Quando um meia de poucas palavras basta

  • por João Almeida
  • 58 Visualizações

Depois de uma temporada disputando a Serie B, o Palermo retornou à Serie A na temporada 2013/2014. Por ter que jogar em uma competição mais complicada, uma certa reformulação no elenco era necessária. Hoje, já na elite do futebol italiano, os rosaneri fazem excelente campanha para um time recém-promovido, estando na briga por uma vaga na próxima edição da Liga Europa.

O sucesso do time na atual temporada se dá muito por conta da reformulação ocorrida no ataque, justamente um dos setores mais fortes do time na campanha do acesso – na qual teve o segundo melhor ataque da competição. Para fortalecer a linha de frente, a diretoria do clube se desfez dos seus dois principais artilheiros na competição: Abel Hernández (14 gols) e Kyle Lafferty (11). E só.

Apostas internas

É bem verdade que o dinamarquês Simon Makienok e o português João Silva foram contratados, mas apenas para compor o elenco – tanto que até agora nenhum deles começou como titular em algum jogo e somam apenas 5 aparições em campo. Todavia, o técnico Giuseppe Iachini resolveu ousar ao apostar em peças menos aproveitadas do próprio plantel remanescente. E hoje colhe os frutos disso.

Andrea Belotti, então décimo segundo jogador, se manteve neste papel e segue fazendo seus gols mesmo sem começar a maioria dos jogos. Paulo Daybla, muitas vezes titular, mas sem corresponder o que há muito se esperava dele, ganhou o status de titular absoluto e estrela da equipe – e hoje é a grande sensação da temporada na Itália. Já Franco Vázquez, no clube desde 2012, mas sem receber grandes oportunidades, foi alçado a companheiro de Dybala.

E, mesmo ofuscado pelo brilho de seu parceiro de frente, vai comendo pelas beiradas e se mostrando a peça-chave no esquema do técnico e na ascensão da grande estrela da equipe.

Do ostracismo ao topo em uma temporada

Aos 25 anos de idade, Vázquez vive o melhor momento na carreira. Conhecido como El Mudo, devido às suas poucas palavras fora de campo, o meia foi contratado em 2012 junto ao Belgrano, da Argentina, como um possível substituto de Javier Pastore.

Contudo, não vingou na Itália e chegou a ser emprestado para o Rayo Vallecano, da Espanha, no qual também não teve espaço. Estava prestes a voltar para a Argentina quando Iachini chegou ao clube e, ainda na Serie B, o avisou que seria aproveitado sob seu comando.

Ágil apesar de sua estatura (o ítalo-argentino mede 1,87m), é hoje o líder de dribles por jogo na Serie A e também o melhor do campeonato em termos de assistências, empatado com Antonio Candreva, da Lazio.

https://www.youtube.com/watch?v=iJjzvqZHO6c

Somados aos sete passes para gol estão seis gols marcados, mesmo jogando na maior parte das vezes nos três quartos do campo. Franco tem um chute potente e costuma arriscar de fora da área constantemente.

Podendo jogar como trequartista, segundo atacante ou até segundo volante (às vezes é mais recuado para que Dybala forme a dupla de ataque com Belotti), ele agora chama a atenção de Antonio Conte, que já acenou com a possibilidade de convocá-lo. Filho de mãe italiana, o argentino agora não descarta defender as cores do país com o qual viveu tantos conflitos até se estabelecer de forma tardia.

O início de uma parceria

Por mais que os onze gols e seis assistências de Dybala destoem, o jovem atacante deve muito de seu desempenho ao seu compatriota. Depois de algum tempo sendo considerado uma eterna promessa, Paulo se encontrou sob o comando de Iachini e ao lado de Vázquez. Jogando na maior parte das vezes sozinho no comando de ataque, mas com o companheiro um pouco atrás, ele se encontrou e agora chega a ultrapassar as expectativas depositadas sobre ele.

O entrosamento da dupla é tamanho que mais de um terço dos gols marcados por Dybala foram assistidos por Vázquez, enquanto exatamente um terço dos tentos do segundo saíram após passe de seu companheiro. Dois jogadores até então esquecidos, quando aliados, começaram uma dupla que caminha para ser memorável para os tifosi rosaneri. A dupla dinâmica do Palermo é diretamente responsável por 49% dos gols da equipe no Calcio.

E, enquanto se fala muito de Paulo, pouco se fala de Franco. Mas aos diversos clubes dispostos a abrir os cofres por La Joya cabe a reflexão sobre sua futura companhia. Hoje é fato: ele não seria o mesmo sem seu tímido companheiro, de também tímido – porém efetivo – futebol.

Show contra o Napoli (atualização em 19/02/2015)

E mais uma vez a dupla Dybala-Vázquez ajudou o Palermo a conquistar pontos importantes no Calcio.

https://www.youtube.com/watch?v=ais8lF3sgZk

E mais uma vez com excelente participação do argentino menos badalado. Vázquez deu assistência e marcou gol contra o atual terceiro colocado da Serie A. Destaque para a belíssima jogada tramada por Dybala completada pelo excelente raciocínio de Vázquez ao ajeitar de cabeça para Rogoni definir a vitória:

https://www.youtube.com/watch?v=p8tZfKGXzEk

Facebook Comentários