DOENTES POR FUTEBOL

Surpresas marcam início da Eredivisie 2014/2015

Até o momento, quem manda na Eredivisie é o PSV Eindhoven: sete vitórias em nove jogos (Foto: Getty Images)

Até o momento, quem manda na Eredivisie é o PSV Eindhoven: sete vitórias em nove jogos (Foto: Getty Images)

Após nove rodadas e 27 pontos disputados, podemos dizer que a 59ª edição da Eredivisie começou com algumas surpresas. Algumas boas, outras nem tanto. Na parte de cima como também na de baixo da tabela, equipes tiveram um início bem fora do esperado.

ODD Shark

Começando pelo topo. Diferentemente do que muitos pensam, não, o líder do Holandesão não é o Ajax, atual tetracampeão nacional. Com 21 pontos conquistados, o PSV Eindhoven tem mostrado a todos que, dentre os grandes holandeses, foi quem mais se saiu fortalecido após a Copa do Mundo e pré-temporada.

Mesmo tendo perdido um dos destaques do Mundial, Bryan Ruiz – que retornou ao Fulham após empréstimo de uma temporada -, outro nome de destaque tem dado conta do recado: com cinco gols anotados e uma assistência, Memphis Depay tem sido, até com facilidade, o principal jogador dos camponeses. Outras gratas surpresas são Adam Maher e o renascido Luuk de Jong que, juntos, marcaram oito gols e distribuíram quatro assistências. Foram, até então, sete vitórias e duas derrotas no campeonato.

Depay, De Jong e Maher: trio do PSV Eindhoven tem funcionado muito bem neste começo de campeonato

Depay, De Jong e Maher: trio do PSV Eindhoven tem funcionado muito bem neste começo de campeonato (Foto: Getty Images)

Quatro pontos atrás do líder aparece ele, o Ajax, com 17 pontos em sua conta. Após início irregular, com vitórias em cima de Vitesse e AZ Alkmaar, derrota para o Groningen e um atropelo sofrido diante do líder PSV, pelo placar de 3 a 1, jogando em casa, um clima de desconfiança se instalou entre os comandados de Frank de Boer.

Porém, um empate contra o PSG na Champions League e uma vitória contra o maior rival, Feyenoord, dentro do De Kuip, ensaiaram uma possível reação dos Godenzonen, até que dois novos tropeços, contra Zwolle e Twente, o deixaram longe do líder. O momento é de instabilidade, mas nada está perdido para o atual campeão nacional. Já vimos o Ajax dar diversas arrancadas e, pensando friamente, a desvantagem com relação ao líder ainda não é descomunal.

No terceiro lugar, a grande surpresa do campeonato até então. Quem esperava um Cambuur Leeuwarden pacato e sem incomodar ninguém, por enquanto, tem se enganado redondamente. O time do norte holandês tem adotado uma boa estratégia: tendo consciência de suas diversas limitações, sua mentalidade é a de conquistar três pontos dentro de casa e um fora. Ousada, mas que tem dado certo, com exceção do massacre de 4 a 0 sofrido diante do PSV no Philips Stadion.

Com seis gols anotados, Bartholomew Ogbeche é o grande destaque do Cambuur Leeuwarden até então (Foto: Getty Images)

Com seis gols anotados, Bartholomew Ogbeche é o grande destaque do Cambuur Leeuwarden até então (Foto: Getty Images)

A pergunta que fica é: será que eles terão fôlego para, pelo menos, lutar por vaga direta na próxima Europa League? Embora o começo tenha sido muito interessante, vale lembrar que o Cambuur enfrentou apenas dois times considerados difíceis: o Twente (empate por 1 a 1 em casa) e o atropelo contra o líder. Até então, uma coisa é fato: a saída de Dwight Lodeweges tem feito muito bem ao time de Leeuwarden.

Um que tem tentado adotar a postura do Cambuur é o Zwolle, porém, não tem a seguido tão ao pé da letra: em casa, belas vitórias, derrotando inclusive o líder PSV por 3 a 1. Já fora, um ótimo empate sem gols contra o Ajax e três derrotas, sendo elas para o Go Ahead Eagles, AZ Alkmaar e NAC Breda. Dois dos três tropeços fora poderiam ser evitados, mas isso não tira o mérito dos Blauwvingers, que aparecem no quatro lugar da tabela e o tornam outra surpresa do campeonato.

Completando o trio de ferro da Holanda, o Feyenoord, sem Pellè e sem Koeman, segue sem rumo. Pelo menos na Eredivisie, onde ainda não conseguiu se encontrar: quatro vitórias, dois empates, três derrotas e um melancólico oitavo lugar. Quem faz campanha similar é o Vitesse, com o mesmo número de pontos que os Rotterdammers.

Hoje brilhando no Southampton, dupla Pellè & Koeman tem feito falta ao Feyenoord

Hoje brilhando no Southampton, dupla Pellè & Koeman tem feito falta ao Feyenoord (Foto: Getty Images)

Na segunda metade tabela, mais duas surpresas: a primeira delas é o recém-promovido Willem II, de Bruno Andrade, entrevistado recentemente pelo Doentes por Futebol. Taxado como um candidato seríssimo a saco de pancadas na temporada, o time de Tilburg tem se mostrado guerreiro e vai sobrevivendo como pode: em casa tem se mostrado agressivo, conquistando nove dos seus 12 pontos, enquanto fora, joga fechadinho. Seu grande (e único) trunfo fora do seu campo foi contra o Feyenoord, quando venceu por 2 a 1. Aparece na 12ª colocação, cinco pontos à frente do ADO Den Haag, primeiro na zona dos playoffs para o rebaixamento.

Após pesadas baixas sofridas na defesa, o Heracles Almelo tem mostrado que sentiu o golpe: nas nove rodadas passadas, venceu apenas uma partida – quando aplicou uma sonora goleada por 6 a 1 em cima do NAC Breda. O início dos Almelöers não deixa de ser bem ruim, mas nem tudo está perdido para eles: Dordrecht, Den Haag e o próprio NAC não conseguem engatar qualquer sequência e os fazem companhia na zona maldita do nacional.

A temporada do Campeonato Holandês está apenas começando e ainda tem muito para acontecer. Todavia, diferentemente dos últimos anos, neste parece que teremos uma briga boa entre PSV Eindhoven e Ajax pelo Prato de Prata. Esta briga poderá ganhar mais um belo tempero caso o irregular Feyenoord não passe de fase na Europa League e por consequência engate uma reação no nacional. Sem um time para concorrer de igual para igual na competição continental, convenhamos que seria até bom caso isso acontecesse.

O conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor. O Doentes por Futebol respeita todas as opiniões discordantes e tem por missão promover o debate saudável entre ideias.

Estudante de Jornalismo. Foi editor de futebol alemão e holandês na VAVEL Brasil e cofundador da VAVEL Portugal. É blogueiro do Bayern no ESPN FC (projeto da ESPN Brasil) e completamente Doente por Futebol.