Os passos do ainda jovem Lukaku

Por Saimon Mryczka e Wladimir Dias

Destaque no Everton, Romelu Lukaku chama a atenção desde os 16 anos, idade com a qual estreou profissionalmente, vestindo a camisa do Anderlecht. Comparado a Didier Drogba, de quem é ídolo declarado, o belga chegou à Inglaterra aos 18 anos e viveu diferentes sensações, com a falta de oportunidades no Chelsea, a ascensão no West Bromwich e a afirmação no Everton. Apesar da juventude, não há dúvidas: Lukaku já tem histórias para contar.

Anderlecht: o começo de tudo

Foto: RSCA.be

Foto: RSCA.be

Um dos mais precoces talentos a aparecer no futebol nos últimos anos, Romelu Lukaku chegou ao Anderlecht, clube onde se profissionalizou, aos 13 anos, após períodos nos modestos Rupel Bloom, KFC Wintam e Lierse. Um “tanque” desde que se tornou atleta, o belga sempre chamou atenção pelo estilo de jogo, por vezes trombador e, em outros turnos, dotado de grande classe. Inevitavelmente, logo vieram as comparações com o lendário marfinense Didier Drogba, o grande ídolo de sua infância.

Após passar três anos nas categorias de base dos Mauves et Blancs, Lukaku assinou seu primeiro contrato profissional ao completar 16 anos e, dias depois, estreou no elenco principal do clube belga, ganhando 25 minutos na derrota frente ao Standard Liège, que, à época, contava com um meio-campo que tinha a qualidade de Axel Witsel, Steven Defour e Milan Jovanovic (além dos jovens Eliaquim Mangala e Christian Benteke no banco de reservas). Era maio de 2009, o que representava o final da temporada 2008-2009, e o garoto não conseguiu ajudar o Anderlecht a conquistar o Campeonato Belga.

Foto: RSCA.be

Foto: RSCA.be

Não obstante, já em 2009-2010, o artilheiro desencantou e mostrou o porquê de ser considerado um fenômeno. Com 16 para 17 anos, Lukaku disputou 45 partidas, balançando as redes 19 vezes e provendo 11 assistências – destaque para um double contra o Ajax na Europa League. Ao final da campanha, o jovenzinho de porte adulto e desempenho de estrela conquistou seu primeiro e único título belga, além de ter sido o grande artilheiro da liga.

Após tanto destaque, 2010-2011 trouxe a verdadeira provação para o artilheiro: seu desempenho em 2009-2010 fora uma mera “fase” ou o atleta realmente tinha técnica diferencial? Segunda opção. Embora não tenha conseguido levar o Anderlecht ao bicampeonato, Lukaku voltou a brilhar. Em 50 jogos, balançou as redes 20 vezes e criou sete assistências.

Foto: RSCA.be

Foto: RSCA.be

Tamanha qualidade técnica associadas à juventude é algo absolutamente raro mundo afora e, com isso em mente, pouco após o início da temporada 2011-2012, o Chelsea foi a Bruxelas e voltou com a mala £10 milhões (que cresceriam para £17) mais vazia, mas com Lukaku. Começava ali a sua trajetória na Premier League.

Ao todo, Lukaku jogou 98 jogos pelos Mauves et Blancs, marcando 41 gols e provendo 18 assistências.

Diferentes emoções na Inglaterra: Chelsea, West Bromwich e Everton

Foto: Chelsea FC

Foto: Chelseafc.com

Lukaku chegou ao Chelsea na janela de verão em 2012. O recheado plantel de André Villas-Boas contava com os experientes Drogba, Fernando Torres e Anelka, além do já promissor Sturridge. A forte concorrência deu a entender que o belga seria emprestado, mas seu pedido para permanecer. Não deu certo: atuou por pouco mais de 400 minutos em todo o ano, tendo sido titular apenas quatro vezes, sempre em jogos das copas nacionais.

Foto: WBA.co.uk

Foto: WBA.co.uk

A temporada 2012-2013 marcou o surgimento de Lukaku na Premier League. Steve Clarke, então técnico do West Bromwich, pediu a contratação de Romelu para fazer sobra a nomes rodados do elenco, como Rosenberg e Odemwingie. Dessa vez, jogador e clube concordaram que a mudança de ares era necessária e o empréstimo foi rapidamente concluído. O primeiro gol veio diante do Liverpool, adversário contra o qual ele marcaria novamente no returno. E foi justamente na segunda metade da temporada que Lukaku encantou os torcedores e assumiu de vez a titularidade: 11 gols no segundo turno, com destaque para um hattrick na última rodada, em jogo contra o Manchester United. A partida marcou a aposentadoria de Sir Alex Ferguson, mas um sensacional 5×5 e os três gols do belga também foram destaques naquela noite.

Foto: WBA.co.uk

Foto: WBA.co.uk

Já 2013-2014 pode ser considerado o auge de Lukaku, apesar do começo ter sido dos piores. Após ser reintegrado ao elenco por José Mourinho, com quem já trocou farpas por diversas vezes, o atacante participou do jogo contra o Bayern de Munique pela Super Copa da UEFA. Entrou no primeiro tempo da prorrogação, viu o time alemão empatar no último minuto e a decisão ir para os pênaltis. E nela veio o grande baque: perdeu a última cobrança e encerrou ali sua trajetória pelos Blues.

Foto: Evertonfc.com

Foto: Evertonfc.com

Três dias depois do pênalti perdido, o Everton anuncia um pacote com James McCarthy, Gareth Barry e Romelu Lukaku. O trio logo foi encaixado, e dois anos depois segue como titular de Roberto Martinez. O atacante terminou a Premier League com 15 gols em 31 jogos. É destaque também na seleção belga, pela qual marcou contra a Croácia os dois gols que classificaram o país para a Copa do Mundo.

Foto: Evertonfc.com

Foto: Evertonfc.com

A ótima temporada fez com que o Everton gastasse todo seu orçamento na compra definitiva de Lukaku. Pouco mais de 100 milhões de reais tiraram definitivamente o belga do Chelsea. E, apesar dos fracos números na Premier League (10 gols em 36 jogos), tornou-se vice-artilheiro da Liga Europa, tendo marcado 8 gols em 9 jogos. Taticamente, também foi a temporada em que mais evoluiu, já que por diversas vezes foi escalado pelos lados, deixando Naismith como referência no ataque.

Foto: Evertonfc.com

Foto: Evertonfc.com

A temporada 2015-2016 tem sido especial para Lukaku. Jogando como referência no 4-2-3-1 de Roberto Martínez, o belga tem mostrado belo entrosamento com Ross Barkley, Arouna Koné e Gerard Deulofeu. Marcou dois gols diante do Southampton e deu uma assistência contra o Watford. Com ajuda dos passes do espanhol Deulofeu, marcou também dois contra o West Bromwich e um contra Sunderland e West Ham. Com os dois neste sábado diante do Aston Villa, chegou a nove gols na Premier League e a onze na temporada. Está atrás apenas do argelino Mahrez, e é o segundo jogador com mais gols e assistências combinadas na temporada inglesa (9 gols + 4 passes).

Com 1,93cm e apenas 22 anos, Lukaku tem bom jogo aéreo, chute potente, bom aproveitamento em bolas paradas e pode se adaptar em mais de uma posição no ataque. Espera-se que volte a uma equipe de ponta o mais rápido possível para, quem sabe um dia, chegar ao nível de seu grande espelho, Didier Drogba.

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 25 anos. Admito minha preferência pelo futebol bretão, mas aprecio o esférico rolado qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Estou também no O Futebólogo e na Revista Relvado.