Gabriel, a nova opção da zaga atleticana

O ano de 2016 não vem sendo bom para o Atlético Mineiro. Já tendo mudado de treinador – saiu Diego Aguirre e chegou Marcelo Oliveira –, o Galo perdeu o Campeonato Mineiro para o América, foi eliminado da Copa Libertadores pelo São Paulo e anda próximo da zona do rebaixamento no Brasileirão. Muito pouco para uma equipe tão estelar no papel. Em meio a isso, o alvinegro se viu na necessidade de lançar a campo um jovem zagueiro que, até o momento, a despeito dos maus resultados coletivos, apresentou boas credenciais. Gabriel é seu nome.

OLHO NELE - GABRIEL

Cria da base do Atlético, apesar da pouca estatura, apenas 1,81m, o garoto de 21 anos vem mostrando a conjugação da segurança dos veteranos e da vitalidade dos jovens. Diante de períodos de ausências dos titulares – Léo Silva lesionado e Frickson Erazo integrando a seleção do Equador – e com os reservas imediatos mostrando extrema fragilidade (Edcarlos, que posteriormente também se lesionou, e Tiago), o jogador cavou espaço e ganhou a preferência de Marcelo Oliveira.

Gabriel chegou ao Galo em 2007. Vem se destacando nos duelos individuais e também na rápida recomposição defensiva. Embora seja difícil não compará-lo a Jemerson, mais recente cria de sucesso da base do Galo para a zaga, seus estilos são muito diferentes. Gabriel não é calmo como Jemerson, mas se destaca pela seriedade. Não chega a ser o “zagueiro-zagueiro” que em certa ocasião Vanderlei Luxemburgo estereotipou em Odvan, mas dá poucas brechas para possíveis falhas.

Foto: Bruno Cantini/CAM |Aguirre deu as primeiras oportunidades reais ao beque

Foto: Bruno Cantini/CAM |Aguirre deu as primeiras oportunidades reais ao beque

Embora o recorde recente do Atlético o coloque como uma das piores defesas do Brasileiro, tal dado não pode ser creditado exclusivamente nas costas da zaga. Há um problema recorrente na forma como o time se posta. A contenção não tem estado em seu melhor e os zagueiros ficam frequentemente expostos aos ataques adversários. Não há defesa no mundo que mantenha bons números dessa forma.

No entanto, no Brasileirão, Gabriel já disputou cinco partidas e seus números agradam muito. Dos 14 desarmes que tentou, conseguiu êxito em 12, ou 85,7%. Embora marque seus adversários muito de perto, tem se mostrado leal. Cometeu apenas seis faltas e foi punido com dois cartões amarelos. Quem o vê em campo dificilmente imagina que o atleta tem apenas 10 partidas como profissional.

Foto: Bruno Cantini/CAM |Gabriel vem ganhando espaço

Foto: Bruno Cantini/CAM |Gabriel vem ganhando espaço

Quando perguntado sobre suas referências, o jogador não hesita em lembrar de alguns de seus companheiros:

“Eu me espelho no Jemerson, que também veio da base e é muito batalhador. Mas também gosto do Otamendi e do Leonardo Silva, que é um exemplo para mim. Fora de campo, também é um exemplo. Então procuro me espelhar nesses caras”, disse em entrevista veiculada pelo Superesportes.

Outro ponto interessante na curta trajetória do defensor é sua versatilidade. Por não ser muito alto e ter a velocidade como diferencial, Gabriel já atuou improvisado na lateral direita e como volante, sempre mantendo suas melhores características: seriedade, velocidade e segurança. Na partida contra o Santos, na estreia do Galo no Campeonato Brasileiro, o zagueiro foi lateral-direito. Além disso, Gabriel deu a assistência para o gol do equatoriano Juan Cazares, o da vitória, com um excelente lançamento.

Acostumado a ver grandes zagueiros envergando a camisa atleticana nos últimos anos, como Réver, Leonardo Silva, Gilberto Silva, Nicolás Otamendi e Jemerson, o torcedor tem em Gabriel um dos raros motivos de sorrisos no presente momento. A campanha do Galo no Brasileiro é fraca, mas um jovem valor despontou na necessidade e vem dando conta do recado.

É fato que a condição de titular do garoto foi temporária. Erazo retornou da Copa América e retomou seu posto ao lado do capitão Leonardo Silva. Mas Gabriel já mostrou que está à espreita e que se algum de seus companheiros bobear é capaz de tomar-lhe a vaga.

Foto: Bruno Cantini/CAM |Ronaldo é novo concorrente para a zaga

Foto: Bruno Cantini/CAM |Ronaldo é novo concorrente para a zaga

O time também acaba de contratar Ronaldo, ex-River Plate-URU, mas Tiago deve deixar o clube. Além disso, tem sido veiculado o acerto do time com outro equatoriano: Arturo Mina. Contudo, Gabriel vem somando os pontos que precisa e ganhando a confiança do torcedor. Outro ponto a ser considerado é a idade de Léo Silva – às vésperas de completar 37 anos –, que dificilmente disputará todos os jogos da temporada e cuja aposentadoria não deverá tardar.

Sempre recomenda-se cautela quando os jovens revelados na base do clube alvinegro ganham projeção, mas de cuidado Gabriel tem mostrado entender muito. Quando foi chamado, o zagueiro correspondeu. Torcedor e técnico vêm percebendo isso.

Olho Nele!

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho), 24 anos. Admito minha preferência pelo futebol bretão, mas aprecio o esférico rolado qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Estou também no O Futebólogo, no Chelsea Brasil e na Corner.