A Rússia em xeque

A Rússia pode ser um dos maiores vexames de sedes de Copa do Mundo

Antes de falar da Rússia, lembremos que durante a história das Copas do Mundo de Futebol, apenas a África do Sul, em 2010, ficou na primeira fase da competição. Apesar disso, os Bafana Bafana, comandados na época pelo brasileiro Parreira – o mesmo Parreira que treinou o Brasil Tetracampeão -, saiu aplaudida, por sua empolgação, por sua força de vontade e principalmente por sua torcida apaixonada e festiva.

A próxima Copa do Mundo, como todos sabem, será na Rússia. Para tanto, a disputa das Copa das Confederações, que une seleções campeãs dos continentes, bem como a última campeã do mundo e mais o país sede da Copa, serve como preparativo para a competição maior. E, pelo desempenho que os donos da casa vem demonstrando nos últimos jogos, podemos crer que os russos não serão um anfitrião muito confiável. Mas, com o código promocional Betfair 2017, você pode ter algumas vantagens ao apostar.

Vexame na Eurocopa

Toda a desconfiança com as possibilidades da Rússia começou após a vexatória campanha na Eurocopa do ano passado. Comandados pelo técnico Leonid Slutsky, os russos ficaram na lanterna do grupo B, que contava com Inglaterra, País de Gales e Eslováquia. O time não conseguiu nenhuma vitória, amargando ainda uma derrota por 3×0 diante dos galeses. Em 3 partidas, sofreram 6 gols, marcando somente 2.

A dor deste fracasso foi tamanha que, por fim, Slutsky foi demitido, dando lugar a Stanislav Cherchesov. Neste momento, percebendo o caminho tortuoso de sua seleção, Vitaly Mutko, presidente da Federação Russa (e Ministro dos Esportes do país) entendeu que a seleção Russa precisava de “reconstrução a partir do zero de toda a estrutura”.

Histórico nos amistosos

Por ser a sede da Copa do Mundo, a Rússia não precisaria enfrentar as eliminatórias. Portanto, partiu para vários amistosos a fim de se recolocar em um caminho digno.

Mesmo com as palavras de Mutko, não mudou muito a situação da seleção. Depois a Eurocopa, foram disputados nove amistosos, com a Rússia vencendo somente 3, contra Gana, Romênia e Hungria (este último o único fora de casa). Nos outros jogos, foram outras 3 derrotas e mais 3 empates. Em uma destas derrotas, conseguiu ficar no 1×2 contra a inexpressiva seleção do Catar.

A Rússia marcou 13 gols em todos estes jogos, uma boa marca, não fossem os 12 que sofreu. O setor defensivo, antes o ponto forte de gerações passadas, tem sido o calcanhar de Aquiles de Cherchesov.

Rússia na Copa das Confederações

Neste sábado, a Rússia disputará contra o México a chance de classificação para as semifinais da Copa das Confederações. A seleção venceu o primeiro jogo, contra a Nova Zelândia por 2×0, mas perdeu para Portugal por 1×0, ficando em terceiro lugar no grupo. Os mexicanos são favoritíssimos para a partida, que precisam somente de um empate para garantir passagem.

É verdade que nas duas partidas os russos foram bem. Nada com um futebol bonito ou vistoso, mas o suficiente para vencer na abertura (o que era obrigação, ainda mais contra uma seleção muito inferior) e sair aplaudida por sua torcida na derrota seguinte. Mas, dependendo de como jogar frente ao México, dificilmente o apoio de seus adeptos será suficiente para diminuir o fracasso.

Portanto, este jogo frente ao México é de vida ou morte para os russos. Entretanto, pode também ser um ponto de virada do que podemos esperar desta seleção.

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).