela Libertadores, a equipe só entraria em campo pela segunda fase, pois o era o campeão da edição anterior. Na segunda fase, o Flamengo caiu no grupo de River Plate e Peñarol. No primeiro jogo, derrota contra o Peñarol em Montevidéu, 1×0. No segundo jogo, vitória por 3×0 contra o River Plate, em pleno Monumental. Zico fez um golaço nesse jogo, colocando uma bola no meio das pernas de um zagueiro e batendo fora do alcance de Fillol.

 

 

River Plate 0x3 Flamengo – Libertadores de 1982

Na terceira partida, a vitória por 4×2 sobre o mesmo River Plate, dessa vez no Maracanã, colocava o Flamengo precisando apenas de uma vitória simples contra o Peñarol para disputar sua segunda final de Libertadores seguida. Mas um gol de Jair (destaque do Internacional nos anos 70), ainda no primeiro tempo, deu a vitória ao time do Uruguai, que foi à final contra o Cobreloa e conquistou o título.

Pelo Campeonato Carioca, a equipe mais uma vez chegou à fase final, contra Vasco e América. No jogo contra o América, vitória por 1×0, gol marcado por Wilsinho. O Vasco também venceu o América pelo mesmo placar e as duas equipes foram à final em igualdade de condições. Em uma final com Zico de um lado e Dinamite do outro, o herói do jogo foi Marquinhos, autor do gol do título vascaíno, aos 3 minutos do segundo tempo.

Vasco 1×0 Flamengo – Vasco Campeão Carioca de 1982

O Campeonato Brasileiro de 1983 e o ”até breve”.

Em janeiro de 83 começou o Campeonato Brasileiro e o Flamengo era amplo favorito à conquista do título. Zico fez 7 gols em 8 jogos na primeira fase e o Flamengo classificou-se tranquilamente para a fase seguinte. Na segunda fase, mais 5 gols em 6 jogos, classificando o clube para a terceira fase do Campeonato Brasileiro. Na terceira fase, uma partida que ficou para a história do Flamengo e de Zico. Com 2 gols e 2 assistências dele, o Flamengo atropelou o Corinthians de Leão e Sócrates por inapeláveis 5×1, fora o baile (o Flamengo ainda teve 3 gols anulados na partida).

Flamengo 5×1 Corinthians – Campeonato Brasileiro de 1983

Um desolado Leão vê a bola no fundo do gol enquanto Zico comemora.

Um desolado Leão vê a bola no fundo do gol enquanto Zico comemora.

 

 

Após passar pela terceira fase, a equipe Rubro-Negra chegou às quartas de final para o confronto com o rival Vasco. No primeiro jogo, vitória do Flamengo por 2×1. No segundo, Zico fez o gol de empate aos 44 minutos do segundo tempo, apenas para confirmar a classificação Rubro-Negra.

Zico e Roberto Dinamite se cumprimentam antes do jogo. O repórter de camisa amarela é Kléber Leite, futuro presidente do Flamengo.

Zico e Roberto Dinamite se cumprimentam antes do jogo. O repórter de camisa amarela é Kléber Leite, futuro presidente do Flamengo.

 

 

Na semifinal do Brasileiro, o Flamengo enfrentou a surpresa Atlético-PR. Zico mais uma vez deu um espetáculo, com 2 gols, uma assistência e outras tantas jogadas criadas. Flamengo 3×0 e mão na classificação para a final, classificação essa que se confirmou 3 dias depois, mesmo com a derrota por 2×0.

Flamengo 3×0 Atlético PR – Campeonato Brasileiro de 1983

Para a final, o adversário era o Santos. As duas equipes já haviam se enfrentado na primeira fase, com uma vitória para cada lado: 2×0 para o Flamengo no Maracanã; 3×2 para o Santos no Morumbi. No primeiro jogo da decisão, disputado no Morumbi, a torcida que lotou o estádio viu uma partida equilibradíssima, com chances de gol de lado a lado e que terminou com a vitória do Santos por 2×1, gols de Pita e Serginho para o Peixe e de Baltazar para o Flamengo.

Santos 2×1 Flamengo – 1º Jogo da Final do Campeonato Brasileiro de 1983

Invasão da torcida do Flamengo no primeiro jogo da decisão.

Invasão da torcida do Flamengo no primeiro jogo da decisão.

 

 

Para o jogo da volta, o Flamengo precisava vencer para garantir o terceiro título do Campeonato Brasileiro em 4 anos. Mais de 150 mil Rubro-Negros compareceram ao Mário Filho para empurrar o Flamengo, o décimo maior público da história do estádio. Se soubessem que aquela era a última partida de Zico, com certeza o público seria ainda maior. Zico já havia fechado contrato com a Udinese, mas nem o elenco Rubro-Negro sabia da negociação consumada. Zico quis evitar rompantes de emoção e clima de despedida às vésperas de uma decisão de Campeonato Brasileiro. Queria ganhar o título a qualquer custo, comemorar e depois anunciar sua saída.

E Zico começou a decisão a todo vapor, marcando logo aos 50 segundos de jogo. Ainda no primeiro tempo, cobrou falta na cabeça de Leandro. Flamengo 2×0 e título na mão. Adílio ainda ampliou aos 44 minutos do segundo tempo. Flamengo 3×0 Santos, tricampeonato brasileiro garantido e Zico rumou para a Udinese, deixando um imenso vazio no coração dos Rubro-Negros. Mas foi apenas um ”até breve”.

Flamengo 3×0 Santos – Flamengo Campeão Brasileiro de 1983

Entrada do Flamengo em campo para a decisão contra o Santos.

Entrada do Flamengo em campo para a decisão contra o Santos.

Zico cobra falta na cabeça de Leandro. Era o segundo gol do Flamengo.

Zico cobra falta na cabeça de Leandro. Era o segundo gol do Flamengo.

 

Zico ergue a Taça de Campeão Brasileiro de 1983.

Zico ergue a Taça de Campeão Brasileiro de 1983.

 

Sem saber se voltaria ao clube, o Galo não quis desgrudar da taça.

Sem saber se voltaria ao clube, o Galo não quis desgrudar da taça.

Flamengo Campeão Brasileiro de 1983.

Flamengo Campeão Brasileiro de 1983.

 

 

 

A volta ao Flamengo, a gravíssima lesão no joelho e as dúvidas sobre a carreira.

 

 

No dia 12/07/1985, Zico estava de volta ao Flamengo. Foram 2 temporadas na Itália antes do retorno (será relatado separadamente) ao clube que o projetou e aos braços da torcida que tanto o amava. Tinha 32 anos e muita lenha para queimar, o que deixava os rubro negros confiantes em dias melhores para o clube, depois de dois Campeonatos Brasileiros completamente apagados. Zico ainda teve tempo de fazer 3 jogos no Campeonato Brasileiro de 1985, mas o time não avançou ao mata mata da competição.

Na sua reestreia, em um amistoso contra uma Seleção de Amigos, Zico mostrou que a pontaria nas faltas continuava afiada.

Flamengo 3×1 Seleção dos Amigos do Zico – Amistoso em 1985

Em uma série de amistosos pelo país para promover o seu retorno, a torcida do Flamengo viu sua estrela se entrosar rapidamente com os novos companheiros e também relembrar lances com alguns antigos. O time voltava a ser o centro das atenções no futebol do Rio de Janeiro.

Na estreia do Campeonato Carioca, o Flamengo fez 5×0 no Bonsucesso e Zico mostrou que ainda era o jogador que a torcida tinha na memória, ao fazer 2 gols e participar de outros 2.

Flamengo 5×0 Bonsucesso – Campeonato Carioca de 1985

O recado era claro:”Estou de volta”. O alvo era o Fluminense, então Bicampeão Carioca e Campeão Brasileiro de 1984. Mas já na segunda partida, o momento que todo rubro negro tem pavor em assistir aconteceu: Márcio Nunes deu uma entrada violentíssima nas duas pernas de Zico, ocasionando uma contusão no perônio esquerdo e torção nos 2 tornozelos. O Galinho passou por cirurgias no joelho esquerdo e teve que mudar até a forma de pisar para poder voltar aos gramados.

Globo Esporte no dia seguinte à contusão.

Zico sai de maca após violenta entrada de Márcio Nunes.

Zico sai de maca após violenta entrada de Márcio Nunes.

 

 

Pouco menos de 6 meses após a lesão, o Galo voltou aos campos para amistosos contra um time do Bahrein, a Seleção do Iraque e a Fiorentina, esse último como parte do pagamento de Sócrates.

No dia 16/2/1986, Zico voltou a vestir a camisa do Flamengo em um jogo no Maracanã. E o adversário não poderia ser melhor: o Fluminense, na abertura do Campeonato Carioca de 1986. A equipe tricolor era então Tricampeã Carioca. Embora com a ausência de Assis e Washington, tinha jogadores como Paulo Vítor, Branco e Romerito, além de vários outros remanescentes do título do Brasileiro em 84.

Quando as equipes entraram em campo, a torcida do Fluminense não poupou Zico, gritando ”bichado” a cada vez que o Galo tocava na bola. Mas como já diziam os sábios da bola, que ”com craque não se brinca”, Zico abriu o placar logo aos dez minutos de jogo. Adílio cruzou e o Galo enfiou a cabeça na bola, sem chances de defesa. Festa no lado flamenguista do Maracanã e mais gritos de ”bichado”, dessa vez irônicos, vindos da torcida do Flamengo. O Fluminense empatou no finalzinho do primeiro tempo, mas Zico esteve soberbo na primeira metade do jogo, criando chances, retendo a posse de bola, mostrando que ainda tinha futebol. E confirmou a volta durante o segundo tempo, quando fez 2×1 para o Flamengo em magistral cobrança de falta e 4×1 em cobrança de penalidade (Bebeto havia marcado o terceiro gol).

Ainda sem acreditar no que via, a torcida do Flamengo cantou, por longos 10 minutos, a canção que ainda hoje dói nos ouvidos tricolores:”Recordar é viver, o Zico acabou com você…”

No fim do jogo, o Galo chorou copiosamente no vestiário. Um misto de emoção e de dores pela volta aos campos.

 

 

Flamengo 4×1 Fluminense – Campeonato Carioca de 1986

Após essa partida, Zico só voltou a jogar pelo Flamengo no dia 3/07, quase 5 meses depois. Ele sofria com problemas musculares e seguidas contusões, ocasionadas pela grave lesão no joelho esquerdo. Jogou mais 2 jogos e parou de novo no dia 13/07, só voltando a atuar no dia 21/07/87, totalizando mais de 2 anos parado em virtude da lesão sofrida em 85.

O Flamengo venceu o Campeonato Carioca de 1986, o primeiro título Carioca do clube desde 1981.

Flamengo 2×0 Vasco – Flamengo Campeão Carioca de 1986

Flamengo Campeão Carioca de 1986.

Flamengo Campeão Carioca de 1986.

 

 

O Brasileiro de 87: a volta do Flamengo ao topo do país.

 

 

No começo do Campeonato Brasileiro, o Flamengo tinha um elenco com grandes jogadores já consagrados – Zico, Leandro, Edinho, Renato Gaúcho e Andrade – e jovens valores buscando espaço, como Leonardo, Jorginho e Zinho.

A equipe passou por grandes dificuldades , mas se acertou ao longo da competição. A grande partida de Zico na competição foi contra o Santa Cruz, quando fez 3 gols, sendo um deles em uma magistral cobrança de falta.

Flamengo 3×1 Santa Cruz – Campeonato Brasileiro de 1987

Na semifinal contra o Atlético Mineiro, Zico deu a assistência para o gol de Bebeto na ida e fez um gol no jogo da volta. A equipe rubro negra eliminou o favorito Atlético e foi à final contra o Internacional. Em 2 jogos duríssimos, sendo o segundo realizado após muita chuva no Maracanã, o Flamengo levou a melhor e conquistou o título do Campeonato Brasileiro depois de 4 anos. No dia seguinte, Zico embarcou para os EUA para novo procedimento cirúrgico.


Em 1988, Zico jogou apenas 27 das 80 partidas do Flamengo no ano, fazendo apenas 6 gols. O clube não conquistou qualquer título no período, chegando apenas na decisão do Campeonato Carioca contra o Vasco e perdendo a mesma. No Campeonato Brasileiro, a equipe oscilou em vários momentos da competição, mas mesmo assim chegou às quartas de final, quando foi eliminado pelo Grêmio.

Em 1989, mais uma vez o Flamengo perdeu a decisão do título Carioca – final contra o Botafogo – e passou longe do título Brasileiro. Zico fez sua última partida oficial pelo clube, coroando, com um gol de falta, uma carreira de 22 anos de luta, dedicação, respeito pelos adversários e, sobretudo, amor por uma instituição.

O Flamengo nunca mais seria o mesmo sem seu maior ídolo.

 

 

Como disse Moraes Moreira: ”E agora, como é que eu fico, nas tardes de domingo, sem o Zico no Maracanã”.

Juiz de Fora viu a última partida oficial de Zico pelo Flamengo.

Juiz de Fora viu a última partida oficial de Zico pelo Flamengo.

Flamengo 5×0 Fluminense – Último jogo oficial de Zico pelo Flamengo.

Comentários

33 anos, morador do Rio de Janeiro. Rubro Negro de coração, apaixonado pelo Maracanã, tem no Barcelona o exemplo de clube para o que entende como futebol perfeito, dentro e fora do campo. Estudioso da memória do futebol, tem nessa sua área de maior atuação no site, para preservar a memória do esporte. Dedica especial atenção aos times mais alternativos, equipes que tiveram grandes feitos, mas que não são tão lembradas quanto as maiores do mundo. Curte também futebol do centro e do leste da Europa, com uma coluna semanal dedicada ao assunto. Um Doente muito antes de fazer parte desse manicômio, sua primeira memória acadêmica é uma redação sobre o Zico, na qual tirou 10 e a mesma foi para o mural da escola. Nunca trabalhou com futebol dessa forma, mas adora o que faz junto com o restante do pessoal e se pergunta o porquê de não ter começado com isso antes. Espera recuperar o ''tempo perdido''. Acha Lionel Messi o melhor que viu jogar e tem em Zico, Petkovic e Ronaldo Angelim como heróis.