Palmeiras e sua eterna saga de vexames

A derrota do Palmeiras para o Ituano surpreendeu a muitos pelo resultado. Mas o torcedor palmeirense sabe que as zebras são recorrentes e sempre dão as caras em jogos do Alviverde.
Aqui um pequeno dossiê sobre os vexames palmeirenses que nos últimos 30 anos teimam em aparecer e atormentar o clube de Palestra Itália.

Palmeiras x Inter de Limeira – Paulista de 1986

O Palmeiras amargava um jejum de 10 anos sem uma conquista de expressão. O último título havia sido o Paulistão de 76, o último da Academia comandada por Ademir da Guia. As semifinais daquele ano reuniram Corinthians e Palmeiras, de um lado, e Santos e Inter de Limeira, do outro. O Verdão chegou à final após vencer o Corinthians na prorrogação do segundo jogo. Com o Morumbi lotado nos dois jogos, o Palmeiras não conseguiu superar o time de Limeira. No primeiro jogo o placar terminou empatado em 0x0. No segundo, a Inter surpreendeu e abriu 2×0 com gols de Kita e Tato. No fim o Palmeiras diminuiu, mas não evitou a derrota. Em mais um ano de fila o clube passava pelo primeiro de uma série de vexames diante de equipes menores.

Palmeiras x Bragantino – Paulista de 1989

Comandados por Emerson Leão, o Palmeiras teve disparado a melhor campanha da primeira fase da competição e, de quebra, conquistou a Taça dos Invictos – troféu que era oferecido pelo jornal A Gazeta Esportiva – quando acumulou 23 jogos sem perder. A única derrota do time foi em Bragança Paulista, quando foram derrotados por sonoros 3×0. Somados aos dois empates diante do Novorizontino, a equipe acabou eliminada da competição e viu o rival São Paulo levantar o caneco, numa final diante do São José.

Palmeiras x Ferroviária – Paulista de 1990

Na última rodada da segunda fase, Palmeiras, Guarani e Novorizontino chegaram brigando por uma vaga na final diante do Bragantino. O time, então treinado por Telê Santana, enfrentaria, em casa, a Ferroviária – que na ocasião ocupava a lanterna do grupo. Todos os resultados ajudaram o Palmeiras. Mas o time não fez o seu papel – empatou em 0x0 e outra vez ficou de fora da decisão do Estadual.

Palmeiras x Ceará – Copa do Brasil de 1994

Com a injeção da grana da Parmalat e já com o jejum de títulos quebrado, o Palmeiras queria monopolizar o futebol brasileiro e ganhar a tão sonhada Libertadores da América. Mas a vaga para a competição Sul-Americana foi adiada quando a equipe foi precocemente eliminada diante do Ceará, na segunda rodada da competição. Jaime marcou o histórico gol dos cearenses no empate por 1×1 em pleno Palestra Itália.

Palmeiras x ASA de Arapiraca – Copa do Brasil de 2002

O ano de 2002 terminou de forma trágica para os palmeirenses, com o rebaixamento no campeonato brasileiro. Mas o primeiro semestre também não foi dos melhores. Além da eliminação esdrúxula no Rio-SP, quando a equipe caiu diante do São Paulo pelo critério dos cartões amarelos, o time de Vanderlei Luxemburgo também foi eliminado na Copa do Brasil diante do ASA de Arapiraca. Resultado que para muitos até então era o pior da história palmeirense. O Palmeiras perdeu em Alagoas por 1×0 e ganhou o jogo de volta por 2×1, sendo eliminado pelo critério de gols marcados fora de casa.

Palmeiras x Vitória – Copa do Brasil de 2003

O Palmeiras amargava a segunda divisão e reencontrava o time que selou a sua queda. No Parque Antártica o sentimento de revanche deu lugar a outro vexame. Derrota em casa por 7×2, com quatro gols de Nádson – que surgia, ali, no cenário nacional. No jogo de volta o Palmeiras ainda venceu por 3×1, mas ainda assim amargou a eliminação.

Palmeiras x Paulista de Jundiaí – Paulista de 2004

Após o retorno para a elite do futebol brasileiro, o Palmeiras disputou o Paulistão como um dos favoritos. Na semifinal a equipe encarou o Paulista de Jundiaí. No Parque Antártica parou na excelente atuação do goleiro Márcio – empate em 1×1. No jogo de volta o Paulista vencia até os 49 do segundo tempo, quando Pedrinho empatou em cobrança de falta. Mas, nos pênaltis, o time da capital acabou eliminado.

Palmeiras x Santo André – Copa do Brasil de 2004

Nas quartas de final da competição o Palmeiras tinha o amplo favoritismo contra o Santo André. Favoritismo que foi ampliado quando o time empatou em 3×3 no ABC Paulista. No jogo de volta, novamente em casa, o Palmeiras chegou a abrir 4×2 – mas cedeu o empate, ficando de fora da competição. O Santo André ficou com o título.

Palmeiras x Ipatinga – Copa do Brasil de 2007

Sem disputar as edições de 2005 e 2006, o Palmeiras voltou a Copa do Brasil em 2007 e novamente pintou uma eliminação diante de uma equipe inferior. O algoz da vez foi o Ipatinga, que eliminou o Palmeiras nos pênaltis na segunda fase da competição. Martinez, Edmundo e o lateral Amaral perderam suas cobranças.

Palmeiras x Sport – Copa do Brasil de 2008

Envolvido com a decisão do Paulistão, o Palmeiras, que novamente era treinado por Luxemburgo, caiu diante do Sport nas oitavas-de-final. Os pernambucanos arrancaram um empate em 0x0 no jogo de ida e golearam por 4×1 no jogo da Ilha do Retiro – para desespero dos alviverdes.

Palmeiras x Atlético-GO – Copa do Brasil de 2010

Jogando a segunda partida em Goiânia, o Palmeiras levou para o Serrado uma vantagem mínima de 1×0. Lá, sofreu o revés e nos pênaltis a equipe novamente desperdiçou quatro cobranças. Dessa vez os vilões foram: Danilo, Figueroa, Ivo e Cleiton Xavier.

Palmeiras x Goiás – Copa Sul-Americana de 2010

Apesar de rebaixado no Brasileirão de 2010, na Copa Sul-Americana o Goiás seguia em frente – ainda que numa campanha aos trancos e barrancos. Nas semifinais em dois jogos o Palmeiras tinha o favoritismo. Em Goiânia, vitória dos paulistas por 1×0. No jogo de volta, com o Pacaembu lotado, outra vez a zebra deu as caras. Derrota por 2×1 dos comandados de Felipão e, novamente, a eliminação por gols marcados fora de casa.

Palmeiras x Coritiba – Copa do Brasil de 2011

Chegando como favorito ao confronto, o Palmeiras foi ao Couto Pereira para a primeira partida e saiu de lá praticamente eliminado – derrotado por 6×0. E mais um vexame no currículo.

Palmeiras x Mirassol – Paulista de 2013

Amargando outro rebaixamento, novamente o Palmeiras acabou goleado e surpreendido por uma equipe inferior. Dessa vez o time foi goleado pelo Mirassol, por inapeláveis 6×2. Resultado que balançou Gilson Kleina no cargo. Para piorar, o Mirassol acabou o campeonato como um dos rebaixados.

Palmeiras x Tijuana-MEX – Libertadores 2013

Em crise após a goleada do Mirassol e depois de uma briga com a torcida no aeroporto da Argentina, o Palmeiras contrariou as previsões e avançou de fase na competição mais importante de nosso calendário, a Libertadores da América. Como líder de seu grupo, o Verdão teve a ingrata missão de encarar os mexicanos do Tijuana – pois, além da longa distância, o confronto também envolvia um jogo em grama sintética. No México, com Bruno inspirado, um empate em 0x0 deixou o clube bem perto da classificação. Só que no Pacaembu o Palmeiras abusou dos erros – inclusive com um frango do herói do jogo de ida – o Tijuana venceu e eliminou o Palmeiras da competição.

Como podem ver, derrotas como a do Ituano no último fim de semana são recorrentes na história do Palmeiras e ainda poderíamos citar a derrota para o Vasco, na final da Copa Mercosul em 2000, quando o Palmeiras terminou o primeiro tempo vencendo por 3×0 e acabou derrotado por 4×3, ou então a sequência de resultados negativos no Brasileirão em 2009, que tirou o time do topo e o deixou inclusive de fora da Libertadores do ano seguinte.

Comentários

Paulistano, casado e com 33 anos. Apaixonado por futebol e pelo São Paulo FC. De memória privilegiada, adora relatar e debater fatos futebolísticos de outrora. Ex-estudante de jornalismo, hoje gerencia uma drogaria no município de Barueri, além de escrever para a Doentes por Futebol.