William Carvalho, a nova revelação leonina

OLHO NELE, WILLIAM CARVALHO

(Atualização em 01/07/2015)

Eurocopa Sub-21: Afirmação e reconhecimento do talento leonino

WILLIAM SITE

E William Carvalho segue a firmes e largos passos – tal qual seu estilo em campo – para se tornar um excelente volante no futebol de alto nível. O português foi eleito o melhor jogador da Eurocopa Sub-21 2015, em votação feita pelos observadores técnicos da UEFA. O prêmio é bastante significativo, primeiro em se tratar de premiar a um jogador cuja principal preocupação é defensiva e de construção do sistema de jogo de uma equipe, e nesse papel o jovem foi excepcional por sua seleção. A cria do Sporting, clube grande produtor de talentos do futebol português, junta-se a uma lista com nomes de peso como Luis Figo, Juan Mata, Andrea Pirlo, Petr Cech e Thiago Alcântara, indícios e mais indícios de uma carreira brilhante pela frente para o jogador.

William disputou todos os minutos possíveis (480) e foi o jogador a passar a bola mais vezes na competição (394 tentativas de passe), obtendo uma ótima taxa de acerto (89% de acerto de passes). Além de tudo, o jogador cometeu apenas 03 faltas em 05 partidas disputadas no torneio, o que mostra que um volante de qualidade não precisa ser “porradeiro” para dominar seus adversários. Sua exibição em jogos como a goleada de 5 x 0 sobre a Alemanha demonstram a qualidade e dominância física, técnica e mental do jogador no meio-campo:

Não é à toa que o valor de mercado do português só cresce:

Capture

Fonte: http://www.transfermarkt.com/william-carvalho/marktwertverlauf/spieler/100131

William Carvalho demonstra ter tudo o que um futebolista de alto nível necessita – ainda mais um volante moderno: força física, explosão muscular, altura, técnica apurada com a bola nos pés, posicionamento / boa noção de decisão das jogadas e mentalidade competitiva para disputar seu espaço em campo.

Saiba mais sobre este promissor português que tem tudo para ser vendido caro pelo Sporting:

Por O Futebólogo

A temporada 2013/2014 tem sido fantástica para o Sporting CP. Terceira força de Portugal, ao menos em conquistas, os Leões conseguiram se reestruturar e hoje ocupam a segunda colocação do campeonato nacional, sete pontos atrás de Benfica e oito à frente do Porto. Sem conquistar a Liga Portuguesa desde 2001/2002 e sem levantar uma taça desde 2008, o clube parecia ter entrado num processo de arrefecimento lento, gradual e irreversível. Contudo, apostando na sua melhor receita – as categorias de base – o time está em franca recuperação e um dos principais responsáveis por isso é o excelente volante William Carvalho.

william jovem

Foto: Reprodução

Nascido em Luanda, na Angola, o “trinco” (forma com a qual os portugueses se referem a seus volantes) é Sportinguista de nascença e tem tido destaque em seu país desde a mais tenra juventude. Com 13 anos, William jogava da modestíssima equipe juvenil do Mira Sintra – detalhe, a categoria abrangia jogadores de até 15 anos. Disputado pelos rivais Benfica e Sporting, teve a possibilidade cristalina de assinar com os Encarnados, mas preferiu o lado alviverde da rivalidade, como confirmou reportagem do site maisfutebol.iol.pt.

Desde então, o jogador passou a ser uma das maiores esperanças do clube Lisboeta que já revelou ao mundo nomes como Luis Figo, Cristiano Ronaldo, Nani, Ricardo Quaresma, João Moutinho e Miguel Veloso. Destaque nas seleções sub-17, 18, 19, 20 e 21 de Portugal – nação que optou por defender – o elegante jogador precisou passar por um período de maturação antes de assumir o posto já reservado para ele. Primeiro foi emprestado ao Fátima e depois passou uma temporada e meia na Bélgica.

Defendendo as cores do humilde Cercle Brugge, o “primo pobre” da cidade de Brugges, William Carvalho começou a se adaptar ao ritmo do futebol profissional. Em 52 jogos, marcou três gols e deu três assistências.

De volta a Lisboa e sob o comando de Leonardo Jardim, um dos principais responsáveis pelo renascimento leonino junto com o presidente Bruno de Carvalho, juntou-se à outras revelações da equipe, como Eric Dier, Cedric Soares, Adrien Silva, André Martins e Carlos Mané, e conseguiu ganhar espaço.

Foto: Reprodução | Novo Vieira? Só o tempo dirá se a comparação procede.

Foto: Reprodução | Novo Vieira? Só o tempo dirá se a comparação procede.

Apresentando um estilo de jogo associado ao apresentado pelo fantástico e clássico Patrick Vieira, campeão mundial com a França em 1998, o volante é alto (1,87m), tem muita força física, passe privilegiado e muita eficiência nas interceptações e desarmes. Além disso, tem bom posicionamento. Na temporada, tem 36 jogos e seis gols. Ademais, ganhou vaga na seleção principal e conta com a admiração do treinador Paulo Bento, que, ao justificar sua convocação disse:

“Tem a ver acima de tudo com a qualidade do jogador e com o rendimento que ele tem tido (…) E tem a ver também com a sua estatura, pode ser um jogo influente no jogo aéreo.”

Tanto destaque garantiu, nesta temporada, quatro prêmios de melhor jogador do mês em Portugal, referentes a outubro, novembro, dezembro e março. Hoje, William está na mira de muitos clubes europeus e, conforme uma lista que Paulo Bento “esqueceu” num restaurante, estaria entre os selecionados para a Copa do Mundo deste ano. Barcelona e Real Madrid – que segundo notícias desejaria ou o Sportinguista ou o francês Paul Pogba – estariam no páreo pela contratação do jovem. Entretanto, ele tem sido mais ligado a uma transferência para o Manchester United, que também teria ganhado a concorrência do Manchester City.

Doentes, é bom ficar de olho no português. Aos 22 anos, apresenta futebol refinado e é reverenciado por muitas equipes. Apesar de declarar-se feliz no Sporting, William não nega o sonho de jogar numa liga mais forte, como disse ao jornal oficial da equipe. Considerando a velocidade com a qual tudo tem acontecido em sua vida, essa é uma realidade para um futuro breve.

Confiram lances de promissor meio-campista na partida contra o Porto em 27 de outubro de 2013:

;

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 25 anos. Admito minha preferência pelo futebol bretão, mas aprecio o esférico rolado qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Estou também no O Futebólogo e na Revista Relvado.