A Lazio Campeã do Calcio.

  • por Igor Leal da Fonseca
  • 8 Anos atrás

 

Para contar a história do time que bateu o Manchester United na final da Supercopa Europeia e que ganhou um Scudetto, é preciso voltar alguns anos.

O ano é 1992. Sergio Cragnotti compra a Lazio. O time, que era figura carimbada no meio da tabela do Calcio – fora de todas as competições europeias – dá uma guinada e já na temporada seguinte à compra, termina em quinto, beliscando a vaga na Copa da UEFA. Temporada seguinte, quarto lugar na tabela. Na 94/95, vice-campeonato no Calcio. Temporada seguinte, terceiro lugar no Calcio. A equipe jogava bem, fazia boas campanhas, mas faltava título. Na 96/97, quarto lugar na tabela. No fim da mesma, chegou o homem que ajudaria a mudar essa história, o sueco Sven-Goran Eriksson.O treinador chegava referendado por boas campanhas no Benfica e na Sampdoria. A equipe contratou Boksic, Jugovic, Almeyda e Pancaro, mas fracassou na Serie A, terminando apenas em sétimo lugar, após perder cinco partidas seguidas nas cinco últimas rodadas do Calcio. Mas em compensação, a equipe conquistou a Copa da Itália (desde o Scudetto na temporada 73/74 que a Lazio não conquistava um título) e chegou à final da Copa da UEFA, perdendo para a Internazionale de Ronaldo e Zamorano. A semente estava plantada, era a hora de colher os frutos.

Na temporada 98/99, mais contratações milionárias: Mihajlovic, Vieri e Salas chegaram ao clube, juntamente com jogadores como Sergio Conceição, De La Peña e Fernando Couto. Assim, as conquistas começaram a aumentar: no começo da temporada, a Lazio bateu a Juventus de Zidane e Del Piero na disputa da Supercopa da Itália: 2×1, na prorrogação. No Calcio, um vice-campeonato, um ponto atrás do Milan. Mas após eliminar Lausanne, Partizan, Panionios, Lokomotiv Moscow e Mallorca, a equipe conquistava o título da Cup Winner’s Cup, o primeiro título continental conquistado por uma equipe de Roma.

No começo da temporada seguinte, a 99/00, a Lazio bateu o Manchester United na Supercopa Européia, mostrando cada vez mais força. Na pré-temporada, Vieri rumou para a Internazionale, por divergências com Sergio Cragnotti. Com o dinheiro arrecado com a transferência do centroavante para a Internazionale, a Lazio contratou Simeone, Simone Inzaghi e Verón.

Com a base de jogadores que já tinha e com esses reforços, a Lazio chegou às quartas de final da Champions League, mas caiu após uma goleada sofrida pelo Valencia (5×2) no jogo de ida (a Lazio venceu a volta por 1×0). No Calcio, o grande momento da temporada e da equipe nos últimos 20 anos: com um gol de Simone Inzaghi, um de Verón e outro de Simeone (curiosamente os contratados para a temporada), a Lazio bateu o Reggina e levantou o Scudetto, título que não conquistava desde 1974. A equipe ainda conquistou a Copa da Itália, contra a Internazionale. A equipe sofreu apenas quatro derrotas na competição, nenhuma dentro de casa.

No começo da temporada 2000/2001, a Lazio bateu a Internazionale num jogo histórico, um 4×3 que prendeu a atenção dos torcedores até o último minuto. Seria o último título de Sven-Goran Eriksson no comando da equipe, pois o treinador deixaria o clube para assumir o lugar de Kevin Keegan na seleção inglesa, pois o time inglês havia caído na fase de grupos da Euro 2000. A Lazio ainda trouxe reforços do nível de Crespo e Claudio Lopez, mas terminou apenas em terceiro no Calcio e caiu na segunda fase da Champions League.

No fim dessa temporada, a equipe perdeu Nedved, Salas (vendidos para a Juventus) e Verón (vendido ao Manchester United). Em 2001/2002, a equipe terminou apenas em sexto no Calcio e caiu na fase de grupos da Champions. As saídas de Nesta e Crespo para os rivais de Milão (Milan e Internazionale, respectivamente) decretaram o fim de uma era de ouro no time da capital.

Time base: Marchegiani, Negro, Nesta, Mihajlovic, Pancaro; Almeyda (Simeone), Verón, Nedved, Stankovic; Roberto Mancini, Salas (Simone Inzaghi).

Outros jogadores importantes no período: Favalli, Sergio Conceição, De La Peña, Fernando Couto, Poborsky, Vieri

Alguns números do período entre 98/2000:

Jogos disputados pela Serie A: 102 jogos, 19 derrotas, 26 empates, 55 vitórias. 182 gols pró, 94 gols contra.
Salas foi o artilheiro do período com 40 gols (27 na Serie A, 5 na Copa Itália, 8 em competições europeias). O chileno ainda marcaria mais 8 na temporada 01/02, antes de rumar para a Juventus.

Títulos:

Copa Italia: 98 e 2000
Supercopa da Itália: 98 e 2000
Serie A: 1999/2000
UEFA Cup Winner’s Cup: 1999
Supercopa Européia: 1999

Comentários

33 anos, morador do Rio de Janeiro. Rubro Negro de coração, apaixonado pelo Maracanã, tem no Barcelona o exemplo de clube para o que entende como futebol perfeito, dentro e fora do campo. Estudioso da memória do futebol, tem nessa sua área de maior atuação no site, para preservar a memória do esporte. Dedica especial atenção aos times mais alternativos, equipes que tiveram grandes feitos, mas que não são tão lembradas quanto as maiores do mundo. Curte também futebol do centro e do leste da Europa, com uma coluna semanal dedicada ao assunto. Um Doente muito antes de fazer parte desse manicômio, sua primeira memória acadêmica é uma redação sobre o Zico, na qual tirou 10 e a mesma foi para o mural da escola. Nunca trabalhou com futebol dessa forma, mas adora o que faz junto com o restante do pessoal e se pergunta o porquê de não ter começado com isso antes. Espera recuperar o ''tempo perdido''. Acha Lionel Messi o melhor que viu jogar e tem em Zico, Petkovic e Ronaldo Angelim como heróis.