Futebol Arte Marcial – Zlatan Ibrahimovic

Rebelde, esquentado, polêmico, craque. Esses são alguns dos adjetivos que podemos enumerar ao falar do homenageado da coluna de hoje.

No último dia 13, Zlatan Ibrahimovic conquistou o Prêmio Puskas, dedicado ao gol mais bonito da última temporada. A obra de arte (que entrou na eleição, por ter sido feito após o fechamento da edição de 2012) foi uma mescla de oportunismo, inteligência e arte marcial. Um amistoso contra a Inglaterra, no fim da temporada, mostrou todo o potencial do atacante. Os suecos venceram por 4×2 com quatro gols de Ibra. O último deles, de placa. Com uma acrobática bicicleta que deu números finais ao confronto.

Ibra é faixa preta em Taekwondo. Esporte que praticou durante boa parte da vida, nas horas vagas do futebol.

ibra materazzi

Foto: Reprodução | Ibra já conseguiu mandar Materazzi para o hospital

Em campo, o conhecimento das artes marciais levam Ibra a realizar lances impensáveis, que exigem flexibilidade, agilidade e força. Tais atributos não costumam ser comuns para um atleta com 1,95m de altura.

Confusões

O histórico de confusões de Zlatan é gigantesco. Brigas com Guardiola, Messi e Materazzi fazem parte de nossa literatura esportiva.

Um vídeo postado em 2010 e que conta com mais de 8 milhões de acessos mostra boa parte das expulsões do jogador, que acumula passagem por clubes gigantes: Ajax, Juventus, Inter, Barcelona, Milan e agora o PSG.

[youtube id=”2L0UaWnNUms” width=”620″ height=”360″]

Ibra foi o personagem central do Derby Milan x Inter em novembro de 2011. Na partida, o atacante fez o gol da vitória dos rubro-negros e ainda mandou para o hospital o zagueiro Materazzi após uma dividida brusca. O zagueiro passou a noite internado e voltou aos gramados sem maiores sequelas.

O DPF, através da parceria com o canal HeilRJ, já havia feito um vídeo com lances incríveis do atacante. Confira no link abaixo.

[youtube id=”_U-fXVwlDKE” width=”620″ height=”360″]

O explosivo atacante não conseguiu trazer a seleção sueca para o Mundial desse ano. Certamente será a maior ausência da Copa do Mundo. Concordam, doentes?

Comentários

Paulistano, casado e com 33 anos. Apaixonado por futebol e pelo São Paulo FC. De memória privilegiada, adora relatar e debater fatos futebolísticos de outrora. Ex-estudante de jornalismo, hoje gerencia uma drogaria no município de Barueri, além de escrever para a Doentes por Futebol.