O Eterno 10 da Juve

  • por Victor Gandra Quintas
  • 8 Anos atrás

Foto: Reprodução – Del Piero, ídolo da Juventus da Itália

“Você é o meu último presente para a torcida da Juventus”, dizia Giampiero Boniperti, então presidente do clube, a Alessandro Del Piero. O ano era 1993. No clube, estavam Gianluca Vialli, Antonio Conti e Roberto Baggio. Porém mesmo assim o presidente já previa que aquele jovem de 19 anos viria a ser o maior jogador do maior clube da Itália.

Nascido em Conegliano, uma pequenina cidade no norte da Itália, Alex Del Piero completa hoje 38 anos. Iniciou a carreira no pequeno Padova, permanecendo por lá duas temporadas e participando de 14 jogos na Serie B italiana. Por sua boa fase, era inevitável que os grandes clubes se interessassem por seu futebol, e foi assim que a Juventus acertou a sua contratação.

Desembarcou em Turim e ali se fixaria por quase duas décadas, contabilizando 705 partidas com a camisa Bianconera e 289 gols, sendo o maior artilheiro da história do clube. Ganhou inúmeros títulos, dentre os principais, 6 italianos, uma Liga do Campeões da Europa e uma Copa Intercontinental.

Em 1994, com a lesão de Roberto Baggio, a troca de treinadores (saiu Giovanni Trapattoni para a entrada de Marcello Lippi) e a consequente mudança do esquema de jogo, Del Piero pôde finalmente deslanchar para o futebol. Tinha apenas 20 anos, mas atuou em 29 jogos naquela temporada e se consolidava finalmente como titular. Jogador versátil, podendo atuar pelos lados do campo, como armador, ou até mesmo mais avançado, viveu bons anos acompanhado de Zinedine Zidane e Filippo Inzaghi, e em seguida com Pavel Nedved e David Trezeguet. Capaz de arremates de longa distancia com tanta eficácia quanto seus passes milimétricos para os companheiros. Sua comemoração de gol, correndo de punhos cerrados com a língua para fora, tornou-se sua marca para a torcida italiana.

Um fato marcante na carreira deste jogador foi na Liga dos campeões de 2008-09. Com dois gols em jogo decisivo contra o Real Madrid, no Santiago Bernabéu, foi aplaudido de pé pela torcida local, feito que aconteceu apenas com Diego Maradona e Ronaldinho Gaúcho (youtube.com/watch?v=FcJE3h1he6k).

Fato é que Del Piero não é essa referência para o time de Turim somente pelos títulos, mas também pelo seu amor pelo clube que transcende as dificuldades. No episódio do calciocaos, o escândalo de manipulação de resultados que culminou na perda dos títulos italianos para a Juventus e o consequente rebaixamento para a Serie B, foi o primeiro jogador a declarar que não sairia do time, e que enfrentaria o calvário juntamente com seus tifosi.

Pela seleção, fez parte do grupo campeão da Copa do Mundo de 2006, participando de 5 jogos, inclusive convertendo o quarto pênalti que daria o tetracampeonato à Esquadra Azzurra. Disputou ainda mais duas copas (1998 e 2002), e 4 Eurocopas (1996, 2000, 2004 e 2008). No total, foram 91 jogos e 27 gols pela seleção nacional. É considerado por muitos melhor que seu contemporâneo Francesco Totti, jogador com o qual conviveu durante seu período vestindo a camisa azul.

Então, no dia 20 de maio de 2012, a torcida da Juventus se despediu de sua referência. Alessandro não renovaria seu contrato e, naquela final da Copa Itália, a derrota para o Napoli pouco preocupou a torcida em comparação com o adeus de seu ídolo. “Estou feliz que você sorriu, aplaudiu, cantou, gritou para mim. Nenhuma cor será mais brilhante para mim do que o preto e branco. Você fez o meu sonho. Mais do que qualquer outra coisa, hoje eu só quero dizer obrigado”. (Del Piero para os torcedores da Juventus).

Ainda desejando continuar no futebol, Del Piero se transferiu para o FC Sydney, clube na Austrália, desejoso de se manter na função por mais dois anos, quando finalmente encerrará sua carreira de jogador e se tornará treinador. Teve proposta do Liverpool da Inglaterra, mas rejeitou graças à tragédia de Heysel, quando torcedores da Juventus morreram por ataques de Hooligans. Seria clichê dizer que as portas da Juventus estão abertas para seu maior ídolo, não importa a função que deseje exercer, na diretoria, na comissão técnica, mas é questão de tempo para poder vê-lo no clube novamente.

Sobre a qualidade do camisa 10, Maradona disse:
“Ele é diferente de Zinedine Zidane. Ele gosta de jogar, ele sente em sua alma. Entre ele e o francês, eu o escolho.”

Ficha

Data de nascimento: 09 de Novembro de 1974
Local de nascimento: Conegliano, Italy
Clubes: Padova, Juventus, Sydney (AUS)
Site oficial: alessandrodelpiero.com

Comentários

Natural de Belo Horizonte. Torcedor do Cruzeiro e da Juventus. Um Doente por Futebol. Desde pequeno um apreciador do esporte mais popular do mundo, preferindo mais em acompanhar do que jogar (principalmente por não ter talento algum com a bola).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.