Comandante brasileiro em Angola

  • por Doentes por Futebol
  • 4 Anos atrás

Técnico Alexandre Grasselli é apresentado pelo Atlético Petróleos de Luanda, maior time angolano, para acabar com um jejum de quatro temporadas sem conquistar o campeonato nacional.

Alexandre Grasselli, figura importante e de destaque na base e também no profissional do Cruzeiro, atual campeão brasileiro, foi apresentado no início desta semana naquele que é considerado o maior e mais tradicional time de Angola, o Petróleos de Luanda.

Desde 2009 sem conquistar o campeonato nacional, conhecido como Girabola, o time angolano – que tem a maior torcida do país e é aquele que mais negocia jogadores com o exterior – aposta na escola brasileira e no estilo ofensivo de Grasselli para recuperar o prestígio dentro de campo. O treinador, já acostumado com grandes desafios na carreira, chegou com bastante prestígio e se mostrou muito confiante na realização de um bom trabalho, sem temer qualquer tipo de pressão. “Pressão? Ela faz parte do futebol. Acima de tudo, é necessário trabalharmos com o objetivo de termos um grupo unido e forte e depois preparar os jogadores para deles tirar sempre o maior rendimento possível”, disse o brasileiro, de 41 anos, que assinou contrato de duas temporadas, com possibilidade de renovação por mais uma.

Imagem: Reprodução | Técnico Alexandre Grasselli e sua comissão

Imagem: Reprodução | Técnico Alexandre Grasselli e sua comissão

Maior vencedor do Girabola, com 15 conquistas, o Petro investiu pesado para melhorar a estrutura do centro de treinamento e também de seu estádio. Além disso, a diretoria “petrolífera” abriu os cofres para qualificar o elenco. Grasselli, que se juntou ao grupo no último domingo, comanda a pré-temporada, em Johanesburgo, África do Sul, até o dia 31 de janeiro.

O primeiro grande desafio do treinador brasileiro é a Supertaça da Angola – jogo único dia 04 de fevereiro, entre o campeão do Girabola 2013 contra o campeão da Taça da Angola 2013 – quando enfrentará o Kabscorp.

Depois vem a fase eliminatória da Copa Nelson Mandela, que pode ser comparada com a Pré-Libertadores, com início no dia 07 de fevereiro, na Namíbia, contra African Star (jogo de ida) e com o jogo de volta acontecendo no dia 27, em Luanda, no estádio 11 de Novembro.

Já o Girabola começa no dia 21 de fevereiro (o Petra joga contra a equipe do Sagrada Familia) e se encerra no mês de novembro. O último desafio de Grasselli e de seus comandados, em 2014, será a Taça da Angola, realizada no segundo semestre.

“O futebol é feito de resultados. Estamos aqui para ajudar a equipe a vencer, mesmo sabendo que não será fácil. Mas também temos noção das nossas capacidades. Esperamos fazer aqui um ótimo trabalho”, disse Alexandre Grasselli, em entrevista ao periódico A Bola, de Portugal – país que, já há algum tempo, vem apostando e investindo no promissor mercado de futebol angolano.

Por Henrique André Silva Carmo

Comentários