DOENTES POR FUTEBOL

O que o West Ham buscou em Ayew?

Foto: WHUFC.com | Ayew vem para ajudar o West Ham a se manter no topo

Foto: WHUFC.com | Ayew vem para ajudar o West Ham a se manter no topo

Na última temporada, o West Ham surpreendeu a todos com o bom futebol praticado e a capacidade para pinçar bons negócios no mercado de transferências. Não há dúvidas de que o melhor exemplo é o do francês Dimitri Payet, que custou €15 milhões e rendeu uma porção de belos gols e assistências. Nesse sentido, o grande negócio da presente janela é André Ayew, a contratação mais cara da história dos Hammers (€24 milhões). O que levou o clube londrino a buscá-lo?

ODD Shark

Revisitando o histórico de Ayew e Payet, tem-se que ganês e francês foram parceiros no Olympique de Marselha durante duas temporadas. Nos Phocéens, obtiveram ótimo desempenho na temporada 2014-2015, com a briga por uma vaga na UEFA Champions League – ao final sem sucesso, ficando na quarta colocação, dois pontos atrás do Monaco, terceiro.

Foto: OM.net | Ayew se destacou primeiramente no Olympique de Marselha

Foto: OM.net | Ayew se destacou primeiramente no Olympique de Marselha

Payet, o playmaker do time, criou incríveis 134 oportunidades de gol naquele ano, convertendo sete gols e conferindo 17 assistências. Por sua vez, habitualmente aberto pelo flanco esquerdo, Ayew balançou as redes 10 vezes e assistiu seus companheiros em outras três ocasiões. Isso tudo em um time que ainda teve em seu centroavante, André-Pierre Gignac, seu artilheiro máximo, com 21 tentos. Não há como discutir o fato de que quando atuaram juntos em Marselha os atletas se entenderam muito bem e isso é certamente algo que foi levado em consideração pela direção dos Hammers.

Noutra análise, há que se considerar que um dos problemas do West Ham na temporada passada foi a dependência do talento de Payet. Quando não teve seu astro, o clube londrino viveu seu pior momento na competição, fator apontado como justificador para a não-conquista de uma vaga na UEFA Champions League da temporada que está em vias de se iniciar. Conquanto Ayew não seja um jogador da mesma função e com as mesmas atribuições que seu parceiro francês, o winger já mostrou em várias ocasiões aptidão para decidir jogos.

Foto: om.net | Payet foi companheiro de Ayew na França

Foto: OM.net | Payet foi companheiro de Ayew na França

Com a camisa do Swansea City, marcou 12 gols e foi o grande destaque de um time que viveu temporada fraca. Além disso, marcou em momentos importantes e contra rivais respeitáveis, como Chelsea, Manchester United, Tottenham, e, nas três partidas finais da EPL, Liverpool, o próprio West Ham e o Manchester City. Em apenas uma temporada no futebol inglês, o jogador mostrou rapidíssima adaptação, outro indicador de que sua contratação pelos Hammers foi muito bem avaliada e recomendada.

Como indicado, Ayew é um ponta que faz muitos gols e isso também faltou ao West Ham em 15-16. Michail Antonio foi o segundo jogador do elenco que mais marcou no período, com nove tentos em 32 jogos. Outras peças de lado de campo tiveram ainda menor destaque, casos de Manuel Lanzini (sete tentos em 34 encontros) e Victor Moses (três em 30).

Foto: SwanseaCity.net | Apesar de breve, passagem de Ayew pelo Swansea foi muito positiva

Foto: SwanseaCity.net | Apesar de breve, passagem de Ayew pelo Swansea foi muito positiva

Novamente, volta-se ao fato de que o clube foi “Payet e mais 10”, uma vez que o francês foi o artilheiro do time no ano, com 15 gols. Nesse sentido, a chegada de Ayew deve distribuir essa responsabilidade e, quem sabe, potencializar o desempenho de Payet como construtor de jogo.

No campo, Ayew deve de fato assumir a ponta esquerda, setor por onde Payet circulou em alguns turnos no último ano. Finalmente, o treinador Slaven Bilic poderá, com segurança, adotar o 4-2-3-1, que tanto esboçou na última campanha, alocando seu novo contratado de um lado, seu craque pelo centro e deixando a decisão pelo outro flanco em aberto, estando Sofiane Feghouli (outra boa contratação do clube), Michail Antonio, Gökhan Töre e Lanzini na disputa.

West Ham 2016 - Premier League 2016 - Football tactics and formations

Para Ayew, deixar o Swansea neste momento e firmar com o West Ham é dar um salto de qualidade em sua carreira. Para o West Ham é um sinal de que o clube gostou do que mostrou na última temporada e espera ainda mais da próxima. As intenções de ambas as partes parecem convergir, como inclusive ressaltou o ganês em entrevista ao site oficial do clube londrino:

“O clube tem muita ambição e um grande treinador. Eles querem se tornar maiores ano após ano com o novo estádio e o novo centro de treinamentos. Você pode sentir que eles estão se movendo em direção a outro nível e eu quero ser parte desse projeto”, garantiu.

Foto: WHUFC.com | Bilic pode comemorar: terá muitas alternativas em 16-17

Foto: WHUFC.com | Bilic pode comemorar: terá muitas alternativas em 16-17

Taticamente, o West Ham buscou em Ayew uma alternativa que faltou na última temporada. Tecnicamente, um jogador capaz de decidir partidas e de potencializar o desempenho de seu maestro. Vale dizer derradeiramente que o preço praticado na transferência não esteve fora dos padrões da realidade atual. Assim, com muita inteligência e perícia, os Hammers se preparam para dar um passo adiante e seguir competindo em altíssimo nível em uma Premier League cada vez mais disputada.

O conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor. O Doentes por Futebol respeita todas as opiniões discordantes e tem por missão promover o debate saudável entre ideias.

Advogado graduado pela PUC Minas, pós-graduando em Direito Desportivo e Negócios do Esporte, 23 anos. Comecei minha jornada de escritos futebolísticos no "O Futebólogo", meu blog pessoal. Admito minha preferência pelo futebol bretão, mas aprecio o esférico rolado em terras germânicas e lusas. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar grandes referências. A propósito, o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004-2005.