Renato Augusto, o meia dinâmico de Tite

  • por Doentes por Futebol
  • 2 Anos atrás
(Por José Victor, do blog Padrão Tático)

O Corinthians de Tite é líder isolado do Brasileirão com 8 pontos à frente do vice-líder, Atlético-MG, e uma entre tantas coisas que chamam atenção no ótimo time de Adenor é o desempenho de Renato Augusto. O meio-campista de 27 anos faz um excelente campeonato – para muitos é o melhor jogador da competição – utilizando o seu talento individual e uma impressionante dinâmica em prol do coletivo e modelo de jogo da equipe.

;

Posicionamento:

O ex-jogador do Bayer Leverkusen, atua como meia-central ao lado de Elias no habitual 4-1-4-1 de Tite. Isso é apenas o seu posicionamento inicial, de onde ele sai e pra onde retorna, porque na prática ele se desloca por quase todo o campo (principalmente pela faixa central e o lado esquerdo), mesmo não sendo tão veloz, é inteligente e corre certo, sabendo pra onde ir e pra quem passar a bola.

Mapa de calor do jogo contra o CAP “resume” bem a participação de Renato Augusto neste Brasileirão 2015: meia participativo por todo o campo, principalmente se deslocando do centro para a esquerda, armando o jogo e também chegando para finalizar no ataque.

É admirável sua mobilidade, ainda mais por ter sofrido tantas lesões durante a carreira, inclusive no Corinthians.

.

;
As jogadas do Corinthians nascem com Renato, o segundo melhor passador da equipe no Brasileirão com 1172 passes certos, atrás apenas de Jadson (1245). Ele se aproxima dos zagueiros e de Ralf, recebe a bola, pensa rápido o jogo, qualifica e agiliza a saída de bola do líder do Brasileirão, como na imagem abaixo. No momento em que dá o passe, já se desloca e dá opção de passe pra receber a bola novamente. Dinamismo.
;
Reprodução: Premiere
;
O meia não só participa ativamente da saída de bola, como também é importante na intermediária ofensiva, com a sua ótima visão de jogo, seu passe de ruptura – aquele que rompe linhas compactas do adversário, como as do Santos na imagem abaixo – e sua participação em quase todas as triangulações da equipe na intermediária, seja pelo centro ou pelas beiradas. É quase onipresente, tudo em prol do coletivo, que consequentemente favorece o seu inegável talento individual. Não por acaso, é disparado o jogador com mais dribles certos da equipe no Brasileirão (20).
;
Reprodução: Rede Bandeirantes

;

Após participar de toda a construção e transição, o camisa 8 também chega no terço final: onde prepara as jogadas, dá o passe final – ele deu 34 passes para finalizações no Brasileirão, um deles foi no lance abaixo – ou até chega pra finalizar – Renato possui 24 finalizações certas no Brasileirão, das quais 5 foram gols. Novamente, dinamismo.

Reprodução: Premiere

 

;

Quanto mais se participa, mais erra:

CAMPEONATO BRASILEIRO 2015 CORINTHIANS X SANTOS

Em consequência de tanta participação no jogo, Renato Augusto é o segundo jogador do time que mais perdeu a posse da bola (176), atrás apenas de Vágner Love (201), algo até normal, se por exemplo compararmos com Lucas Lima – que também pra muitos é o melhor jogador do Brasileirão – que perdeu a bola até mais vezes (185), o camisa 20 do Santos também é muito dinâmico e quase onipresente. Não é coincidência, né? Os mais participativos tendem a ter mais chance de errar, mas por quê? É simples, porque eles tentam mais, sejam os passes verticais ou os dribles.

;
Como o futebol atual pede, Renato Augusto não joga só com a bola e participa ativamente da fase defensiva: ele pressiona intensamente a bola e participa do balanço defensivo – movimento das linhas de um lado para o outro conforme a circulação da bola do adversário – como mostra bem a imagem abaixo. Princípios táticos fundamentais da marcação por zona, que é a marcação utilizada por Tite:

Reprodução: Premiere

;

Tudo isso dito e ilustrado na análise leva a seguinte conclusão: Renato Augusto merece não só ser convocado pra seleção, como também brigar por uma das vagas no time titular de Dunga.

1reproducao7

Se ele será titular e jogará bem na seleção brasileira, só o futuro dirá, mas não fique surpreso se isso não acontecer, pois são equipes diferentes e técnicos bem diferentes. Uma coisa é certa: ele fez por merecer neste Brasileirão 2015.

Comentários