Luisito Suárez é o futebol

  • por Leandro Lainetti
  • 3 Anos atrás

Cada jogo tem sua história. Cada competição tem suas páginas escritas por diversos personagens. Uns são mais escritores que outros, preenchem mais folhas, aparecem mais. Nem sempre é uma questão de escolha, é simplesmente um dom, um talento especial. Protagonistas, coadjuvantes, heróis, vilões. No futebol, o revezamento nestes papéis é constante, às vezes indo de um extremo ao outro no intervalo de uma única partida. Mas há um certo jogador que é capaz de viver todos os personagens quase que ao mesmo tempo: Luisito Suárez.

Ninguém nasceu para estar tão espontaneamente nos holofotes de um jogo como ele. Não importa o estádio, o adversário, a competição ou a camisa que esteja vestindo, Suárez é, e talvez seja enquanto correr pelos gramados, o centro do universo nos 90 minutos de uma partida. Do outro lado, podem estar Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo, que olharemos para o uruguaio. E o motivo é óbvio, como dito acima: Luisito encarna qualquer papel com o mesmo brilho no olhar, doa a quem doer.

Em 2010, quando foi goleiro durante o interminável segundo que definiu o destino da classificação Celeste nas quartas de final contra Gana, o jogador do Liverpool se despiu ao mundo. Foi expulso e, na entrada do túnel de acesso aos vestiários, vibrou como um enlouquecido torcedor quando Gyan isolou a penalidade máxima. Vilão e herói ao mesmo tempo, lembram?

No primeiro jogo do Uruguai na Copa do Mundo de 2014, Campbell, jovem atacante da Costa Rica, protagonizou o jogo. Suárez, voltando de lesão, nem entrou em campo. E foi o coadjuvante nos comentários após a partida, nos fazendo imaginar o que teria acontecido caso tivesse jogado.

No jogo contra a Inglaterra, um mês depois de operar o joelho, lá estava ele, pronto para esfregar a resposta em nossas caras. Ficou na dele, pouco apareceu, mal teve o nome falado. E quando nos demos conta, estava marcando os dois gols da Celeste num jogo de vida ou morte. Protagonista e coadjuvante de uma partida para a outra. Podemos dizer, e vocês irão concordar, que o centroavante também foi herói e vilão. Tantas vezes herói dos torcedores do Liverpool, hoje Suárez encarnou o outro papel para eles, ou não?

Decisivo: Suárez comemora o segundo gol contra a Inglaterra | Foto: Divulgação FIFA

Decisivo: Suárez comemora o segundo gol contra a Inglaterra | Foto: Divulgação FIFA

O futebol é feito de histórias, personagens, jogadores que ficarão marcados em nossas memórias para sempre. Quando falarmos de um time, uma competição, um jogo, lembraremos deles. E Luisito Suárez sempre estará lá, passeando pelas páginas – principalmente da Copa do Mundo – e nos fazendo recordar que incrível jogador ele era.

Talento, raça, gana, coração, emoção. Herói, vilão, protagonista e coadjuvante. Uma lenda.

Se tivesse que ser personificado com todos os seus ingredientes em uma única pessoa, o futebol seria Luisito Suárez. Assim não nos faltaria nada.

Comentários

Jornalista trabalhando com marketing, carioca, 28 anos. Antes de mais nada, não acredito em teorias da conspiração. Até que me provem o contrário, futebol é decidido dentro das quatro linhas. Mais futebol nacional do que internacional. Não vi Zico mas vi Romário, Zidane, Ronaldinho, Ronaldo. Vejo Messi e Cristiano Ronaldo. Totti é pai.