DOENTES POR FUTEBOL

Mohamed Timoumi: o Camisa 10 de Marrocos!

Timoumi_destaque

Mama África na área, caríssimos Doentes por Futebol!

Mohamed Timoumi, ou simplesmente Timoumi, nasceu em 15/01/1960, em Rabat, Marrocos. Foi um meia esquerda leve, de extrema habilidade e ótima visão de jogo, que marcou época no futebol marroquino e africano na década de 80.

Timoumi ingressou, aos dez anos de idade, nas categorias de base do Union de Touarga, clube da homônima cidade marroquina. Em 1978, assinou seu primeiro contrato profissional com a equipe. Dotado de extrema habilidade e ótimo passe, não demorou muito a destacar-se no futebol local e despertar o interesse dos grandes clubes do país.

Em 1984, transferiu-se para o FAR – Forces Armées Royales (Forças Armadas Reais), de Rabat, um dos maiores clubes do Marrocos. Já famoso no país pelas boas temporadas no Union de Touarga, um clube de menor expressão, no FAR Rabat Timoumi brilhou definitivamente, sagrando-se campeão marroquino na sua primeira temporada na equipe e sendo eleito o melhor jogador do campeonato.

Foi 1985 o grande ano da carreira de Timoumi, com a conquista da Copa Africana dos Clubes Campeões, jogando pelo FAR Rabat. Esta é a única conquista do clube na história do principal interclubes do continente africano. As grandes e decisivas atuações nesta competição fizeram do camisa 10 um jogador conhecido por toda a África e, como prova de todo este sucesso, ganhou a Bola de Ouro como Melhor Jogador Africano de 1985. O jogador recebeu 113 votos, ficando à frente dos argelinos Rabah Madjer (45 votos) e Djamel Menad (39 votos) e do egipcio Ibrahim Youssef (39 votos).

                                           A Carreira na Seleção de Marrocos

Mohamed Timoumi foi convocado pela primeira vez para a Seleção Marroquina em 1979. Em 1980, participou da Copa Africana das Nações, disputada na Nigéria. Marrocos terminou esta competição em terceiro lugar e Timoumi foi um dos destaques da equipe. Também disputou a Copa Africana das Nações em 1988, sediada pelo próprio Marrocos, que acabou em quarto lugar.

Nosso personagem também participou dos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984. Na ocasião, Marrocos foi eliminado na fase de grupos, ao perder para Alemanha Ocidental e Brasil e vencer apenas uma partida, contra a Arábia Saudita.

ODD Shark
Marrocos_86

Foto: AFP. Seleção do Marrocos, foi a primeira da África a classificar-se para as oitavas-de-final da Copa do Mundo em 1986. Mohamed Timoumi (agachado, o quarto da esquerda para direita) era o grande organizador da equipe.

O auge com a camisa dos Leões do Atlas viria em 1986, na Copa do Mundo do México. A equipe marroquina estreou com um surpreendente empate sem gols contra a Polônia, no dia 02/06/1986. Quatro dias depois, novo empate sem gols, desta vez mais surpreendente ainda, contra a Inglaterra. Com dois pontos ganhos, os marroquinos precisariam vencer Portugal para avançar às oitavas. No dia 11/06/1986, em Guadalajara, Marrocos venceu Portugal por 3×1, com uma atuação destacada do camisa 10 marroquino. A epopéia do Marrocos naquela Copa acabaria com uma derrota ante a Alemanha Ocidental, 1×0, em jogo extremamente equilibrado. Marrocos, porém, escreveu seu nome na história como a primeira seleção da África a alcançar as oitavas-de-final de uma Copa do Mundo.


Timoumi encerrou sua carreira na seleção em 1990, após diversos jogos, entre amistosos, eliminatórias para a Copa do Mundo, Copa Africana de Nações, jogos de fase final destes torneios, Jogos do Mediterrâneo, Jogos Pan-Arabes e Jogos Olímpicos.

                                                          A Carreira na Europa

Após a excelente atuação na Copa do Mundo, Timoumi assinou contrato com o Real Murcia, que se encontrava na segunda divisão espanhola. No Murcia, Timoumi passou uma temporada, jogou 29 jogos e marcou dois gols.

Timoumi_Murcia

Foto: reprodução. Timoumi com a camisa do Real Murcia. Na equipe espanhola, 29 jogos e uma boa temporada.

Em 1987, transferiu-se para o Lokeren, da Bélgica, permanecendo dois anos na equipe e marcando cinco gols em 31 jogos. Na passagem pela Espanha, Timoumi sofreu para adaptar-se à cultura espanhola, conforme o próprio confirmou anos depois. Ainda assim, jogou a temporada regular, fazendo bons jogos e sendo destaque.


Na Bélgica, Timoumi sofreu com lesões e com o jogo de grande contato físico do futebol local. Todos esses fatores acabaram influenciando para que a carreira no futebol europeu fosse curta.

                                                   O retorno para o Marrocos

Em 1989, Timoumi retornou para o seu país, assinando contrato com o Olympique de Khouribga. Na equipe alvi-verde, o meia não conseguiu reeditar o mesmo sucesso de anos anteriores, permanecendo por lá apenas um ano.

Em 1990, nosso personagem transferiu-se para o Al-Suwaiq, de Omã, onde ficou por três anos. Apesar de não conquistar títulos no time, Timoumi reencontrou, dada a facilidade do jogo local, o bom futebol. Durante essa passagem, exibiu sua classe pelos gramados, mas já com um estilo de jogo mais cadenciado.

Em 1993, Timoumi retornou para o clube em que viveu sua fase áurea, o FAR Rabat, encerrando sua carreira em 1995, conforme havia prometido quando saiu do clube para a Europa. O ídolo voltou para os braços do seu torcedor, que certamente lembra-se com nostalgia de uma das melhores fases da história do futebol marroquino, quando Mohamed Timoumi brilhou com a camisa 10 do Marrocos.

O conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor. O Doentes por Futebol respeita todas as opiniões discordantes e tem por missão promover o debate saudável entre ideias.

Natural de Telêmaco Borba-PR e criado em meio à "boemia futebolística", com horas de papo sobre futebol, samba e cervejas na pauta. Influência do pai, que também adorava futebol, e da mãe, que sempre apoiou a iniciativa. Técnico em Eletrônica, formado desde 1999, e fanático por futebol, futsal, futebol de praia, society e todo esporte que tenha no futebol a sua essência.