O péssimo início de Milan e Inter na temporada

  • por Tiago Lima Domingos
  • 8 Anos atrás

 

A maldição da “nova casa” e o início ruim de Milan e Inter

Quando a Inter joga, o estádio se chama Giuseppe Meazza. Quando é o Milan o mandante, o nome é San Siro. O espaço continua o mesmo, a grama, porém, é nova. Recentemente, os clubes optaram por trocar parte da grama natural por um sintético reforçado, muito similar à grama natural. O mesmo procedimento foi feito no novo Wembley. Mas a novidade mesmo são as pífias e históricas campanhas dos dois clubes nesse início de temporada 2012/2013. Começamos com o Milan.

São 5 jogos oficiais na temporada. 1 vitória, 1 empate e 3 derrotas. No San Siro, são 3 partidas. 2 derrotas no Calcio (ambas por 1-0, para Sampdoria e Atalanta) e um 0-0 na estreia da Liga dos Campeões contra o Anderlecht. Além do ridículo aproveitamento, os torcedores não puderam comemorar um mísero gol sequer no estádio.

No campeonato italiano, são 3 derrotas em 4 partidas, fato que não acontecia desde a temporada 1940/41. Na tabela, a 15ª colocação é um reflexo do apequenamento do clube para essa temporada, o que se refletiu na arquibancada. Se Berlusconi ajeitou o balanço vendendo Ibra e Thiago, o reflexo se viu no estádio. Na estreia do clube na Champions League (tradicionalmente o palco do grande Milan, onde a torcida sempre compareceu em peso) apenas 27.593 torcedores foram ver a partida. Na temporada passada, por exemplo, em estreia contra o modesto Viktoria Plzeň, 66.859 estavam lá. E nos 26 anos de Silvio Berlusconi, nunca houve uma procura tão baixa por carnês de toda a temporada. O Milan, na quarta-feira (26), tenta começar a mudar essa história em jogo contra o Cagliari, na estranha casa dessa temporada. O treinador Allegri está pressionado e mais um resultado negativo pode custar seu emprego.

O caso da Inter não é muito diferente. Fora de casa a equipe venceu todos seus jogos, mas contra adversários notadamente inferiores. Pescara e Torino no campeonato e Hajduk Split e Vaslui pela Europa League. Mas é no Meazza que a situação fica feia e bate marcas negativas. São 5 jogos diante da torcida até aqui, com 3 derrotas e 2 empates. Na Europa League, passou sufocos desnecessários por duas vezes, correndo sério risco de uma precoce eliminação na competição europeia. Na estreia da fase de grupos, apenas empatou com o Rubin Kazan. E empatou graças a um gol de Nagatomo aos 47min do 2º tempo.

Já pelo Calcio, perdeu as duas em casa: para Roma (até certo ponto uma derrota aceitável) e, ontem, para o Siena. Foi a 1ª vitória do Siena na história do confronto entre as duas equipes. Fato tão inédito quanto as 5 partidas seguidas sem vencer diante de seu público. Pelo campeonato, não perdia as duas primeiras em casa desde a longínqua temporada 1936/37.

Strammacioni começa a ser questionado sobre esse mau momento da equipe em casa. A Inter é a 7ª colocada com 6 pontos, metade da pontuação da líder Juventus. E o treinador já pensa em montar uma linha de 3 zagueiros para proteger a defesa, amplamente vazada nos jogos no Meazza (11 gols em 5 jogos). Uma alternativa pra quem ainda não achou um esquema e time ideal nessa temporada, que está apenas no início, mas já causa preocupação.

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.