Manuel Locatelli, o novo maestro milanista

É irrefutável realidade o fato de que o Milan que conhecemos há 10 anos já não existe. A equipe que lutava por todas as taças que disputava briga, hoje, para tentar ter o mínimo de protagonismo em solo italiano. A despeito dessa realidade que pouco anima os torcedores do Rossonero, nem tudo pode ser tratado com a melancolia própria de quem viveu dias de glória e atualmente tenta reerguer-se. Uma das provas disso é a aparição de um jovem meio-campista de trato fino da bola e personalidade: Manuel Locatelli.

Aos 19 anos, tudo tem acontecido muito rapidamente na carreira do garoto. Tendo chegado ao clube milanês em 2010, vindo da base do Pescara, o atleta foi integrado ao time sub-19 do Milan aos 16 anos. Chegou à Seleção Italiana Sub-17 aos 15 e à Sub-19 aos 17. Sua estreia no time profissional do Milan ocorreu em abril de 2016. Mas, a temporada 2015/16 só lhe deu mais uma oportunidade. Tudo mudou com a chegada do treinador Vincenzo Montella.

Pequeno regista

Integrado, definitivamente, aos profissionais na pré-temporada de 2016/17, Locatelli ganhou chances de mostrar seu talento e o fez bem. Chegou exercendo função semelhante a de Andrea Pirlo (gerando comparações inevitáveis com o experiente italiano, além do argentino Fernando Redondo). O garoto provou sua utilidade e foi mantido no elenco. Mais que isso: passou, rapidamente, a ser peça importante para os planos de Montella.

Foto: ACMilan.com

“Eu tinha um pôster de Andrea Pirlo na minha parede, ele era meu ídolo. Quero imitá-lo, vejo suas partidas para aprender com ele”, disse Locatelli ao programa Total Italian Football.

Gols e muita personalidade

Ficou de fora das primeiras três partidas do Milan no Campeonato Italiano. Vendo da reserva seu clube vencer o Torino e ser derrotado por Napoli e Udinese. Estreou na temporada na vitória contra a Sampdoria, obtendo 33 minutos para mostrar sua qualidade. Semelhante realidade foi vivida pelo italiano nas três rodadas que se seguiram. Sendo válido relatar que, contra o Sassuolo, em triunfo por 4×3, no 7º encontro da equipe, Locatelli marcou seu primeiro gol como profissional. Veio, na sequência, a 8ª partida do clube na competição e com ela seu primeiro jogo como titular.

 

A partir de então, começou uma trajetória de habitual presença e destaque no onze inicial. Com a tranquilidade de um veterano, o meio-campo passou a ditar o ritmo do jogo do Milan. Atuando próximo aos zagueiros e demais meias, é dinâmico e quem mais trabalha por uma transição defesa-ataque bem feita. Seu domínio dos espaços e capacidade para dar rápida e precisa destinação à bola vêm impressionando, assim como sua aptidão para o desarme e as finalizações. Sobre isso, bem pode relatar a líder Juventus, derrotada pelo Milan na 9ª rodada com gol do garoto.

 

“Locatelli é um predestinado. Ele perdeu algumas bolas hoje, mas, se você marca contra a Juve com essa coragem, isso significa que você é um predestinado. Agora, temos que deixá-lo sozinho, ele precisa melhorar”, disse Montella em coletiva após a vitória contra a Juventus.

Aproveitando as oportunidades

Locatelli tem sido real motivo de orgulho e esperança no estádio San Siro. Alto e sempre com a cabeça erguida, tem se tornado a cada dia um jogador mais influente para o jogo milanista. A grave lesão nos ligamentos do joelho esquerdo sofrida pelo capitão da equipe, Riccardo Montolivo, garantiu ainda mais minutos à joia rossonera no time titular. Sua cara de menino atrelada à magreza ainda podem trazer a impressão falsa de que o jogador não está pronto para atuar no mais alto nível. Contudo, é só acompanharmos poucos minutos do jogador em campo para perceber sua maturidade.

Alguns de seus números também chamam atenção. Embora os 83,1% de aproveitamento nos passes não se apresentem como algo de “outro mundo”, basta uma rápida olhada em seus mapas de passes de suas últimas partidas para identificar o alto nível de dificuldade envolvido na maioria de seus erros. Sua média de 2 desarmes por partida também mostra-se importante; Locatelli é o quarto jogador do Milan com melhor média nesse quesito.

Foto: ACMilan.com

Longo caminho de aprendizado

É evidente que o italiano tem muito o que melhorar e evoluirespecialmente em aspectos físicos do jogo. Mas seu perfil nos permite vislumbrar sucesso em seu horizonte. Dono de personalidade forte e qualidade técnica diferenciada, Locatelli assumiu as rédeas do meio-campo milanista e vem sendo importante na tentativa de reconstrução do clube. O que passa também pelos pés de outros garotos, como Alessio Romagnoli e Suso. Além das salvadoras mãos de Gianluigi Donnarumma, claro.

Ver a classe e a técnica de Manuel Locatelli é hoje um dos grandes motivos pelos quais vale a pena acompanhar os jogos do Milan. Com contrato com o clube até 2020, deve ganhar cada vez mais espaço. E, em tempos de reformulação também na Seleção Italiana, é natural que em breve ganhe oportunidades com o treinador Giampiero Ventura. Sua trajetória tem sido assim: precoce e progressiva.

Olho nele!

Facebook Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, pós-graduando em Direito Desportivo e Negócios do Esporte, 24 anos. Admito minha preferência pelo futebol bretão, mas aprecio o esférico rolado qualquer terra. Desde a infância, tenho no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; o melhor jogador que vi jogar foi o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Estou também no "O Futebólogo", meu blog.

  • facebook
  • twitter
  • googleplus
  • youtube
  • instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.