As contratações do Flamengo em 2017

  • por Leandro Lainetti
  • 53 Visualizações

O Flamengo terminou o Campeonato Brasileiro 2016 em 3° lugar, campanha que até surpreendeu, depois de um começo claudicante sob o comando de Muricy Ramalho. Com a chegada de Zé Ricardo e alguns reforços no meio do ano, o time encontrou uma forma de jogar e passou a subir na tabela, chegando, em um determinado momento, a ficar a 1 ponto do líder e futuro campeão Palmeiras.

Com a chegada de 2017 e a vaga na fase de grupos da Libertadores, era hora de pensar em reforços pontuais para incutir mais qualidade em um elenco coeso, mas que possuía algumas carências, como a falta de um reserva para a lateral esquerda, por exemplo. Com a saída de Jorge, dois novos jogadores foram contratados para a posição: o peruano Trauco e Renê, ex-Sport.

Os outros nomes, com a exceção de Conca, contratado em uma oportunidade de mercado, foram pensados para preencher lacunas no elenco, aumentar a qualidade do time titular e até mesmo possibilitar variação no sistema de jogo de Zé Ricardo – que usou apenas o 4-2-3-1 baseado na velocidade dos pontas para atacar e recompor o sistema defensivo. Ao fim do ano, o senso comum foi tácito: faltou exatamente variação e um pouco mais de qualidade para vencer algumas partidas.

Agora, com o elenco praticamente fechado, o Doentes Por Futebol faz uma análise das contratações rubro-negras e como elas podem impactar o jogo do Flamengo e melhorá-lo. Algumas já mostraram isso em campo. Vamos a elas.

Miguel Trauco

Idade: 24 anos
Posição: Lateral Esquerdo

Foi escolhido o melhor jogador do Campeonato Peruano atuando pelo Universitário. Em 41 partidas, marcou apenas 1 gol e deu 11 assistências. Foi observado pelo Centro de Inteligência do Flamengo e referenciado pelo compatriota e agora companheiro de time, Guerrero, além do técnico da Seleção Peruana, o argentino Ricardo Gareca. Pela equipe nacional, o lateral já fez 12 partidas, sem marcar gols e anotando 1 assistência, curiosamente para o atacante rubro-negro.

A baixa estatura, 1.75m, é vista como um fator negativo para a parte defensiva de seu jogo, e já causou problemas na primeira partida do ano, contra o Boavista, quando o lateral não conseguiu cortar cruzamento e o Fla sofreu o único gol no ano até aqui. Mas, com a bola nos pés, Trauco não vem deixando muitos espaços para a torcida sentir saudades de Jorge. Foram 4 assistências e 1 gol em 5 partidas. Deixando os números de lado, é possível dizer que Trauco sobe ao ataque com muita eficiência e intensidade. Até aqui, chama atenção a técnica do jogador para bater na bola, sempre efetuando passes e cruzamentos com qualidade.

Com o tempo, mais adaptado ao elenco e ao esquema, a tendência é que a parte defensiva sofra menos percalços. Vale lembrar que, inicialmente, o peruano seria reserva. Com a venda de Jorge, foi alçado ao posto um dia antes da estreia oficial e, mesmo assim, parece não ter sentido a pressão até aqui.

Renê

Idade: 24 anos
Posição: Lateral Esquerdo

Última contratação da janela rubro-negra. Veio por conta da saída inesperada de Jorge. Com destaque no último Brasileirão, e dado o início animador de Trauco, vem para ser um bom reserva e manter o nível das atuações que o titular apresentou até aqui. Pode ser mais usado do que se pensa inicialmente, pois o Flamengo conta hoje com 7 estrangeiros, 2 acima do permitido pelas regras em competições nacionais.

Em alguns casos, a depender do adversário, Zé pode optar por deixar Trauco fora da relação, utilizando Renê. Além disso, o peruano é nome constante nas convocações de Gareca para a seleção nacional. Apresenta o mesmo problema de estatura de Trauco, sendo 1 cm mais baixo. No ataque, pode fazer boa parceria com Éverton pela esquerda, pois tem mais velocidade do que o titular. O desafio será manter a regularidade que o peruano vem mostrando até aqui. No Sport, em 210 jogos, foram 7 gols e 18 assistências.

Rômulo

Idade: 26 anos
Posição: Volante

Provavelmente foi a contratação mais comemorada pela torcida do Flamengo. Não só por ser um volante moderno, desses que tem bom passe, fecha espaços com posicionamento correto e sabem construir o jogo e não apenas destruir. Mas muito por conta da saída de Marcio Araújo do time. Sua chegada foi um alívio para boa parte da torcida que persegue o agora ex-titular. Nos jogos em que atuou até aqui na temporada, não foi raro ver seus desarmes sendo feitos a base de posicionamento e antecipação, e não com velocidade, como Márcio costuma fazer.

Além disso, já criou boas oportunidades ofensivas para o time, com passes mais verticais e menos conservadores. As lesões que o atrapalharam durante boa parte do tempo na Rússia – foram apenas 69 jogos em 4 anos de Spartak – parecem ter ficado para trás. A chegada do volante faz o meio campo do Flamengo ficar completo, com jogadores técnicos e que se complementam. Com bom entrosamento e adaptação ao esquema de jogo de Zé Ricardo, tem tudo para ser um dos melhores do Brasil. E Rômulo será fundamental nesse salto de qualidade.

 Dario Conca

Idade: 33
Posição: Meia

A contratação de Conca não era exatamente uma necessidade para reforçar o elenco, já que o clube tem Diego, Mancuello e os jovens Paquetá e Sávio para essa função. O primeiro questionamento feito foi sobre a possibilidade de Diego e Conca jogarem juntos. Até aqui, com Mancuello e Diego jogando lado a lado, a tendência é que Conca assuma a vaga do compatriota quando estiver em plena forma. A segunda dúvida que surgiu foi exatamente sobre as condições físicas do argentino. Em agosto de 2016, Conca sofreu uma séria lesão no joelho e está afastado desde então. No Ninho do Urubu, foi visto apenas nas salas de musculação e fisioterapia para se recondicionar.

Se a lesão faz pairar uma interrogação sobre seu desempenho, o passado de Conca é forte aliado do meia. Nunca teve lesões sérias na carreira, é profissional exemplar, que se cuida e sempre apresentou bom desempenho dentro de campo. No Brasileirão 2010, jogou as 38 partidas e levou o Fluminense ao título daquele ano, dando 18 assistências e marcando 9 gols. Quando estiver recuperado, em meados de abril ou inicio de maio, deve ser titular da equipe. Acrescente-se um detalhe interessante da negociação para entender o porquê do Flamengo, mesmo sem precisar, ter contratado Conca: ele só receberá (cerca de R$ 450 mil mensais) quando pisar em campo. O resto do salário (na casa dos R$ 2 milhões mensais) continua sendo pago pelos chineses do Shangai SIPG.

Orlando Berrío

Idade: 24 anos
Posição: Atacante

Veio para suprir uma das principais carências do elenco do Flamengo: as pontas. Embora tivesse muitos jogadores dessa posição no elenco de 2016, poucos fizeram realmente a diferença quando a corda apertou o pescoço. Com as saídas de Sheik e Fernandinho, ficaram no elenco apenas Éverton, Gabriel, Cirino, Adryan, Thiago Santos e Cafu. Muito pouco para quem almeja buscar os principais títulos do futebol brasileiro e sul-americano.

Assim, credenciado por um grande 2016, principalmente na Libertadores, o colombiano chegou para subir o patamar dos jogadores de lado de campo. No título do Atlético Nacional, participou de 12 jogos e fez 4 gols, sendo um deles o da classificação para a semifinal, contra o Rosário Central. Com porte físico avantajado, muita velocidade e força, Berrio pode ser um jogador importante tanto no ataque quanto na defesa.

Estreou mostrando que tem estrela e, mesmo longe da forma ideal, marcou um gol de cabeça contra o Grêmio pela Primeira Liga. Também foi decisivo no clássico contra o Botafogo, ao dar assistência para o gol da vitória. A depender do esquema adotado por Zé Ricardo, pode atuar pelos dois lados do campo ou mesmo como um segundo atacante.

Flamengo um degrau acima

Analisando o elenco do Flamengo de 2016 e comparando ao de 2017, fica claro que a chegada dos cinco reforços coloca a equipe um degrau acima. Além das chegadas permitirem variações do esquema tático e modelo de jogo, são também um salto de qualidade, o que acaba melhorando o time titular e, consequentemente, o nível do elenco.

A ver nos próximos jogos, e durante a temporada, como o técnico Zé Ricardo utilizará cada um deles e se conseguirá extrair o que de melhor podem oferecer. O fato é que o Flamengo, caso dê continuidade ao trabalho iniciado no ano passado, tem tudo para fazer um ótimo 2017 e brigar por títulos. No entanto, em um exercício de imaginação, pensando apenas em como estão os times e elencos nesse início, a disputa com Palmeiras, Atlético Mineiro, Cruzeiro, Santos e São Paulo tem tudo para ser de alto nível.

Jornalista trabalhando com marketing, carioca, 28 anos. Antes de mais nada, não acredito em teorias da conspiração. Até que me provem o contrário, futebol é decidido dentro das quatro linhas. Mais futebol nacional do que internacional. Não vi Zico mas vi Romário, Zidane, Ronaldinho, Ronaldo. Vejo Messi e Cristiano Ronaldo. Totti é pai.

  • facebook
  • twitter