Vaticano: Onde futebol e religião se misturam – Parte 1: O início e as competições locais

Quando a fumaça branca tomar conta dos céus da Praça de São Pedro, nas próximas horas ou nos próximos dias, fiéis do mundo todo comemorarão a escolha do novo papa e o Vaticano voltará ao normal (se é que podemos chamar qualquer coisa que acontece dentro dos muros do país de normal).

A Cidade do Vaticano é o menor Estado soberano do mundo, com uma área menor que 1 km2 e uma população de pouco mais que 800 pessoas. Está situado no centro de Roma, e soldados romanos fazem a segurança civil da nação, enquanto a Guarda Suíça protege o Papa.

Vatican

O último Papa, Joseph Ratzinger, quando bispo de Munique, torcia pelo Bayern. Porém, é Karol Wojtyla, o Papa João Paulo II, quem realmente teve algumas ligações interessantes com o futebol.

Quando jovem, Wojtyla foi goleiro do Cracóvia, time polonês. Durante seu papado, várias foram as vezes em que ele recebeu seleções e clubes de futebol no Vaticano. Em 1978, ele recebeu Pelé em um momento histórico, retratado na foto abaixo.

Pelé visita o Papa em 1978

Pelé visita o Papa em 1978

Desde 2005, um torneio para jovens é disputado na Itália, com o nome de Trofeo Karol Wojtyla. A Lazio venceu a competição cinco vezes, a Roma duas e o Hadjuk Split uma.

Homenagem do Cracóvia a João Paulo II

Homenagem do Cracóvia a João Paulo II

Quando o papa Bento XVI anunciou sua renúncia, o cardeal italiano e Secretário de Estado Tarcisio Bertone passou a administrar a Santa Fé até o anúncio do novo pontífice. O que pouca gente sabe é que Tarcisio foi importante também para o futebol da região.

Bertone, torcedor da Juventus e ex-comentarista da série A italiana na TV, foi um dos criadores da Clericus Cup (Copa Clerical) em 2007, competição que reúne times de seminaristas que estudam no Vaticano.

O futebol no Vaticano, porém, começou bem antes…

 

O início, a federação e as competições locais

Segundo o jornal do Vaticano, o “L’Osservatore Romano”, a primeira partida de futebol realizada na cidade foi em janeiro de 1521, sob as regras do futebol florentino e o olhar do Papa Leão X. De acordo com a mesma fonte, desde 1947 eram realizados alguns quadrangulares amistosos no Estado.

A Federação de Futebol do Vaticano, a ACDV (Attività Calcistica dei Dipendenti Vaticani), organizou suas primeiras partidas de futebol em 1966, quando o time dos zeladores dos museus da cidade, o  Società Sportiva Hermes, foi criado. O nome foi dado em homenagem ao deus grego homônimo.
Logo depois foram fundados os times da Gendarmeria (polícia militar, responsável pela segurança nas ruas do Vaticano) e da APSA (Administração do Patrimônio da Sé Apostólica), além do Sampietrini, time formado pelo guardas de São Pedro.

As equipes são formadas apenas por pessoas que trabalham nas dependências do Vaticano, com uma única exceção por equipe: o goleiro.

Em 1972, Sérgio Valci coordenou a primeira competição, organizada pela federação local, que reuniu sete times representando os diferentes departamentos e serviços do Estado. O nome do torneio era Coppa Amicizia (Copa da Amizade), com jogos sendo realizados às segundas-feiras. O time do periódico oficial local, o Astor Osservatore Romano, foi campeão da primeira edição, na temporada 1972/73.

Sergio Valci em amistoso

Sergio Valci (centro) em amistoso

Na temporada seguinte, vitória do Fortitudo Governatorato. A terceira e última edição com o nome de Copa da Amizade foi vencida de novo pelo Astor, em 1979.

Em 1981 o torneio mudou de nome, para “Campeonato della Citta Vaticano”. Até 1991, times dos mais diversos departamentos foram campeões, com destaque para o Teleposte, time das agências de correios e telégrafos da cidade, bicampeão.

O torneio ainda foi disputado em 1994 e desde 2007 é disputado continuamente. O Dirseco é o atual tricampeão. Em 2012, 8 times disputaram a primeira divisão: Dirseco, Telefoni SCV, Fortituto 2007, DirTel, New Team, Hermes SS, Guardia Svizzera FC e Ass. SS Pietro e Paolo.

Formação do Dirseco

Formação do Dirseco

Desde 1985, disputa-se também a Copa ACDV. Os campeões de 1996 a 2006 não são conhecidos, e, descontando essas competições, os maiores campeões são os times do Dirseco (5 títulos), Teleposte (4), Hermes (3) e Servizi Tecnici (2).

A Copa Vaticana 2012/13 foi disputada de outubro a dezembro de 2012, por cinco times. O Fortitudo 2007, após vencer apenas um jogo e perder três na primeira fase, classificou-se à final e foi campeão ao derrotar o Dirseco nos pênaltis (4×3) após empate sem gols no tempo normal.

Fortitudo - campeão da Copa de 2012

Fortitudo – campeão da Copa de 2012

A RSSSF relata que desde 2007 é disputada a Supercopa, vencida pelo Dirseco em 2012 (4×1 no Gendarmeria). Aparentemente, porém, nem todos os torneios estão relatados pela fundação.

A revista Placar de agosto de 2005, por exemplo, apresenta um jogo entre os Galácticos, time dos museus, e o CIE Telemático, vencido pelo Telemático, válido pela Supercopa. O time dos museus teria sido o campeão nacional e o Telemático o campeão da copa.

O calendário do futebol no Vaticano é inteligente: no primeiro semestre acontece o campeonato local e no segundo semestre a copa. Entre elas, a Supercopa é disputada entre os campeões da temporada anterior.

Dino da Costa, brasileiro que disputou as eliminatórias da copa de 1958 pela Itália e que jogou no Botafogo, Roma, Juventus e Fiorentina, foi treinador de um dos times.

Praticamente todos os jogos disputados pelos torneios nacionais acontecem em um campo de grama sintética fora dos muros da cidade, próximo ao Oratório de São Pedro.

Na parte 2 dessa matéria, veremos a Clericus Cup,  competição entre padres e seminaristas, e as aventuras da seleção local. É só acessar http://www.doentesporfutebol.com.br/2013/03/12/vaticano-parte2  

Facebook Comentários

Sergio Rocha é torcedor do Madureira e sempre teve o sonho de escrever sobre esportes em geral, embora tenha optado pela carreira de engenheiro civil. No "currículo", cadernos recheados de resultados esportivos e agendas da década de 90, quando antes da internet acessava rádios de diversos locais do país buscando os resultados esportivos do Acre à Costa Rica. Além de fanático por futebol, é fanático por praticamente todos os esportes, e no tempo livre que sobra sempre busca os últimos resultados esportivos do PGA Tour ou dos futures da ATP. Além disso, coleciona quadrinhos da Disney e é louco por astronomia.

  • facebook
  • twitter