Especial: Milan 2004-2005

  • por Tiago Lima Domingos
  • 4 Anos atrás

milan

Um apagão que não consagrou um grande time

O futebol é imprevisível, uma caixinha de surpresas, como diria o outro. Tal imprevisibilidade o torna apaixonante: nem sempre o melhor vence. É o caso da matéria de hoje. Falaremos do grande Milan de 2004-2005, que pelo menos no papel, foi o melhor Milan da última década, mas que ao fim da temporada não conquistou nenhum grande título.

Dida; Cafu, Nesta, Stam, Maldini; Gattuso, Pirlo, Seedorf; Kaká; Shevchenko e Crespo (Inzaghi).

Pra falar do time de 2004-2005, devemos voltar a 2003 quando a base começou a se formar. Relembremos então como foi a montagem da equipe e a chegada dos jogadores.

Dida – Chegou em junho de 2000, mas foi emprestado ao Corinthians logo depois, após falha clamorosa em jogo contra o Leeds pela Champions League. Voltou justamente para a temporada 2002-2003 depois de brilhar no Corinthians novamente.

Cafu – Chegou da Roma, de graça, na temporada do título italiano: 2003-2004

Nesta – Contratado junto a Lazio para a temporada 2002-2003. O Milan pagou € 30,5 milhões na época.

Stam – Jogou com Nesta na Lazio e reeditou a dupla no Milan. Chegou em 2004-2005. O Milan pagou € 10,5 milhões ao clube celeste.

Maldini – Como sabido de todos, formado pelo Milan, onde jogou durante toda a carreira

Gattuso – Veio da Salernitana em 1999-2000. Na época, contratado por € 9 milhões de euros.

Pirlo – Veio da grande rival Inter, onde nunca foi bem aproveitado. Na época o Milan pagou 35 bilhões de liras italianas (moeda da época). Jogando em euros; € 18 milhões. A transferência ainda foi abatida com a presença de Dražen Brnčić, que fez o caminho inverso. Num negócio que só o Milan ganhou, Pirlo chegou na temporada 2001-2002, mas o sucesso só veio na temporada seguinte, quando virou regista.

Seedorf – Outro a fazer o mesmo caminho de Pirlo. Milan e Inter acertaram a troca de Seedorf por Francesco Coco, promissor lateral esquerdo na época. O Milan mais uma vez saiu rindo do negócio. Seedorf virou ídolo do clube e Coco não vingou na carreira, a qual abandonou precocemente aos 30 anos para se tornar ator. Seedorf chegou na temporada 2002-2003.

Kaká – Chegou a preço de banana (€ 8,5 milhões de euros), como definido por Silvio Berlusconi. O então dirigente na época, o brasileiro Leonardo, foi fundamental na sua contratação. Kaká optou pelo Milan e chegou junto com Cafu para a temporada 2003-2004

Shevchenko – Depois de brilhar com o belo time do Dínamo de Kiev no final da década de 90, Shevchenko foi contratado pelo Milan na temporada 1999-2000 por € 23 milhões de euros.

Crespo – Estava no emergente Chelsea e perdeu espaço com a chegada do marfinense Didier Drogba. Crespo contava com a estima do treinador Carlo Ancelotti, com quem já havia trabalhado no Parma na década de 90. O Milan então o trouxe por empréstimo do clube londrino.

Inzaghi – Chegou na temporada 2001-2002. Contratado por 40 bilhões de liras italianas mais o passe de Cristian Zenoni. Hoje, estima-se que a transferência tenha custado algo em torno de € 37 milhões de euros.

Destrinchada a base titular é hora de mostrarmos o elenco completo e falarmos da temporada como um todo.

Elenco

elenco

Foto: Reprodução – O elenco do Milan para a temporada 2004-2005

O elenco montado para a temporada. O argentino Coloccini foi vendido ao Deportivo na janela de janeiro. Stam, Crespo e Dhorasoo foram os contratados para essa temporada.

Formação

milan 20042005

Foto: Reprodução – O grande time de Ancelotti

A formação do Milan de Carlo Ancelotti. Tradicionalmente o Milan jogava num 4-3-1-2, com Kaká fazendo a ligação com o ataque. Muitas vezes Ancelotti também escalava o Milan num 4-3-2-1, o famoso esquema árvore de Natal do treinador. Crespo era substituído por Rui Costa ou Ambrosini, quando o Milan se tornava mais defensivo.

A temporada

O título da Supercopa Italiana com show de Shevchenko

A temporada iniciava-se com grande expectativa. E não era pra menos, o Milan vinha do título nacional e montava um grande time com um elenco recheado para disputar todos os títulos. E o início foi animador. Na decisão da Supercopa Italiana, competição que reúne o campeão do campeonato nacional contra o campeão da copa nacional, o Milan aplicou um sonoro 3×0 na Lazio, com três gols de Shevchenko. Primeiro título da temporada e ânsia de uma grande época. Nos vídeos abaixo, poderão ver os três gols do ucraniano na partida:

Copa Itália

Na Copa nacional o Milan foi logo eliminado nas quartas de final pela boa Udinese de Luciano Spalletti. Jogando a competição com um time quase que reserva, Ancelotti não priorizou o título de menor importância da temporada. Antes o Milan havia eliminado o Palermo nas oitavas de final.

Na Série A, briga com a fortíssima Juventus de Fabio Capello

serie a

Foto: Reprodução – A situação final no campeonato. Apesar da distância de sete pontos, Milan e Juventus chegaram empatados com 76 pontos na rodada 35, quando a Juve bateu o Milan no San Siro na decisão antecipada do campeonato

No campeonato daquela temporada, Juventus e Milan eram os favoritos para a conquista do scudetto. O Milan era o atual campeão e havia mantido e reforçado o elenco, a Juventus já tinha um grande time e o reforçou com Emerson, que vinha da Roma, Cannavaro, da Inter e Ibrahimovic, destaque no Ajax. A Inter, do Imperador Adriano corria por fora com um elenco mais modesto.

E assim foi durante a toda temporada. Milan e Juventus disputavam rodada a rodada a ponta da tabela. No confronto direto em Turim, na 16ª rodada, empate em 0x0. Na época, a Juve liderava com 38 pontos. Os rossoneros tinham 34 e vinham de grande goleada por 6×0 sobre a Fiorentina.

O Milan foi melhor na partida e poderia ter saído com a vitória. Clique no vídeo abaixo para recordar como foi o empate.

16a rodada, Sábado 18 Dezembro de 2004, JUVENTUS 0x0 MILAN

Juventus: Buffon; Zebina, Thuram, Cannavaro, Zambrotta; Camoranesi, Emerson, Blasi (Tacchinardi), Nedved; Del Piero (Zalayeta) e Ibrahimovic.

Milan: Dida; Cafu, Nesta, Costacurta, Kaladze (Pancaro); Gattuso, Pirlo, Seedorf; Kaká; Shevchenko e Crespo.

A tônica do campeonato foi a disputa dos dois até a definição mais aguardada na 35ª rodada. Depois da rodada 35 faltariam mais três rodadas para definir o campeão e Milan e Juventus chegaram ao clássico empatados em 76 pontos. Não era lugar para erros, quem saísse vitorioso da batalha, seria o campeão da temporada. A Juventus bateu o Milan em Milão, com gol de Trezeguet em belíssima jogada de Del Piero. O Milan reclama até hoje de um pênalti de Zambrotta em Cafu.

No vídeo abaixo, os melhores momentos da decisão do campeonato de 2004-2005.

35a rodada, Domingo 8 Maio de 2005, MILAN 0x1 JUVENTUS

Milan: Dida; Cafu, Nesta, Stam, Maldini; Gattuso, Pirlo (Serginho), Seedorf (Rui Costa); Kaká; Shevchenko e Tomasson (Inzaghi).

Juventus: Buffon; Pessotto, Thuram, Cannavaro, Zambrotta; Camoranesi (Birindelli), Appiah, Emerson, Nedved; Del Piero e Trezeguet (Zalayeta).

Com a vitória, mais do que os três pontos, o lado emocional e a confiança eram todos da Juventus, que arrancou para a conquista do scudetto. O Milan empatou as três rodadas seguintes e viu os comandados de Fabio Capello ainda comemorarem o título com uma rodada de antecedência. O Milan então se dedicava completamente a final da Liga dos Campeões.

*Nota: O título da Juventus foi cassado em 2006 pelos escândalos do Calciopoli.

Champions League – O apagão

apagão

Foto: Reprodução – No intervalo de Milan 3×0 Liverpool. Era a consagração do grande time. Era?

Na campanha em 2004-2005 o Milan foi líder do grupo que tinha o Barcelona de Ronaldinho Gaúcho, o Shakthar Donetsk e o Celtic. Nas oitavas de final, eliminou o Manchester United com um duplo 1×0, com gols de Hernan Crespo. Nas quartas de final, o derby contra a Inter. Vitória de 2×0 na ida e na volta a polêmica partida do sinalizador que acertou o goleiro Dida, quando o Milan já vencia por 1×0. Na ocasião, a partida foi encerrada e o Milan declarado vencedor por 3×0.

Na semifinal encontrava o bom PSV Eindhoven, de Guus Hiddink. Na ida em Milão, 2×0 que praticamente sacramentava a ida a final. Mas no jogo da volta o Milan deu mostras do que estava por vir na final em Istambul. Na Holanda um irreconhecível time entrou em campo e foi dominado pelos holandeses que devolveram os 2×0 na ida. Acontece que um grande time como aquele possibilita tirar coelhos da cartola e num cruzamento de Kaká, Ambrosini diminuiu o placar aos 46’ do segundo tempo selando a classificação do Milan. Cocu ainda fez o terceiro no minuto seguinte, mas os rossoneros avançaram a final pelo gol marcado fora de casa.

A incrível final de Istambul

final

Foto: Reprodução – As escalações da histórica partida.

Aqui valeria um especial somente para essa que foi a final mais impressionante que assisti, mas vamos nos ater a uma breve análise. Chegava à final contra o tradicional Liverpool que vinha de eliminar Juventus e Chelsea na campanha. O Milan era melhor time, sem dúvidas, e o 1º tempo daquela partida confirmou o “favoritismo” rossonero. Uma primeira parte impecável, um banho de bola nos ingleses. Maldini abriu o placar já no primeiro minuto, e um inspirado Crespo fez o 2 e 3×0, o segundo do argentino uma pintura, diga-se. Final de primeiro tempo e uma certeza: o Milan era o campeão da Champions League 2004-2005.

depor x milan

Foto: Reprodução – O apagão de Istambul não foi novidade. Na temporada anterior o Milan caiu diante do Deportivo nas quartas de final. Após vencer a ida por 4×1, o Milan levou um 4×0 na volta e se despediu da competição

Na volta para a segunda etapa, porém, tudo mudou. O Liverpool guiado por Steven Gerrard e por uma torcida ensandecida, que (perdoe o trocadilho) nunca deixa os jogadores andarem sozinhos. Os ingleses voltaram de outra forma e tudo, absolutamente tudo deu certo dali pra frente. Em 6 minutos o Liverpool empatou a partida. Inevitável foi pensar no apagão de Eindhoven e porque não no de Corunha, onde o Milan depois de fazer 4-1 no Deportivo em 2003-2004, levou um 4-0 na volta pelas quartas de final da Champions League. Só havia um time em campo naquele momento e não era o Milan.

Na prorrogação, sem muitas emoções, um lance nunca sairá da cabeça de quem viu aquele jogo: a defesa impressionante de Dudek em chute cara a cara com Shevchenko. Estava escrito, aquele título não pertencia ao Milan. E não pertenceu. O Liverpool venceu as penalidades por 3×2 e sagrou-se campeão europeu de 2005 na final mais incrível da história do futebol mundial.

Ali, no dia 25 de maio de 2005, em Istambul, a temporada promissora que se desenhava foi enterrada com requintes de crueldade. O melhor Milan da década se despedia sem levantar nenhuma grande taça naquela época.

Dois anos depois, a maioria dos atletas pôde se vingar da derrota em Istambul. O Milan venceu a Champions League de 2007, contra o mesmo Liverpool, em Atenas. Mas jogadores como Stam, Crespo e Shevchenko não estavam mais presentes. Cafu já era reserva e Kaká viveu a melhor fase da carreira.

Jogos marcantes da temporada 2004-2005

Aqui você pode conferir uma série de jogos marcantes desse Milan citado na matéria. Basta clicar sobre a partida desejada que será direcionado para o vídeo do Youtube.

Campeonato Italiano

12/12/2004 – Milan 6×0 Fiorentina 

Seedorf 16′, 82′, Chiellini (contra) 22′, Shevchenko 52′, 73′, Crespo 61′

06/02/2005 – Milan 2×1 Lazio 

Shevchenko 72′, Crespo 90+4′ / Oddo (pen) 56′

27/02/2005 – Inter 0x1 Milan

Kaká 74′

20/03/2005 – Roma 0x2 Milan

Crespo 63′, Pirlo 71′ (pen)

UEFA Champions League

20/10/2004 – Milan 1×0 Barcelona – Fase de grupos

Shevchenko 31′

24/11/2004 – Milan 4×0 Shakthar Donetsk – Fase de grupos

Kaká 52′, 90+2′, Crespo 53′, 85′

8/03/2005 – Milan 1×0 Manchester United – Oitavas de final – Volta

Crespo 61′

06/04/2005 – Milan 2×0 Internazionale – Quartas de final – Ida

Stam 45+1′, Shevchenko 74′

26/04/2005 – Milan 2×0 PSV Eindhoven – Semi-Final – Ida

Shevchenko 52′, Tomasson 90′

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.