Com falha incrível do goleiro do Puebla, Chivas consegue uma virada espetacular na Liga MX

Uma noite de sonhos que se transformou em um dos piores pesadelos que se pode imaginar. Assim foi a noite do Puebla, lanterna da Liga MX, que foi visitar o vice-líder Chivas Guadalajara e teve uma das derrotas mais inacreditáveis de sua história, sobretudo pela forma como ocorreu o gol que sacramentou o revés.

O Puebla largou muito bem no Estádio Ominile, em Zapopan, e terminou a primeira etapa vencendo os donos da casa por 2×0, gols de Federico Gonzalez e Edgar Duenas. A vitória faria o clube pular da 18ª posição (lanterna) para a 14ª, faria, porque o Chivas Guadalajara proporcionou uma das melhores viradas dos últimos anos.

Na volta do intervalo, um nome em especial foi determinante no triunfo do Chivas Guadalajara: Carlos Fierro. O atacante mexicano participou dos três gols que garantiram a grande “remontada”. Aos 10′ da segunda etapa, cruzou para Alan Pulido diminuir o placar. Dez minutos após o gol, quando o Chivas crescia na partida, o volante José Vasquez (Chivas) foi expulso após por a mão na bola e receber o segundo amarelo. Com vantagem no placar e em jogadores em campo, o Puebla tinha cerca de 30 minutos para segurar o resultado e conquistar uma importante vitória.

A vantagem numérica em campo durou apenas 7 minutos. Aos 28, o lateral Adrián Cortés foi expulso ao ver dois cartões amarelos em um espaço de apenas 6 minutos. No minuto seguinte, Carlos Fierro, em novo cruzamento, tentou achar Alan Pulido na área, e o zagueiro Iván Centurión colocou a bola contra a própria rede. Empate do Chivas e a pressão pela virada seria enorme dali pra frente.

Quando tudo levaria a crer que o jogo terminaria empatado, o desastre aconteceu de forma inacreditável. Faltando um minuto e meio para o final da partida o goleiro do Puebla, o argentino Cristian Campestrini, jogou a bola de suas mãos ao chão para sair jogando com os pés. O que o arqueiro não notou, foi a presença de Carlos Fierro que estava atrás dele. O mexicano roubou a bola, driblou Campestrini e com muita calma colocou para o fundo das redes. Virada e vitória espetacular do Chivas. Uma noite louca, daquelas que o futebol não cansa de nos surpreender.

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.