Vinícius Jr.

  • por Nilton Plum
  • 4 Meses atrás

Flamengo x Atlético MG talvez seja o maior clássico extra-regional nacional. O clássico é isso: atemporal. É mais símbolo do que ação.Reinaldo e seu punho erguido, Silvestre e sua perseguição eterna, Renato e sua arrancada decisiva, Pet e seu gol olímpico… Neste horizonte de tantos personagens , o confronto ganhou, no dia 13/05/2017, mais um: Vinícius José Paixão de Oliveira Júnior.

Vinícius Jr. não é mais um “craque de fim de semana”. Não é o novo “fulano de tal” que será o novo Neymar. As comparações ainda são descabidas. Neymar saiu do Santos deixando uma Libertadores. Gabriel Jesus saiu do Palmeiras deixando uma Copa do Brasil e um Brasileiro. O jovem de 16 anos que teve seu nome gritado por 50 mil torcedores no Maracanã para jogar apenas 12 minutos chegou ao Flamengo há 6 anos atrás. Desde então tem sido destaque por toda base do clube.

Vinícius Jr. recebe , ao fim de seus 12 primeiros minutos num jogo profissional, os cumprimentos de Robinho; outrora promessa.

Aos 13 anos teve sua primeira convocação para a seleção brasileira sub 15, tornando-se o principal expoente da chamada “geração 2000” do Flamengo que chegou a ficar 90 jogos invicta entre as categorias mirim e infantil. Sagrou-se campeão da Copa Votorantim, principal torneio da categoria infantil, campeão carioca sub 17 (10 gols), artilheiro e campeão do sul americano sub 17 com a seleção.

Jogador agudo que ao mesmo tempo que produz jogadas de efeito é capaz de gerar passes generosos aos companheiros, em pouquíssimo tempo teve a vida modificada. De joia rubro-negra passou a ser o menino de 154 milhões de reais. O texto não irá enveredar pela reflexão acerca da proposta do Real Madrid (que em momento algum foi confirmada nem pelos brasileiros, nem pelos espanhóis). A proposta, por si,caso se confirme, merece uma reflexão mais aprofundada. Mas algumas certezas podem ser verificadas sobre Vinícius Jr:
– Sim. Ele sempre foi um fora de série nas categorias de base, apesar de grande parte dos torcedores, mesmo os rubro-negros, pouco o conhecerem.
– Se há realmente uma proposta deste tipo, não pode haver ingenuidade de pensar que os grandes clubes europeus “descobriram” o menino da noite pro dia. Se ele tem 16, deve estar sendo observado, pelo menos, desde os 13.
-Embora pareça ridículo comentar, é sempre bom frisar que julgar Vinícius Jr pelos 12 minutos do bom empate contra o Atlético MG, na abertura do brasileirão, beira o patético. Acreditem, muita gente o faz.

Ainda há pouco, enquanto este texto estava sendo redigido, foi noticiada a renovação de contrato do profissional Vinícius Jr.. Parte fundamental de um castelo de cartas marcadas. Clube renova, aumenta o salário, aumenta a multa, clube estrangeiro paga. Especula-se que no acordo entre Flamengo e Real Madrid haja um empréstimo do jogador do clube espanhol para o próprio Flamengo de 2018 até 2019. Então a ordem dos acontecimentos continua a mesma: os rivais torcem para que ou a joia não desponte no mundo profissional como o craque que fora na base ou que o negócio não se concretize. O que seria pior? O Flamengo no mercado com 154 milhões de reais a mais em caixa ou um jovem craque engrossando suas fileiras?

Entretanto, a principal pergunta não gira em torno dos valores. Se as jovens promessas, futuros craques que recentemente saíram do futebol brasileiro para a Europa, deixaram um legado para seus clubes, que espécie de legado, além do financeiro, seria capaz de deixar Vinícius Jr., no Flamengo, até 2019?

Comentários

Só há Justiça no aleatório. E nada é mais aleatório do que o futebol. Curte futebol, bebidas, boxe, artes em geral e farofa.