DOENTES POR FUTEBOL

Monaco: uma boa escolha para Jemerson

Foto: ASMonaco.com I Jogador foi apresentado ao Monaco

Foto: ASMonaco.com I Jogador foi apresentado ao Monaco

É uma pena, mas a realidade financeira do futebol brasileiro ainda não permite que mantenhamos nossos melhores jogadores em solo verde-amarelo. Somente nesta janela de transferências, o campeão brasileiro Corinthians viveu um absurdo desmanche, sofrendo com os despudorados milhões chineses e evidenciando ainda mais essa realidade. Diante deste panorama, o Atlético Mineiro também não resistiu e teve de vender um de seus melhores jogadores: o zagueiro Jemerson. No entanto, em termos de carreira, ao contrário do que ocorre com os expoentes corintianos, o beque escolheu bem o seu destino.

ODD Shark
Foto: Bruno Cantini/CAM I Jemerson em ação com a camisa do Galo

Foto: Bruno Cantini/CAM I Jemerson em ação com a camisa do Galo

Já aclamado neste espaço como uma revelação surgida em um momento emergencial e por sua afirmação, com sua consequente convocação para a Seleção Brasileira, Jemerson mostrou, nas últimas duas temporadas, características fundamentais aos grandes zagueiros. Embora não seja um gigante, vai muito bem pelo ar. No mano a mano, revela incomum tranquilidade e raramente falha. Além disso, é veloz e talvez essa seja a grande razão que o diferencie: a capacidade de aliar ótimos predicados técnicos e físicos.

Foto: Bruno Cantini I O beque marcou alguns gols em sua trajetória pelo Galo

Foto: Bruno Cantini I O beque marcou alguns gols em sua trajetória pelo Galo

Indo para o futebol europeu, mais especificamente para o francês, o defensor terá a oportunidade de se adaptar a uma nova atmosfera, com novos costumes e idioma, e sem demasiada pressão, uma vez que o Monaco, seu novo clube, não é conhecido por ter um ambiente conturbado, muito pelo contrário (tem, inclusive, a segunda pior média de público da Ligue 1). Além disso, nos últimos tempos, desde que a fonte que levou James Rodríguez, João Moutinho e Falcao García ao clube monegasco secou, o time vem se tornando um importante porto para jogadores jovens.

Sob o comando de Leonardo Jardim, treinador que fez ótimo trabalho no Sporting CP, afirmando talentos como os de William Carvalho e João Mário, o time francês mudou sua diretriz de trabalho, e assim contratou figuras jovens como Bernardo Silva, Wallace, Ivan Cavaleiro, Adama Traoré, Rony Lopes e Thomas Lemar. Na temporada passada, expoentes como Geoffrey Kondogbia, Layvin Kurzawa e Anthony Martial destacaram-se tanto que partiram para clubes com pretensões maiores por cifras robustas.

Foto: ASMonaco.com I Bernardo Silva é jovem e fala português, podendo ajudar na adaptação de Jemerson

Foto: ASMonaco.com I Bernardo Silva é jovem e fala português, podendo ajudar na adaptação de Jemerson

Alguns dos garotos que seguem no Principado vêm jogando futebol de excelente qualidade, a despeito da idade, e tendo tempo para adaptarem-se ao futebol de alto nível. Embora haja um abismo entre o Paris Saint-Germain e os demais clubes franceses, o Monaco é atualmente o vice-líder e provavelmente disputará a UEFA Champions League da próxima temporada, outra grande experiência para um jogador jovem e certamente algo que será de grande valia para Jemerson.

Além disso, e tão importante quanto, no atual elenco, o Monaco também tem jogadores muito experientes para dar suporte à sua evolução e ajudá-lo a alcançar seu melhor nível. Figuras como os portugueses Ricardo Carvalho, Fábio Coentrão, João Moutinho e até mesmo o recém-chegado Vágner Love podem ser fundamentais para a adaptação do beque baiano ao clube monegasco, pela experiência e facilidade de comunicação.

Foto: ASMonaco.com I Já Ricardo Carvalho poderá transmitir-lhe a confiança de alguém que já passou por Porto, Chelsea e Real Madrid

Foto: ASMonaco.com I Já Ricardo Carvalho poderá transmitir-lhe a confiança de alguém que já passou por Porto, Chelsea e Real Madrid

A “comunidade lusófona” do Monaco é muito grande e inclui jogadores de todas as faixas etárias. Caso passe por dificuldades em sua adaptação, Jemerson certamente encontrará suporte. Ao todo, o clube tem nove falantes do português, dentre lusos e brasileiros.

Atuar na Europa pode também impulsionar sua trajetória na Seleção Brasileira, que começou no final de 2015 e certamente terá longos capítulos. Como detalhe final, a ida ao Monaco pode servir de trampolim para novas negociações, para clubes ainda mais importantes, como confirmam as recentes e caras vendas do time.

Foto: Bruno Cantini/CAM I Jemerson pode acabar mais perto da Seleção atuando no Monaco

Foto: Bruno Cantini/CAM I Jemerson pode acabar mais perto da Seleção atuando no Monaco

“Sempre sonhei, a gente sempre sonha em jogar na Europa. Estou realizando este sonho, e espero que seja um sonho maravilhoso. Espero que eu possa desempenhar o mesmo papel que desempenhei no Atlético (…) No futebol, as coisas acontecem muito rápido. Como eu fui titular assim, rápido no Atlético, agora estou saindo rápido também. Tem que manter a humildade, a tranquilidade, os pés no chão, para não deixar subir à cabeça (…) Queria ficar mais um tempo no Atlético, para disputar a Libertadores, mas não deu. E agora é pensar em ter um bom desempenho lá no Monaco (…)  Só tenho muito a agradecer ao Atlético, jogadores, funcionários, diretoria, torcida, todo mundo. Muito obrigado pelo carinho que eles sempre me trataram e espero um dia voltar ao Atlético”, falou o zagueiro ao Superesportes já no aeroporto.

Embora seja triste ver mais um talento deixar o país, as cifras envolvidas – que segundo a imprensa giram em torno de 11 milhões de euros, as quais o tornam o quarto defensor mais caro da história do país, atrás apenas de Breno, Alex e Edmílson – são satisfatórias para o Galo, que receberá 60% do total, e, além disso, ao contrário dos atletas que partiram para a China, continuará sendo possível acompanhar sua trajetória e seus próximos passos.


Jemerson à l’AS Monaco ! por ASMONACOFC

O conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor. O Doentes por Futebol respeita todas as opiniões discordantes e tem por missão promover o debate saudável entre ideias.

Advogado graduado pela PUC Minas, pós-graduando em Direito Desportivo e Negócios do Esporte, 23 anos. Comecei minha jornada de escritos futebolísticos no "O Futebólogo", meu blog pessoal. Admito minha preferência pelo futebol bretão, mas aprecio o esférico rolado em terras germânicas e lusas. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar grandes referências. A propósito, o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004-2005.