A hora da verdade para Neymar

  • por Victor Mendes Xavier
  • 3 Anos atrás

A lesão de Messi caiu como uma bomba no ambiente barcelonista. Sem seu principal astro, Luis Enrique irá necessitar mais do que nunca de um nome em especial: Neymar. Mais do que Suárez, o brasileiro tem uma aura de protagonista, decisão e técnica que, no fundo, fez o clube tirá-lo do Santos buscando um “segundo Messi” no elenco. Obviamente, o argentino é insubstituível e único. Mas Ney tem condições de ser um líder provisório do Barça.

Luis Enrique sabe disso. Há duas semanas, no duelo contra o Atlético de Madrid, quando Messi começou no banco, o espanhol encarregou o camisa 11 de liderar o sistema ofensivo. Ney, teoricamente, partiu da ponta esquerda, mas, sem o dez, ganhou ainda mais liberdade de movimentação. Seus movimentos à medular, tal qual Messi, foram maiores, a parceria com Iniesta ficou mais evidente e o jogo entre linhas deixou a dupla de zaga colchonera desconfortável.

Nas próximas semanas sem o 10, Lucho estuda mudar o sistema, pelo menos momentaneamente. De acordo com uma publicação do Mundo Deportivo, o asturiano pretende deixar o 4-3-3 de lado para formar um 4-4-2 com um meio-campo mais povoado: Mascherano e Busquets no doble-pivote; Iniesta e Rakitic abertos pelos flancos. Dessa forma, Neymar e Suárez se moveriam por todas as partes do ataque. Melhor para Ney, que teria a opção de dialogar com os meias sem necessariamente ter que cumprir funções de ponta. Mais próximo do gol, é quase certo que ele irá brilhar.

Neymar terá dois meses para mostrar sua verdadeira dimensão futebolística, que é maior do que a desfrutada até agora no Barcelona. Olho nele.

Comentários

Jornalista, carioca e apaixonado pela Liga Espanhola desde a época em que Rivaldo, Zidane, Figo e Raúl foram seus professores. Colaborou para o programa [email protected] da Rádio Globo São Paulo falando sobre o futebol do país das touradas. Repórter da Super Rádio Tupi.