Cinco candidatos ao protagonismo na Seleção sem Neymar

A derrota para a Colômbia na Copa América mostrou à Seleção o nível de crédito que foi dado à série invicta de dez amistosos e um jogo oficial contra o Peru: zero. Nada mais compreensível: depois de sofrer o maior vexame de uma equipe em qualquer esporte, o futebol brasileiro passou por mudanças meramente formais até aqui. Por isso, a desconfiança do torcedor está maior do que jamais foi. E enquanto isso não for mudado, qualquer resultado negativo servirá para apurar esse amargor. Ainda mais quando se tratar de derrotas como a desta quarta-feira, que complicou a vida brasileira na Copa América e colocou a nação diante da mesma pergunta que precedeu o fatídico Mineirazo: o que será do Brasil sem Neymar, de fora novamente na hora fatal?

Neymar-Nike-Green-Summer

Essa sensação de insegurança, descrença e enorme dependência do principal craque do time ajudou a disseminar no país a ideia de que essa é uma geração “fraca”. O que pode até ser verdade quando comparamos a atual safra com algumas das cinco versões campeãs da Amarelinha. Vêm à memória equipes com genuínos craques em quase todos os setores do time. Abundância de talento, gols, ídolos e taças. Ladeada a essas vencedoras seleções, patrimônios culturais não só do Brasil, como do mundo, a atual realmente deixa um pouco a desejar. Para dizer o mínimo (e encerrar o parágrafo antes que as lágrimas escorram…).

Mas deixando esse saudosismo um pouco de lado e olhando ao redor, a percepção desse contexto se altera. Quem acompanha os campeonatos de elite, tanto da América do Sul quanto da Europa, sabe: ainda há brasileiros entre os principais destaques do futebol mundial. E não são poucos. Infelizmente, é algo que nem as convocações de Dunga, nem as atuações de seu time refletem de maneira fiel. Mas que fica comprovado ano após ano, nas principais competições do planeta. E boa parte desses talentos não são meros coadjuvantes em seus times. Decidem partidas. Pois bem, agora chegou o momento de provar que também são capazes disso com a camisa da Seleção.

Talvez pela esmagadora liderança técnica de Neymar, esses atletas vinham tendo poucas oportunidades de mostrar esse lado protagonista. Mas se o que faltava era uma chance de assumir essa responsabilidade, agora não falta mais: o capitão está suspenso por, pelo menos, duas partidas. E fazer com que ele volte a atuar ainda nesta Copa América (se não tomar um gancho ainda maior) só depende de que os jogadores de mais qualidade nesse grupo surpreendam os incrédulos e machucados torcedores brasileiros. Mostrem o talento que os faz se destacar semanalmente. E provem que a atual Seleção, tida como “time de um craque só”, também tem potencial para escrever páginas bonitas dessa história centenária.

Os candidatos

Willian

WILLIAN SALVA

Titular absoluto do Chelsea e do Brasil, o meia vive o melhor momento de sua carreira aos 26 anos de idade. Apesar de ser um jogador extremamente valorizado no mercado – já movimentou quase £ 75 milhões em transferências -, ele se destaca mais tanto na Seleção quanto no time londrino pela entrega e por seu comprometimento tático.

Por isso, o que chama mais atenção em seu currículo não é o número de gols marcados, mas sim o número de taças erguidas ao longo da carreira: são duas com a camisa do Chelsea e treze pelo Shakhtar Donetsk. Mas não é por esse histórico vitorioso que ele pode decidir: dentro de campo, Willian é um jogador insinuante, inteligente e de drible rápido, o que o torna capaz de criar lances de perigo ao menor vacilo do adversário.

;

Roberto Firmino

FIRMINO SALVA

O início da trajetória de Firmino com a camisa canarinha não podia ter sido melhor. Foram três gols decisivos em seis partidas com a Seleção. Mas talvez por ser ainda desconhecido do grande público, sua imagem saiu bastante arranhada do jogo contra a Colômbia, quando perdeu uma chance com a barra aberta.

https://www.youtube.com/watch?v=tzkQesxgzys

Apesar disso, Firmino segue sendo a melhor alternativa para o ataque brasileiro. Seu desempenho nas últimas duas temporadas prova isso: jogando pelo Hoffenheim, equipe da qual vem sendo a principal referência, ele atuou em 73 partidas, marcou 32 gols e deu 28 assistências.

https://www.youtube.com/watch?v=IzS5d8eug-Y

Números expressivos, que têm provocado uma competição acirrada entre os principais clubes da Premier League pela sua contratação.

;

Phillipe Coutinho

COUTINHO SALVA

O talentoso meia acaba de se tornar o segundo brasileiro na história a figurar na seleção de uma temporada da Premier League – competição tida por muitos como a mais disputada da Europa. Mesmo jogando por uma equipe que teve uma campanha muito abaixo do esperado, Coutinho brilhou. Faturou nada menos do que quatro troféus na premiação anual do Liverpool: levou os prêmios de gol e atuação da temporada, além de ser escolhido o melhor da jogador do time na temporada pela torcida e pelos companheiros.

https://www.youtube.com/watch?v=V1LmMuaJH4Y

Em termos de bola no pé, ele provavelmente é a grande alternativa à ausência de Neymar na Seleção. Não joga na mesma posição do capitão, mas tem inteligência para desmontar qualquer defesa com passes calibrados, além de um gosto cada vez maior pelo gol. Ainda não mostrou todo o seu potencial nas poucas oportunidades que teve com a Amarelinha, mas pela forma que vem mostrando na Inglaterra, isso parece ser questão de tempo. Quem sabe não chegou a hora?

;

Douglas Costa

DOUGLAS COSTA SALVA

Ilustre anônimo para boa parte da torcida brasileira, Douglas deixou o Grêmio ainda muito jovem rumo ao futebol ucraniano. No Rio Grande do Sul, era apontado como uma verdadeira jóia. Uma visão compartilhada por ninguém menos que José Mourinho, que insistiu em sua contratação na última janela de transferências, em janeiro. Mas o Shakhtar Donetsk, conhecido por ter pulso firme e segurar seus atletas, não deixou o meia sair.

https://www.youtube.com/watch?v=0vXMjWyrGy0

Dentro de campo, Douglas vem se mostrando cada vez mais próximo das altas expectativas que o acompanham desde cedo. Nas últimas duas temporadas, foi titular absoluto e participou de 33 gols, sendo 12 tentos e 21 assistências. Pela Seleção, deu seu cartão de visitas fazendo um bom amistoso contra Honduras e marcando o gol da vitória sobre o Peru. É outro que tem recursos para definir a partida na base da individualidade.

;

O fator surpresa: Robinho

ROBINHO SALVA

Sim, ele mesmo. Robinho e seu indefectível pandeiro terminaram conseguindo um espaço na lista de Dunga para a Copa América. Não dá para dizer que foi à toa: o eterno camisa 7 da Vila vem sendo o principal jogador do time que fez campanha aceitável no último Brasileiro e conquistou o título paulista no início de 2015. Mesmo assim, sua convocação foi uma das mais questionadas pelos torcedores (menos os santistas) antes do torneio.

Só que nesse momento de interrogações em torno de como o time vai se comportar sem Neymar, Robinho é uma das poucas certezas na cabeça do técnico gaúcho. Sua confiança em Robinho é plena. Juntos, os dois conquistaram títulos com a Seleção, e o jogador sabe exatamente o que Dunga espera dele. Além disso, joga na mesma posição do suspenso capitão. Por isso, é um dos mais cotados à vaga em aberto. E se ele aparecer para resolver a classificação às oitavas, não terá sido a primeira vez…

Comentários

Jornalista recifense, sócio-diretor do Doentes por Futebol, editor da Revista Febre. Curioso observador de tudo o que cerca o futebol brasileiro e internacional.