Alf Ramsey, “Sir Alfred”

  • por Lucas Amaral Nunes
  • 6 Anos atrás

Por Lucas Amaral Nunes

 

“Alf esteve no Brasil. Jogava pela seleção inglesa que perdeu para os Estados Unidos, uma das maiores zebras de todas as Copas do Mundo. Aquilo mexeu com ele. Deu início à sua trajetória.” Em 1999, os torcedores ingleses, essencialmente os dos Spurs, foram desabençoados com a perda de um membro da galeria histórica do clube. Condecorado em 1967, Sir Alfred Ramsey Ernest – Alf Ramsey – de fato, é um dos homens mais talentosos a conduzir onze homens em um retângulo gramado.

Seu trajeto vencedor começou em 1951, já aos 31 anos, quando, atuando como lateral-esquerdo, venceu o Campeonato Inglês pelo Tottenham, um ano após vencer a 2ª Divisão. Mas sua grande paixão, sem dúvidas, e ao contrário da maioria dos jogadores, era pela estratégia e a tática que eram empregadas no interior das quatro linhas. Alf sempre privilegiou a organização e equilíbrio treinados e dispostos detalhadamente pelo homem à beira do campo.

Predestinado, pegou a tarja de capitão do time em que atuava, e como se não bastasse, vestiu a braçadeira de capitão da Inglaterra durante boa parte da década. Ali sua liderança já era visível. Apelidado de “O General”, devido à sua postura influente dentro de campo, era um defensor exímio, além de possuir magistral habilidade de bater faltas.

Aposentou-se em 1955, quando passou a dirigir o modesto Ipswich, da 3ª Divisão Inglesa. Em sua terceira temporada como treinador, o clube subiu para a elite do futebol inglês. Apesar de muitos jornalistas e especialistas o considerarem um gênio estrategista, à frente de seu tempo, a maioria julgava que o time não possuía potencial para permanecer na 1ª Divisão além daquele ano. Ledo engano. O Ipswich foi campeão da Premier League, mantendo um altíssimo padrão tático, consagrando o revolucionário e astuto Alf Ramsey. Isso mesmo, com um time sem grandes jogadores, Alf levou, em 4 anos, um time da 3ª Divisão ao título do principal torneio do país.

Essa história já seria sinônimo de vitória caso aqui se encerrasse. E seria tema de filme. Mas Alf não parou por ai. Em 1962, assumiu a seleção inglesa, para a qual convocou três de seus jogadores do Ipswich e discursava garantindo que seria Campeão do Mundo em 1966. E assim o fez, em uma época em que o desempenho inglês em Copas era altamente contestado. Alf assumiu total controle da equipe, extraindo de cada um de seus jogadores o máximo de equilíbrio, disposição tática e obediência rigorosa ao padrão de jogo.

Naquela época, já utilizava meias defensivos e fazia com que seus pontas recuassem, auxiliando a marcação. Em contradição com os padrões da época, investiu nas jogadas pelo meio do campo, dando assim aos seus atletas de meio-campo a tarefa de também defenderem. Um homem genial, com postura de líder e inteligência inigualáveis.

Em 2000, uma estátua em sua homenagem foi construída na esquina da rua que também leva o seu nome, próxima ao estádio do Ipswich. Fica aqui, na DpF, uma homenagem singela ao maior treinador de todos os tempo.

Sir Alfred Ernest
★ 1920 † 1999

Títulos

Como jogador:

Campeonato Inglês
Campeonato Inglês

Como treinador:

3ª Divisão Campeonato Inglês
2ª Divisão Campeonato Inglês
1ª Divisão Campeonato Inglês
Copa do Mundo 1966

Comentários

Lucas é jornalista desde 2011, mas o fanatismo pelo futebol o acompanha desde o berço. Aficionado por história, jogadores antigos e contemporâneos e causos e contos sobre o mais famoso esporte bretão. Participou de sites como o cruzeiro.org e o fanáticos por futebol. Atualmente atua como editor do futebol mineiro na Doentes por Futebol, onde também é o responsável pela coluna “Lendas do Futebol”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.