Destaques individuais dos finalistas da Libertadores 2016

  • por Lucas Sousa
  • 1 year atrás

Alguns ótimos jogadores trouxeram Atlético Nacional e Independiente Del Valle até a final da Libertadores 2016. Goleiros seguros, meio-campistas fundamentais no funcionamento da equipe e atacantes com faro de gol, alguns dos melhores atletas do torneio estão nesses dois times. Os colombianos, com maior poder financeiro, conseguiram trazer alguns dos melhores atletas de seu país, enquanto o modesto clube equatoriano apostou numa ótima estrutura e na garimpagem de jovens talentos. De maneiras distintas, cada um construiu elencos que os levaram até os jogos mais importante do ano.

Destacamos alguns desses talentos que fizeram uma ótima Libertadores e podem ser decisivos na grande final.

Franco Armani

Armani é um dos melhores goleiros dessa Libertadores. Imbatível na fase de grupos, o arqueiro do Atlético Nacional sofreu apenas cinco gols na competição (curiosamente, apenas um fora de casa) e é a segurança da defesa verdolaga. Na primeira partida contra o Rosario Central, pelas quartas de final, fez uma sequência de defesas extraordinária que acabou sendo essencial para a classificação. Está no clube desde 2010 e é um dos ídolos da torcida, status que ganhou ainda mais força após recusar uma transferência quase certa para o River Plate e renovar seu contrato por mais três anos.

Sebastian Pérez

O volante Sebastian Pérez é completo. Um dos melhores (se não o melhor) da posição nessa Libertadores 2016, avança com e sem a bola, finaliza de média distância, entra na área e tem qualidade técnica na condução e no passe. Sabe acelerar e cadenciar o jogo, mesclando passes agudos com outros mais curtos e ajudando a controlar o meio-campo. Além disso, possui boa velocidade para fazer coberturas e vigor físico para combater o adversário. Aos 23 anos, é titular da seleção colombiana e também virá aos Jogos Olímpicos. Com esse currículo, é improvável que fique na Colômbia por mais tempo. Rumores já o ligaram ao Barcelona, ao Porto e, mais recentemente, aos espanhóis Sevilla e Valencia.

Alejandro Guerra

Alejandro “El Lobo” Guerra provavelmente é o melhor jogador da Libertadores 2016. É um grande meio-campista, com visão de jogo e leitura dos espaços acima da média do continente. Circula o campo todo sempre se oferecendo como opção de passe e fazendo o time funcionar. Também chega aos últimos metros do campo para finalizar o ataque (totaliza seis gols e duas assistências em 14 jogos na temporada). Sua polivalência também merece destaque: pode jogar como volante, meia centralizado ou aberto, geralmente pela direita. Por conta da idade (31 anos) não deve ter futuro na Europa, mas certamente continuará atuando em alto nível na América. No Brasil, chegou a ser especulado em Flamengo, Fluminense, Palmeiras e Santos, sem sucesso.

Saiba mais: Atlético Nacional chega à decisão com o melhor futebol da Libertadores

Marlos Moreno

Atacante de velocidade e poder de fogo, que gosta do um contra um e que recebeu o aval de Pep Guardiola para fechar com o Manchester City. Esse é Marlos Moreno, uma das principais promessas do futebol colombiano dos últimos anos. O jogador de 19 anos pode atuar como homem mais avançado do ataque ou caindo pelas beiradas, e é capaz de levar perigo ao adversário em todas as funções. Esteve com a seleção colombiana na Copa América Centenário e deve ser presença constante daqui para a frente. Apesar de sua transferência para o time inglês, será repassado por empréstimo ao La Coruña, onde poderá continuar seu desenvolvimento no futebol espanhol.

Miguel Borja

Desconhecido do grande público há alguns meses atrás, Miguel Borja é o mais novo fenômeno do futebol colombiano. Cria do Deportivo Cali, teve poucas chances no clube e rodou pelo futebol colombiano em busca de espaço. Esteve no Santa Fé, quando foi campeão da Sul-Americana sem muito destaque. Após uma passagem de 25 jogos e 22 gols pelo pequeno Cortuluá, o Atlético Nacional decidiu apostar no centroavante para substituir Victor Ibarbo. Borja chegou e fez os quatro gols da equipe na semifinal, se tornando o artilheiro do time na Libertadores em apenas dois jogos. Sua rápida ascensão nos verdolagas foi coroada com a convocação para defender a Colômbia nos Jogos Olímpicos.

Saiba mais: Os caminhos para a taça: prévia tática da final da Libertadores 2016

Librado Azcona

Aos 32 anos, o goleiro Azcona é uma das referências do jovem elenco rayado e um dos grandes responsáveis pela histórica campanha do Independiente Del Valle. Nas oitavas fez um segundo jogo espetacular frente ao River Plate, no Monumental de Núñez, e garantiu a classificação equatoriana com grandes defesas e sendo o melhor em campo. Na disputa de pênaltis contra o Pumas, nas quartas, defendeu a cobrança que levou seu time às semis, quando pegou outro pênalti, agora do Boca, na Bombonera. Azcona fez uma Libertadores para ficar na memória, que só pode ficar melhor com a conquista do título.

Arturo Mina

Titular da seleção equatoriana e dono da defesa do Del Valle, Arturo Mina é um dos pilares da equipe de Pablo Repetto. O zagueiro tem boa velocidade para fazer coberturas e conter jogadas em profundidade, vai bem no jogo aéreo e sabe fazer lançamentos com qualidade, característica que o torno peça fundamental no jogo direto proposto pelo seu treinador. Mina foi especulado no Flamengo e esteve praticamente certo no Atlético-MG, mas a classificação rayada para a final da Libertadores impossibilitou sua vinda para o Brasil. Agora seu nome está ligado a Everton, Southampton e West Ham, além do River Plate.

Jefferson Orejuela

O volante Orejuela é uma das crias do excelente trabalho de base realizado pelo Independiente Del Valle. Chegou ao clube em 2010, com 17 anos, e só fez sua estreia pelos profissionais três anos mais tarde. O camisa 18 é um volante discreto, não costuma ir ao ataque, fazer gols ou dar assistências, mas sua presença é fundamental para a equipe. Isso porque ele está sempre se posicionando para ser opção de passe (desde os zagueiros até os atacantes) e faz a bola circular com qualidade, trocando-a de lado quando é preciso. É do estilo que fica pouco com a bola: rouba e entrega a um companheiro, dando dinamismo ao jogo. Esteve na pré-lista do Equador para a Copa América Centenário, mas acabou cortado.

Saiba mais: O time que uniu o Equador agora quer conquistar a América

Junior Sornoza

Sornoza é o camisa 10 do Del Valle e um dos principais nomes da equipe e da Libertadores. O baixinho de 1,66 m anotou seis gols e três assistências no torneio, comandando seu time em diversos momentos. Sua qualidade técnica é inegável, mas o jovem de 22 anos ainda peca pela irregularidade. Em alguns momentos some da partida e não busca o jogo como deveria, o que provoca uma queda de rendimento ofensivo do time. Apesar do número que veste, não costuma recuar e buscar a bola para fazer o time andar. Ele é mais um jogador de terço final do campo, sempre pronto para definir com um chute ou colocando seu companheiro em condição de gol. Ao que tudo indica, está fechado com o Fluminense e chegará ao Rio de Janeiro em 2017.

José Angulo

https://www.youtube.com/watch?v=XxS2mCQ4OwA

Autor de seis gols na Libertadores, o centroavante José “Tin” Angulo é a referência ofensiva dos Rayados. Com 1,81 m, o equatoriano tem força física para jogar como pivô e disputar bolas aéreas, sem perder em agilidade e explosão quando tem a bola dominada. É um jogador de área capaz de jogar fora dela quando for preciso, com qualidade técnica e velocidade. Com esses atributos, os europeus logo cresceram o olho e devem levar o atleta ao final da Libertadores. Tin é o jogador mais disputado do Del Valle, especula-se que Atlético de Madrid, Mônaco, Palermo, Sevilla e Stoke City estão interessados no atacante de 21 anos.

Comentários

Mineiro e estudante de jornalismo. Admira (quase) tudo que cerca o futebol inglês, não esconde seu apreço por times que jogam no contra-ataque (sim, sou fã do Mourinho) e acha que futebol se discute sim. Também considera que a melhor invenção do homem já ultrapassou os limites do esporte.