As 10 maiores transferências da história

  • por Rafael Perez
  • 53 Visualizações

Dos primórdios aos dias atuais, o futebol evoluiu muito, seja dentro ou fora de campo. Financeiramente falando, o esporte mudou bastante, até de forma assustadora. Em transferências ou salários, a cada ano as cifras são cada vez mais estratosféricas, fazendo com que jogadores medianos ganhem e valham mais do que muitos craques de outrora. Agora, o Doentes Por Futebol traz as 10 transferências mais caras do futebol até os dias de hoje.

No primeiro momento serão apresentadas as transferências de acordo com o montante pago no período em que se concretizou a operação. Porém, os R$ 178 Milhões pagos pelo Real Madrid na contratação de Kaká, que atuava no Milan em junho de 2009, possuem o mesmo valor atualmente? R$ 1,00 no ano de 2000 tem o mesmo valor que em 2016?

Para que vocês possam entender melhor, segue um exemplo:

f-8121

Em 1998 qualquer um conseguia comprar um Kinder Ovo por 1 real, hoje é praticamente impossível encontrar o mesmo produto por menos de 4 reais. Isso ocorre por diversos fatores, seja inflação, desvalorização ou valorização de moedas entre outras variáveis. Por isso, no segundo momento traremos as mesmas transferências com o valor aproximado para o mês de novembro de 2015.

Abaixo temos a tabela com as transferências sem a atualização monetária.

Arte: Felipe Simonetti |* Na transação com Ibrahimovic, o Barcelona ainda incluiu na transferência os jogadores Samuel Eto’o e Hleb.

É notório que, ao analisar a tabela com os valores de acordo com o montante pago à época, podemos considerar no mínimo incompetência de gestão pagar mais por Gareth Bale ou pelo Di María, do que por Zinédine Zidane. Igualar os valores num mesmo período de tempo é uma tarefa complicada, uma vez que no caso das transferências internacionais trabalhamos com diversas variáveis, como moeda local (Euro, Dólar, Real) e a inflação dessas moedas.

Para deixar essa relação acima mais justa, convertemos o valor da época para o Real, de acordo com o câmbio do período e incluímos a inflação acumulada até a data de 30/11/2015, pois é a inflação acumulada mais atualizada que possuímos até a publicação da matéria.

Desse modo, chegamos à seguinte tabela atualizada:

4 maiores transferências da história

Completam a lista: Ibrahimovic (R$ 286 mi + Eto’ e Hleb), Suárez (R$ 277 mi), James Rodríguez (R$ 273 mi), Kaká (R$ 268 mi), Sterling (R$ 262 mi) e Di María (R$ 248 mi)

Com as transferências postas no mesmo período e em par de igualdade de acordo com a inflação, vemos que a transferência de Zidane seria a mais cara até hoje, assim como Kaká sairia da última colocação do top 10, entregando o posto para Ángel Di María.

E investigando o histórico mais a fundo, chegamos a um dado interessante: Ángel Di María, ao longo dos últimos anos, foi o jogador com maior movimentação financeira em suas transferências.

DI MARÍA

Obs: Esses valores estão com a conversão do câmbio da época da transação com a inclusão da inflação até o período de Novembro de 2015.

Ainda que os números envolvam essas nuances matemáticas, vale a reflexão sobre o tema. Será que esses jogadores valem realmente tudo isso? Mesmo o craque Zidane? Sterling, exemplo de um jogador que ainda não é consagrado, pode custar quase 300 milhões de reais?

A cifra de 400 milhões de reais por um jogador soa como um valor utópico, quase impossível de ser alcançado. Mas dados os custos cada vez maiores no futebol e a entrada de investidores com sonhos megalomaníacos, essa parece ser uma realidade que veio para ficar.

Facebook Comentários