DOENTES POR FUTEBOL

Leicester: O conto de fadas continua?

Foto: Divulgação/BPL

Foto: Divulgação/BPL – Leicester conseguiu manter quase todo o time campeão

Foi impossível ficar indiferente com o Leicester. Considerado por muitos como o maior azarão da história do futebol, os Foxes foram os donos do melhor enredo do futebol mundial na última temporada. Passada a euforia, uma nova época bate à porta. Mas o que esperar dos comandados de Claudio Ranieri?

ODD Shark

A temporada 2016/17 começa neste domingo para os azuis, que encaram o Manchester United, em Wembley, pela Community Shield. Um choque de realidade para uma equipe que há um ano tinha como único objetivo escapar do rebaixamento para a Championship.

Se o Leicester ainda não é visto como um potencial candidato ao segundo título da Premier League, ao menos tem um ponto de largada mais interessante do que no último campeonato. De acordo com o site Transfer Markt, o elenco do atual campeão é o oitavo mais valioso da Inglaterra, avaliado em 198 milhões de euros.

Foto: Divulgação/Leicester - Kanté foi a principal saída dos Foxes

Foto: Divulgação/Leicester – Kanté é a principal baixa dos Foxes

Os Foxes escaparam quase ilesos ao tão temido desmanche, comum a times menores que se destacam. A maior perda foi o meio-campista Kanté, vendido ao Chelsea por 35,8 milhões de euros. O croata Kramaric, que estava emprestado ao Hoffenheim, foi comprado em definitivo pelos alemães por 10 milhões de euros. Outros seis jogadores deixaram o clube a custo zero, com destaque para o goleiro Schwarzer.

Mesmo tendo um bilionário como dono do clube, o Leicester não fez loucuras no mercado de transferências. Gastou 47,5 milhões de euros, apenas 1,7 milhão a mais do que arrecadou com as vendas. A principal contratação é o nigeriano Musa, comprado por 19,5 milhões de euros junto ao CSKA Moscou. O meio-campista Mandy, ex-Nice, é a aposta para o lugar de Kanté. Ranieri desembolsou 15,5 milhões para contratar o francês.

Também desembarcaram no King Power Stadium o meia polonês Bartosz Kaputska (comprado por 9 milhões de euros ao KS Cracóvia), o goleiro alemão Ron-Robert Zieler (3,5 milhões de euros junto ao Hannover) e o zagueiro espanhol Luis Hernández, ex-Sporting Gijon, que chegou com custo zero.

Um investimento modesto se compararmos com os principais times da Premier League. Praticamente o mesmo valor que o Arsenal pagou por Xhaka (45 milhões de euros), o Liverpool por Mané (41 milhões de euros) ou o Manchester United por Mhkitaryan (42 milhões). Sem falar nos 50 milhões de euros que o Manchester City pagou para tirar Sané do Schalke, a maior transferência até agora na Terra da Rainha.

O clube também não poupou esforços para manter Vardy e Mahrez, os principais destaques da última temporada, que tiveram seus contratos renovados com direito a um interessante aumento salarial.

Dentro de campo o time deverá sofrer poucas mudanças. A tendência é que Ranieri mantenha o 4-4-2 em duas linhas, apostando na solidez defensiva e rápida transição ao ataque. Musa trará mais qualidade e velocidade ao ataque azul, enquanto Mandy é uma aposta para o lugar do “motorzinho” Kanté.

Foto: Divulgação/Leicester - Vardy is on fire! Atacante renovou por quatro temporadas

Foto: Divulgação/Leicester – Vardy is on fire! Atacante renovou por quatro anos

O treinador italiano precisará lidar com dois problemas na temporada: a perda do “efeito surpresa” e o elenco limitado, que terá mais uma competição, a UEFA Champions League, para engordar o calendário.

A empolgação pelo título inglês não fez o time tirar os pés do chão e gastar de forma irresponsável, como aconteceu com o Leeds United no começo deste século. O Leicester parece ter um projeto bem definido, sem queimar etapas. Sabe que conquistar uma vaga europeia, mesmo que para a Liga Europa, será um bom resultado. Algo para se elogiar em um futebol marcado por cifras cada vez maiores. Afinal, não se pode viver de contos de fadas…

O conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor. O Doentes por Futebol respeita todas as opiniões discordantes e tem por missão promover o debate saudável entre ideias.

Jornalista pós graduado em Gestão Aplicada ao Esporte e um doente por futebol. Trabalha atualmente como gerente executivo de esportes na RedeTV! e já passou por Esporte Interativo, Náutico, Portuguesa e Santo André.