DOENTES POR FUTEBOL

AFC Ajax, o gigante adormecido tem sua força na base

A atual equipe do Ajax foi eliminada da Liga dos Campeões ainda nas fases classificatórias. Na Liga Europa foi eliminada na fase de grupos. Na Copa da Holanda caiu na terceira fase, e atualmente é a segunda colocada no Campeonato Holandês. Os resultados não são os esperados e contrastam com a história vencedora do clube. A única coisa nessa temporada que está de acordo com a cultura de futebol do Ajax é o aparecimento e aproveitamento de diversos jogadores jovens de destaque.

Ajax_puchar

ODD Shark

Quando se fala em Ajax, logo nos lembramos de conquistas europeias e mundiais e o associamos de imediato com formação de jogadores e aproveitamento nas Seleções Holandesas das décadas de 70 e 90. Em 1974, 1978, 1994, 1998 foram dezenas de jogadores formados pelo Ajax que participaram dos bons resultados em Copas do Mundo.

Década de 70: anos de ouro e construção da mística vencedora

As conquistas internacionais chegaram para o Ajax na década de 70 com o tricampeonato da Liga dos Campeões (1971, 1972, 1973). Em 1971, sete jogadores formados no clube participaram com preponderância da conquista. Em 1972 foram oito, assim como em 1973. Johan Cruyff, Rep, Suurbier, Hulshoff, Krol, Haan, Swart e Keizer, criados em casa, conquistaram e encantaram a Europa com um futebol total e vencedor.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução – Ajax Década de 70

Apesar de ter vivido um inicio de década gloriosa, o Ajax viveu anos duros após 1973. Conquistou apenas seis títulos nacionais e ficou quatorze anos sem títulos internacionais, até que uma nova geração de jogadores formados nas categorias de base fomentou mais um período de conquistas e afirmação do talento feito em casa.

Anos 80: Cruyff volta para dar o pontapé do reinício das conquistas

O título que deu início ao resgate do sucesso do Ajax foi a Recopa Europeia de 1986/1987. Esta competição era jogada pelos campeões das copas nacionais de cada país. O Ajax sendo campeão da Copa da Holanda no ano anterior se credenciou para a disputa. A Recopa era tratada como uma competição de segundo escalão, mas para o time de Amsterdã significou muito. Era a continuação de uma história interrompida.

Dos 18 jogadores utilizados na campanha do título da Recopa Europeia, 12 eram formados nas categorias de base do clube. A equipe era treinada por nada mais, nada menos que Johan Cruyff, que fora contratado naquela temporada justamente para resgatar a tradição do futebol total e feito em casa do Ajax. Cruyff tinha em suas mãos uma equipe com média de idade de 22 anos, porém alguns jogadores experientes foram importantíssimos para o balanço da equipe. O veterano meio campo Arnold Muhren de 36 anos, tricampeão da Liga dos Campeões na temporada 1972-1973, retornara ao Ajax para ser o líder do grupo. Os expoentes técnicos eram Marco Van Basten (23 anos), Aron Winter (20 anos), Frank Rijkaard (25 anos), John Bosman (22 anos), Danny Blind (26 anos), Rob Witschge (21 anos), Dennis Bergkamp (18 anos), John Van´t Schip (24 anos), Jan Wouters (27 anos), além do goleiro Menzo com 24 anos.

Foto: Panini - Ajax 86-87

Foto: Panini – Ajax 86-87

Essa equipe cedeu sete jogadores para a Seleção da Holanda que conquistou a Eurocopa em 1988. Van Basten, Muhren, Rijkaard, Wouters, Winter, Van´t Schip e Bosman foram os representantes do Ajax na equipe treinada por Rinus Michels. Vanenburg e Kieft eram jogadores formados pelo Ajax, mas já se encontravam em outros clubes.

Anos 90: Louis Van Gaal e o aparecimento de mais uma geração de ouro

Em 1992, o Ajax vivia novamente um jejum de títulos nacionais tendo apenas uma conquista em cinco anos. Mais uma vez, uma competição europeia foi vencida para amenizar a perda de força dentro do país. Dessa vez, o Ajax venceu a Copa da UEFA em cima do Torino, da Itália. Dos 18 jogadores utilizados por Louis Van Gaal naquela conquista, nove eram formados nas equipes de base do clube. Jogadores remanescentes da conquista de 1987 como Menzo, Silooy, Blind, Winter, Van´t Schip e Wouters, eram as peças estruturais da equipe. Frank de Boer, Dennis Bergkamp , Bryan Roy e Michel Kreek eram os jovens de destaque em uma equipe com média de 25 anos de idade. Edwin Van der Saar e Michael Reiziger não foram utilizados, mas já faziam parte do plantel.

Foto: Uefa - Ajax 91-92

Foto: Uefa – Ajax 91-92

Em 1994, na Copa do Mundo dos Estados Unidos, a Seleção da Holanda contava com 14 jogadores que passaram pelo Ajax desde 1987. A formação de jogadores pelo clube estava validada e provia recursos interessantes para o futebol do país.

https://www.youtube.com/watch?v=NJhajBZNIH4

Em 1995, finalmente o Ajax voltou a vencer a Liga dos Campeões da Europa. A equipe ainda comandada por Louis Van Gaal fora construída aos poucos. A conquista de 1992 foi importante para consolidar jogadores como Blind e Frank de Boer, os únicos remanescentes da equipe titular de 1992 a 1995, porém no resto da equipe houve muitas alterações.

ajax1

Na temporada 1992/1993 o jovem Edgar Davids conquistou papel preponderante na equipe. Marc Overmars fora contratado junto ao Willem II, Ronald de Boer retornou ao clube para se tornar um dos líderes da equipe, enquanto Bergkamp e Pettersson eram os goleadores. Jovens como Seedorf, cria da base, e Litmanen, contratado junto ao MyPa da Finlândia, ganhavam algumas oportunidades e amadureciam.

Em 1993/1994, Frank Rijkaard retornou ao clube vindo de temporadas gloriosas com o Milan. O craque holandês se juntou aos já membros da equipe: Van der Saar, Silooy, Frank de Boer, Blind, Davids, Seedorf, Litmanen, Overmars e Petterson para conquistar o Campeonato Holandês após três temporadas. O meio campista Van den Brom que fora contratado junto ao Vitesse e o atacante Finidi George vindo do Sharks, da Nigéria, também tiveram papéis importantes na conquista. Bergkamp já havia sido vendido à Internazionale de Milão e não fazia mais parte da equipe.

Na temporada em que conquistou a Liga dos Campeões, o Ajax também conquistou o Campeonato Holandês. A equipe era praticamente a mesma de 1993/1994. Dos 11 titulares que iniciaram a final contra o Milan, 10 estavam na equipe da temporada anterior. O único ausente foi Michael Reiziger, emprestado por duas temporadas seguidas após ter participado da conquista da Copa da Uefa em 1992.

Dos 17 jogadores que foram utilizados durante a competição pelo treinador Louis Van Gaal, 10 eram formados nas categorias de base do clube. A média da idade era de 25 anos. Tratava-se de uma equipe com jovens talentos com menos de 20 anos de idade como Kluivert, Kanu e Seedorf. Também havia jogadores experientes com mais de 30 anos, como Blind e Rijkaard, e jogadores novos, porém com alguma rodagem como Litmanen, Frank e Ronald de Boer, Finidi George, Davids, Bogarde, Van der Saar e Overmars. A equipe comandada por Louis Van Gaal conseguiu quebrar um jejum de 22 anos sem conquistar a Liga dos Campeões, fato que a credenciava para entrar para a história do clube.

Foto: Uefa - Ajax 94-95

Foto: Uefa – Ajax 94-95

Em 1995/1996, o Ajax novamente chegou a uma final de Liga dos Campões. Com praticamente a mesma equipe, o time perdeu nos pênaltis a final para a Juventus da Itália. Em 1996/1997, o time chegou às semifinais, novamente perdendo para a Juventus.

Nos anos seguintes, esse elenco se desmanchou. O advento da Lei Bosman e a consequente abertura do mercado interno europeu contribuíram para a perda do poder econômico do clube, fazendo com que as principais estrelas se transferissem para centros mais ricos.

A Seleção da Holanda novamente bebeu do excelente processo de formação de jogadores do Ajax. Mesmo não conseguindo mais reter os astros no campeonato local, a Holanda continuava a ter grandes jogadores. Na Copa do Mundo de 1998, 11 jogadores convocados eram oriundos das categorias de base do Ajax entre o final da década de 80 e início da de 90.

2000 em diante: o gigante segue adormecido, porém revelando bons valores

A primeira década dos anos 2000 foi talvez a pior da história do Ajax e da Seleção da Holanda, que não conseguiu a classificação para a Copa do Mundo de 2002. O clube conquistou apenas dois campeonatos holandeses e três copas nacionais. As participações em competições europeias foram pífias. A melhor campanha em Liga dos Campeões foi em 2006, caindo nas oitavas de final diante da Internazionale.

Após um jejum de seis temporadas sem vencer o Campeonato Holandês, o Ajax novamente venceu a competição nacional em 2010/2011. Mais do que isso, emendou um tetracampeonato inédito para o clube. Novamente a equipe contava com um treinador que tinha vivido o clube como jogador. Frank de Boer chegou em 2010 e começou a criar uma equipe jovem, revelando Siem de Jong, Van der Wiel, Vertonghen, Emanuelson, Daley Blind e Alderweireld.

Foto: Reprodução - Ajax 13-14

Foto: Reprodução – Ajax 13-14

O sucesso em território nacional não se repetiu internacionalmente. Nos anos do tetracampeonato holandês, o Ajax não passou nenhuma vez da fase de grupos da Liga dos Campeões. Parece ser impossível resgatar as glórias continentais para a equipe de Amsterdã. Atualmente, o poderio financeiro do mercado europeu passa longe da Holanda. Não há como manter as grandes revelações atuando no país e isso reflete diretamente nas campanhas ruins do clube em competições continentais.

Atualmente o elenco do Ajax é recheado de jogadores jovens. Os resultados não estão sendo positivos, o clube foi eliminado de duas competições europeias e uma nacional, mas a geração formada pelo clube merece destaque. Trata-se de um grupo de jogadores muito jovens, com média de idade de 23 anos. A equipe vem se reconstruindo após perder diversos jogadores nas últimas temporadas. Os titulares do tetracampeonato que continuam entre os 11 são apenas quatro: o goleiro Cillessen, o zagueiro Veltman, o meia Klaassen e o atacante Fischer. Todos eles ainda jovens e com a missão de liderar um grupo mais jovem ainda.

Frank+De+Boer+Dennis+Bergkamp+Ajax+Amsterdam+S0AeX_tzpgOl

Frank de Boer está no comando da equipe há seis anos. Venceu quatro campeonatos e conquistou a confiança de todos. Seu assistente é Dennis Bergkamp e ambos são expoentes e executores da cultura organizacional do clube. Cultura que prega a detecção, seleção e desenvolvimento de talentos, obtendo resultados esportivos através disso.

É possível acreditar que os jovens jogadores do atual Ajax irão se tornar importantes no cenário internacional. Alguns já fazem parte da Seleção da Holanda e apresentaram bom rendimento. A dúvida é se Frank de Boer, Dennis Bergkamp e o clube como um todo, conseguirão reter esses talentos e proporcionar continuidade para colocar o Ajax de volta no caminho dos bons resultados internacionais.

QUEM É QUEM

Jasper CillessenGoleiro – 1,88 m – 26 anos

Foto: Ajax - Cillessen

Foto: Ajax – Cillessen

Cillessen começou sua carreira no NEC e chegou ao Ajax na janela de inverno da temporada 2011/2012. Participou de poucos jogos nas conquistas da Liga Holandesa em 2011/2012 e 2012/2013, assumindo a titularidade em 2013/2014, conquistando seu 3º título. É titular da Seleção da Holanda. Tem 26 jogos pelo selecionado e disputou a última Copa do Mundo no Brasil.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Cillessen

Kenny Tete Lateral Direito – 1,73 m –  20 anos

Foto: Ajax - Tete

Foto: Ajax – Tete

Tete é holandês, filho de pai moçambicano e mãe indonésia. É formado nas categorias de base do Ajax e assumiu um papel importante a partir dessa temporada. Já realizou 27 jogos como titular em 2015/2016. Pela seleção da Holanda era figura carimbada nas equipes de base, inclusive sendo campeão do Campeonato Europeu Sub-17, em 2012. Pela seleção principal atuou em dois jogos como titular pelas Eliminatórias da Eurocopa em 2015.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Tete

Joël Veltman – Zagueiro – 1,84 m –  24 anos

Foto: Ajax - Veltman

Foto: Ajax – Veltman

Veltman é um zagueiro central que também pode atuar pela lateral direita. É oriundo das equipes de base do Ajax. Estreou profissionalmente na temporada 2012/2013 e foi titular da equipe na conquista da Liga em 2013/2014. Na atual temporada já realizou 34 jogos como titular. Pela seleção da Holanda, disputou a Copa do Mundo em 2014, participando de dois jogos. Ao todo foram quatro partidas como titular pelo selecionado.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor Veltman

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Veltman

Jaïro Riedewald – Zagueiro – 1,82 m – 19 anos

Foto: Ajax - Riedewald

Foto: Ajax – Riedewald

Trata-se de um holandês com origens no Suriname e na Indonésia. Riedewald é formado no Ajax e estreou na equipe principal na temporada 2013/2014, se tornando o jogador mais jovem a marcar um gol pelo clube e na Liga Holandesa. Pode atuar também como lateral esquerdo. Passou a ser mais utilizado em 2014/2015 e assumiu a titularidade na atual temporada, atuando em 33 jogos como titular. Pela Seleção da Holanda foi titular em todas as equipes de base e já tem três jogos como titular da seleção principal.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor Riedewald

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Riedewald

Mitchell Dijks – Lateral Esquerdo – 1,93 m – 23 anos

Foto: Ajax - Dijks

Foto: Ajax – Dijks

Dijks também é formado pelo Ajax. Estreou na equipe profissional na temporada 2012/2013. Nas temporadas seguintes foi emprestado ao Heerenveen e Willem II. Retornou ao clube na atual temporada e assumiu a titularidade, participando de 31 jogos até então. Pelas seleções de base da Holanda disputou o Europeu Sub-19, em 2012, e o Europeu Sub-21, em 2013.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor Dijks

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Dijks

Riechedly Bazoer – Volante – 1,85 m – 19 anos

VOLANTE - BAZOER

Foto: Ajax – Bazoer

Bazoer tem origens em Curaçao, mas é nascido na Holanda. Chegou ao clube vindo do PSV com 16 anos, mas só estreou profissionalmente na temporada 2013/2014 pelo Ajax B que disputa a 2ª divisão holandesa. Na temporada 2014/2015 foi integrado ao time principal e na atual temporada assumiu a titularidade de vez. Já foram 29 jogos como titular em 2015/2016 e quatro gols marcados, demonstrando que é um volante de muitos recursos técnicos. Pela Seleção da Holanda era nome certo em todas as categorias de base, inclusive sendo campeão do Europeu Sub-17, em 2012. Na seleção principal atuou por alguns minutos em uma partida amistosa contra o País de Gales em 2015.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor Bazoer

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Bazoer

Bazoer talvez seja o jogador do Ajax que mais demonstre condições de ser o expoente técnico dessa geração. O jovem já foi tema da nossa coluna “Olho Nele”. Confira:

Nemanja Gudelj – Volante – 1,77 m – 24 anos

Foto: Ajax - Gudelj

Foto: Ajax – Gudelj

Formado pelo NAC Breda , Gudelj passou ainda pelo AZ Alkmaar antes de chegar ao Ajax na atual temporada. O sérvio já atuou em 35 partidas como titular em 2015/2016 e mostra que realmente foi contratado para ser titular. Pela Seleção da Sérvia atuou em todas as categorias de base e realizou 11 partidas pelo selecionado principal, sendo oito delas como titular, marcando um gol.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor Gudelj

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Gudelj

Davy Klaassen – Meio Campo – 1,85 m – 22 anos

Foto: Ajax - Klaassen

Foto: Ajax – Klaassen

O holandês é um dos expoentes técnicos e é o capitão desse grupo. Klaassen também é formado nas categorias de base do Ajax e estreou profissionalmente na temporada 2011/2012. Participou de poucos jogos até assumir a titularidade em 2013/2014, marcando 10 gols na conquista do tetracampeonato holandês. Na atual temporada atuou 30 vezes, marcou dez gols e deu nove assistências. Pela Seleção da Holanda atuou em todas as categorias de base e estreou no selecionado principal em 2014. Desde lá atou em quatro partidas, três como titular, e marcou um gol.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor Klaassen

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Klaassen

Amin Younes – Atacante – 1,68 m – 22 anos

Foto: Ajax - Younes

Foto: Ajax – Younes

Alemão com origem libanesa, Younes começou sua carreira no Borrusia Mönchengladbach e também passou pelo Kaiserlautern antes de chegar ao Ajax nessa temporada. Atuando pelo lado esquerdo do ataque, vem demonstrando que foi uma boa contratação. Atuou em 33 partidas, sendo 18 como titular, marcando seis gols e contribuindo com duas assistências. Pela Seleção da Alemanha foi destaque da equipe sub-21, mas ainda não recebeu oportunidades no selecionado principal.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor Younes

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Younes

Anwar El Ghazi – Atacante – 1,88 m – 20 anos

Foto: Ajax - El Ghazi

Foto: Ajax – El Ghazi

O winger holandês de origem marroquina chegou ao Ajax proveniente das categorias de base do Sparta Rotterdam, em 2013. Estreou profissionalmente em 2014/2015 e já assumiu a titularidade da equipe, marcando 12 gols em 43 jogos. Na atual temporada já marcou 10 gols em 28 partidas, atuando, geralmente, pelo lado direito do ataque. Optou por defender a Seleção da Holanda após conversar com seu ídolo Cristiano Ronaldo. El Ghazi já atuou em duas partidas pela seleção, todas como titular durante as Eliminatórias para a Eurocopa.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor El Ghazi

Foto: Wyscout – Mapa de Calor El Ghazi

Arkadiusz Milik – Atacante – 1,86 m – 21 anos

Foto: Ajax - Milik

Foto: Ajax – Milik

O polonês Milik atuou em seu país natal até a janela de inverno da temporada 2012/2013, quando passou a defender o Bayer Leverkusen da Alemanha e depois o Augsburg. Chegou por empréstimo ao Ajax na temporada 2014/2015, na qual marcou 23 gols em 34 partidas. Foi contratado em definitivo para a temporada 2015/2016 e marcou 13 gols em 32 jogos até então. Milik é titular da seleção polonesa, pela qual já atuou em 19 jogos, 15 deles como titular, marcando nove gols.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor Milic

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Milik

Milik já foi tema da nossa coluna “Olho nele”: Confira

Viktor Fischer – Atacante – 1,80 m – 21 anos

Foto: Ajax - Fischer

Foto: Ajax – Fischer

Peça importante nas duas últimas conquistas do Ajax, o dinamarquês perdeu espaço após uma grave lesão que o afastou da última temporada. Tentando ainda esquecer a lesão, Fischer vem alternando entra a titularidade e a reserva da equipe. Na atual temporada jogou 32 partidas, 18 delas como titular. Marcou 10 gols e deu quatro assistências. Pela seleção da Dinamarca já atuou em oito jogos e marcou um gol.

Foto: Wyscout - Mapa de Calor Fischer

Foto: Wyscout – Mapa de Calor Fischer

Fischer já foi tema da nossa coluna “Olho nele”: Confira

É bom ficar de olho também em alguns jogadores que participaram das conquistas nacionais recentes e de alguns jovens que ainda podem ser muito utilizados:

Ricardo van Rhijn – Lateral Direito – 24 anos – Holanda
Leeroy Owusu – Lateral Direito – 19 anos – Holanda/Gana
Mike van der Hoorn – Zagueiro – 23 anos – Holanda
Nick Viergever – Lateral Esquerdo – 26 anos – Holanda
Thulani Serero – Volante – 25 anos – África do Sul
Daley Sinkgraven – Meio Campo – 20 anos – Holanda
Donny van der Beek – Meio Campo – 18 anos – Holanda
Lasse Schöne – Atacante – 29 anos – Dinamarca
Václav Cerny – Atacante – 18 anos – República Tcheca
Robert Muric – Atacante – 19 anos – Croácia
Sam Hendriks – Atacante – 21 anos – Holanda

Como a história do clube batizado em homenagem ao guerreiro mitológico dos tempos de Aquiles demonstra, o Ajax é um gigante europeu tanto em conquistas quanto em formar jogadores de altíssimo nível. É verdade que nos últimos tempos este gigante tem estado adormecido, em termos de conquistas continentais principalmente. Porém, nunca se pode duvidar que a qualquer momento um clube tão tradicional e bem gerido não possa ressurgir do ostracismo e abocanhar troféus. E provavelmente, quando isso acontecer, será mais uma vez tendo em sua base sua cultura e ponto mais forte: seus jovens bem lapidados e talentosos.

Só o tempo dirá. Vamos rezar para que os deuses do futebol nos sorriam e permitam ver mais uma geração vencedora formada em casa pelos godenzonen.

DESTACADA AJAX

O conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor. O Doentes por Futebol respeita todas as opiniões discordantes e tem por missão promover o debate saudável entre ideias.

Dalla Valle é Consultor em Gestão do Futebol e Observador Técnico. É criador do site futebolplanejado.com, especializado em Gestão do Futebol. Interage no twitter: @giovanidvalle e no @futebolplanejad