O outro lado do “rebaixamento” são-paulino

  • por Bráulio Silva
  • 45 Visualizações

A entrevista que o goleiro Zetti deu ao canal Fox Sports ainda repercute. E mesmo 24 anos depois, os nervos ficam aflorados com o eterno debate sobre o rebaixamento ou não do São Paulo no Paulistão de 1990, inclusive em textos aqui no DPF, como o do link abaixo:

Dossiê Rebaixamento do São Paulo em 1990

Para tentar lançar luz sobre a questão, fomos às pesquisas. A maioria dos são-paulinos se prende ao famoso vídeo de PVC mostrando como era o conturbado regulamento do Paulistão de 1990 em um programa da ESPN Brasil para argumentar em favor do não rebaixamento. Recentemente, o blog “Morrinho Artilheiro” fez um levantamento e mostrou como era o Paulistão nos anos que antecederam o possível rebaixamento tricolor. Confira na íntegra o material produzido pelo blog:

________

O que aconteceu no Paulistão de 1990?

Vamos começar explicando como era o campeonato naquele ano, e quais foram os resultados, e porquê há tanta polêmica até hoje. Para entender a fórmula do campeonato de 1990, é importante olhar antes disso o campeonato anterior, de 1989.

Paulistão de 1989

A classificação final dos grupos do Paulista de 1989: o campeonato tinha dois grupos (1 e 2). Reparem que TODOS os grandes clubes (Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos) estavam no Grupo 2 – o que prova que obviamente o grupo 2 não era uma Segunda Divisão. Mas era com certeza um grupo muito mais forte que o Grupo 1. Por algum motivo (seja financeiro, seja político, nenhum de nós sabemos) a Federação Paulista de Futebol não rebaixava nenhum clube naquele campeonato –  ficou mais inchado ainda com o acesso de 2 clubes da Segunda Divisão para 1990. Portanto, aumentaram de 22 clubes em 1989 para 24 clubes em 1990.

Paulistão de 1990

Em 1990 a Federação resolveu manter várias características do campeonato de 1989:

  • Manteve 2 grupos
  • Manteve os melhores times do campeonato de 1989 todos no mesmo grupo (incluindo os 4 grandes)
  • Manteve a cláusula do regulamento que dizia que não haveria rebaixamento.

Com isso, pegaram os 12 melhores classificados do campeonato de 89 e colocaram no Grupo 1 em 1990. Os 10 piores classificados foram para o Grupo 2, e se juntaram a eles mais 2 clubes que subiram da Segunda Divisão, totalizando 12 clubes no grupo. Confira os 2 Grupos do Paulistão de 1990:  O Grupo 1, como era um grupo muito mais forte, classificava 7 times para a segunda fase, enquanto o Grupo 2 classificava 5 times. O restante dos clubes teriam que disputar uma Repescagem (que aconteceu no mesmo período da Copa do Mundo de 1990). Um desses clubes foi o São Paulo, que ficou em 8o. lugar no Grupo 1, e por isso não se classificou pra segunda fase. A repescagem, disputada por 12 clubes (2 grupos de 6), classificou mais 2 clubes pra segunda fase (somente o campeão de cada grupo), e mais uma vez o São Paulo não conseguiu a classificação – ficou em segundo lugar no grupo, e por isso foi eliminado da competição.

O Bragantino foi o campeão paulista, vencendo o Novorizontino na final. Observem que dos 24 clubes, 14 se classificaram para a segunda fase e os outros 10 foram eliminados. O regulamento dizia claramente que não haveria rebaixamento, mas já previa que o campeonato de 1991 manteria esse formato de 2 grupos – e que o um dos grupos teria os 14 times melhores classificados de 1990, enquanto os outros 10 times iriam para o outro grupo. Reparem que os times que foram muito mal em 1989 (por exemplo, XV de Jaú e o XV de Piracicaba) jogaram no Grupo 2 em 1990, e mesmo assim disputaram normalmente o campeonato, com possibilidades de chegar ao título – destaque pro XV de Piracicaba que terminou o Campeonato entre os 4 melhores, sendo eliminado apenas na Semifinal. Portanto, não podemos dizer que o XV de Piracicaba foi rebaixado em 1989, já que ele disputou o título em 1990. O mesmo viria acontecer ao São Paulo, que foi muito mal em 1990 e por isso teve que jogar o campeonato de 1991 no Grupo 2. Vamos agora responder algumas perguntas que sempre alimentaram essa polêmica.

Perguntas Polêmicas

1 – “Há um vídeo em que o Telê Santana afirma que o São Paulo foi rebaixado”

    Reparem que o Telê Santana fala: “quando eu cheguei no São Paulo, o São Paulo estava na segunda divisão do campeonato paulista” – e logo em seguida afirma também que chegou à final e foi campeão. Telê Santana chegou ao São Paulo aquele ano, e usou o termo “segunda divisão” porque o São Paulo fazia parte do Grupo 2 – grupo mais fraco, e por isso muitos chamam de segunda divisão, quando na verdade era apenas um grupo 2 da primeira divisão. Muitos fazem essa confusão, e os torcedores rivais aproveitam para taxar o grupo 2 de segunda divisão. Obviamente não era segunda divisão, caso contrário o São Paulo não teria sido Campeão Paulista naquele mesmo ano numa final contra o Corinthians.

[youtube id=”Ij19YFy4-PY” width=”620″ height=”360″]

 2 – “O São Paulo foi campeão em 1991 porque houve virada de mesa”

O que é “virada de mesa”? Usamos esse termo quando o regulamento não é seguido. Não é o que aconteceu em 90/91. Pelo contrário: o regulamento foi seguido a risca, conforme mostra o jornalista Paulo Vinícius Coelho

[youtube id=”o6wqEcmDCGY” width=”620″ height=”360″]

3 – “Em 1991 os clubes do grupo B não deveriam jogar as finais, pois era uma segunda divisão. Beneficiaram o São Paulo”

Isso é facilmente desmentido! O regulamento já era assim nos anos anteriores. Peguem os últimos colocados de 89. Exemplo: XV de Jaú. Ele ficou entre os últimos de 1989, e por isso foi pro Grupo B em 1990. E no mesmo campeonato (1990), ele se classificou pra segunda fase, com chances de disputar o título. Será que houve uma virada de mesa pra beneficiar o XV de Jaú? O fato é que o regulamento nunca mudou – ele foi não apenas seguido a risca, como foi repetido no ano seguinte.

4 – A Folha de São Paulo noticiou o rebaixamento do São Paulo

A Folha de São Paulo errou – e e podemos afirmar isso pois é facilmente desmentido. A própria Folha publicou no dia 27 de Janeiro de 1990 – data de início do campeonato – uma matéria falando sobre o regulamento, inclusive dando ênfase a sua ruindade. Na matéria é falado sobre todas as fases, os critérios de classificação, e deixa também bem explícito: “Novamente ninguém cai para a Divisão Especial”.  Basta entrar no Acervo oficial da Folha de São Paulo. Eles tem digitalizados todas as edições do jornal. Caso queiram ler a reportagem completa do dia do início do Paulistão, cliquem em: http://acervo.folha.com.br/fsp/1990/01/27/20

Facebook Comentários

Paulistano, casado e com 33 anos. Apaixonado por futebol e pelo São Paulo FC. De memória privilegiada, adora relatar e debater fatos futebolísticos de outrora. Ex-estudante de jornalismo, hoje gerencia uma drogaria no município de Barueri, além de escrever para a Doentes por Futebol.

  • facebook