DOENTES POR FUTEBOL

Fatos e estatísticas da semifinal da Libertadores

Atlético Nacional e Independiente del Valle repetiram o que acontecera apenas duas vezes na história da Libertadores: em 1964 e 2013, os finalistas também venceram as partidas de ida e volta em suas semifinais. Mais que isso, desde o Estudiantes, em 2009, ninguém ganhava os dois jogos em uma semifinal. Essa é apenas um dos fatos estatísticos que marcaram as semifinais da Libertadores 2016. Confira os principais:

Atlético Nacional 4 x 1 São Paulo (2 x 0; 2 x 1)

 

Confronto

ODD Shark

-Foi a quinta semifinal de Libertadores entre brasileiros e colombianos, com vantagem colombiana (3 x 2).

Edição Resultado
1961 Palmeiras 6 x 3 Independiente Santa Fé (2 x 2 e 4 x 1)
1996 América 3 x 2 Grêmio (0 x 1 e 3 x 1)
2003 Santos 4 x 2 Independiente Medellín (1 x 0 e 3 x 2)
2004 Once Caldas 2 x 1 São Paulo (0 x 0 e 2 x 1)
2016 Atlético Nacional 4 x 1 São Paulo (2 x 0 e 2 x 1)

– A última vez que o Atlético Nacional tinha vencido os dois jogos em um mata mata de Libertadores havia sido em 1995, contra o Peñarol. Foi também a primeira vez que o São Paulo foi derrotado dentro e fora de casa por uma equipe estrangeira em um mata mata de Libertadores.

Atlético Nacional venceu bem o São Paulo (foto:atlnacional.com.co)

Atlético Nacional venceu bem o São Paulo (foto:atlnacional.com.co)

– Pelé (1963), Palomo Usuriaga (1989) e agora Miguel Borja marcaram 4 gols em uma confronto semifinal de Libertadores.

– Santos (1984), Vasco (1985), São Caetano (2002) e São Paulo (2016) são os brasileiros que perderam duas partidas como mandantes em uma mesma Libertadores. Os são-paulinos já tinham sido derrotados em seus domínios pelo The Strongest.

Partida de ida

– Na partida de ida, o Atlético Nacional se tornou a primeira equipe a vencer, fora de casa, no Brasil, na Argentina (2 x 0 no Huracan) e no Uruguai (4 x 0 no Peñarol) em uma só edição de Libertadores. Foi também a primeira equipe a vencer uma semifinal como visitante por 2 ou mais gols de diferença desde 1969.

– Foi apenas a segunda vitória de um colombiano, no Brasil, em uma partida de mata mata da Libertadores. Apenas o Once Caldas, em 2011, tinha o feito (2 x 0 no Cruzeiro). Foi também a pior derrota do São Paulo em casa, junto ao 2 x 0 sofrido para o Cruzeiro em 2009.

Partida de volta

Estatística maluca do Opta: Foi apenas a segunda vitória do Nacional contra brasileiros em Medellín, na 11ª partida. Inclusive, a primeira vitória tinha sido na partida anterior, contra o Atlético Mineiro, em 2013.

Competição

– Se vencer o del Valle no Equador, o Atlético Nacional será apenas a segunda equipe a vencer partidas em 6 países em uma só edição. Já venceu na Argentina, Brasil, Uruguai, Peru e Colômbia, todos os países nos quais disputou partidas. O Boca conseguiu o feito em 2001.

– É a primeira vez que um colombiano atingiu nove vitórias em uma edição da competição. América, em 1996, e Santa Fé, em 2013, venceram 8 jogos.

Jonathan Calleri se tornou o primeiro jogador do São Paulo a marcar 9 gols em uma edição de Libertadores.

– O São Paulo teve sete expulsões na competição, recorde da equipe.

Independiente del Valle 5 x 3 Boca Juniors (2 x 1; 3 x 2)

 

-Está na final o CLUB DE ALTO RENDIMIENTO ESPECIALIZADO INDEPENDIENTE DEL VALLE. Sim, esse é o nome completo da equipe!

Confronto

– Foi a segunda semifinal de Libertadores entre equatorianos e argentinos. Antes, o Barcelona tinha batido o River Plate em 1990.

Apenas o Santos de Pelé tinha vencido o Boca Juniors nas partidas de ida e volta de uma fase eliminatória de Libertadores, no caso a final de 1963.

– Santos (1963), Olímpia (1989) e Fluminense (2008) tinham marcado 5 ou mais gols em um mata mata contra o Boca.

– A última vitória equatoriana em semifinais tinha sido em 1998. Isso porque, para se classificar à final de 2008, a LDU empatou seus dois jogos semifinais contra o América mexicano.

Partida de ida

– O Boca perdeu apenas a segunda partida (em 9) contra um equatoriano fora de casa. Antes, tinha sido derrotado pelo Cuenca em 2009.

Partida de volta

– Foi a primeira vez que um time argentino que perdeu uma partida de ida por um gol de diferença no Equador não se classificou, em quatro oportunidades.

– Agora, em seis confrontos nos quais perdeu a partida de ida por um gol de diferença fora de casa, o Boca foi eliminado na metade.

O del Valle foi a terceira equipe a vencer Boca e River em uma mesma Libertadores, repetindo o feito do Bolívar (em 1991) e do Cruz Azul (2001). Foi a primeira, porém, a eliminar ambos em uma mesma edição de qualquer competição.

Caicedo é um dos destaques da equipe equatoriana (Foto: conmebol.com)

Caicedo é um dos destaques da equipe equatoriana (Foto: conmebol.com)

– O Boca perdeu apenas sua 10ª partida como mandante em 26 edições de Libertadores, a primeira desde 2013. Apenas brasileiros (3 vezes), argentinos, uruguaios e mexicanos (2 vezes cada) tinham batido o Boca fora de casa, nenhum deles em semifinal.

– O del Valle venceu sua primeira partida em quatro visitas à Argentina na Libertadores. Aliás, os argentinos tinham 8 vitórias contra equatorianos em 8 jogos no La Bombonera.

– Agora, em 10 partidas contra equatorianos em casa (por qualquer competição), o Boca tem 9 vitórias e 1 derrota.

Competição

– O del Valle é a primeira equipe equatoriana a vencer oito partidas em uma edição de Libertadores, superando a marca do El Nacional de 1985 (7).

A equipe anotou em todas as 11 partidas que fez em casa na história da Libertadores.

Estatística maluca do Opta: Foi apenas a terceira derrota do Boca, como local, em partida que começou vencendo: Os confrontos contra Santos (1963) e Toluca (2013) foram as outras oportunidades. Os equatorianos são também a quinta equipe na história da Libertadores a virar uma partida contra os xeneizes (e venceram duas vezes). Cúcuta, Fluminense e os já citados Santos e Toluca foram as outras equipes que conseguiram.

Prévia da final

Será a primeira final, em 25 anos (desde 1991), sem brasileiros ou argentinos. A primeira da história, porém, também sem Peñarol ou Olímpia e a primeira entre dois clubes banhados pelo Pacífico.

-Será a 10ª final de um time colombiano e a quarta de um equatoriano. Equipes dos dois países se enfrentaram na final da Copa Merconorte de 2001, quando o Millonários venceu o Emelec.

O del Valle é apenas o terceiro finalista da Libertadores sem título nacional. Aconteceu com dois brasileiros anteriormente: São Caetano em 2002 e São Paulo em 1974.

-O del Valle chegou à final em sua terceira Libertadores, como o Atlético Paranaense em 2005.

– Esses são os finalistas históricos colombianos em Libertadores: América (1985, 1986, 1987 e 1996), Atlético Nacional (1989, 1995 e 2016), Deportivo Cali (1978 e 1999) e Once Caldas (2004).

– Esses são os finalistas equatorianos em Libertadores: Barcelona (1990 e 1998), LDU Quito (2008) e Independiente del Valle (2016).

O conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor. O Doentes por Futebol respeita todas as opiniões discordantes e tem por missão promover o debate saudável entre ideias.

Sergio Rocha é torcedor do Madureira e sempre teve o sonho de escrever sobre esportes em geral, embora tenha optado pela carreira de engenheiro civil. No "currículo", cadernos recheados de resultados esportivos e agendas da década de 90, quando antes da internet acessava rádios de diversos locais do país buscando os resultados esportivos do Acre à Costa Rica. Além de fanático por futebol, é fanático por praticamente todos os esportes, e no tempo livre que sobra sempre busca os últimos resultados esportivos do PGA Tour ou dos futures da ATP. Além disso, coleciona quadrinhos da Disney e é louco por astronomia.