Simplesmente La U

  • por Rogério Bibiano
  • 8 Anos atrás

Universidad de Chile. Década de 20.

Inicialmente fundada sob o nome de Club Deportivo Universitario, em 24 de maio de 1927 (há 85 anos), e posteriormente, em 1936, passando a chamar-se Club Deportivo Universidad de Chile, devido aos estudantes da Universidad Católica, que também eram associados do clube, se retirarem para formar seu próprio clube, o Club Deportivo Universidad Católica, La U passou a destacar-se no futebol chileno a partir da década de 60, quando formava a base da Seleção Chilena.

Após o apogeu técnico dos anos 60, o clube enfrentou um jejum de 25 anos sem conquistar o Campeonato Nacional e na medida que o jejum aumentava, aumentavam também os problemas financeiros, que culminaram com a queda do clube para a Segunda Divisão do futebol local, em 1989. Em 1990, o clube voltou à elite chilena e seguiu fazendo campanhas medianas até que, em 1994, o jejum foi encerrado por um time que contava com Marcelo Salas como grande destaque individual. A partir de então La U se consolidou novamente entre as principais forças do futebol chileno, sempre se colocando entre os primeiros colocados do futebol local. 

Marcelo Salas está entre os maiores jogadores da história de La U

No úlitmos anos, a equipe azul, vem se destacando internacionalmente, sendo o atual campeão da Copa Sul-Americana e tendo participação destacada na Copa Libertadores, reconhecido por jogar um futebol ofensivo e com ótima qualidade técnica.

Na Copa Sul-Americana de 2012, a Univesidad de Chile, na condição de detentora do título, estreou já nas oitavas-de-final da competição; em Santiago, um empate em 2 x 2, ante os equatorianos do Emelec, e na semana passada, em Guayaquil, uma vitória com contornos dramáticos, 1 x 0, com grande atuação do goleiro reserva, Paulo Garcés, classificando a equipe para as quartas-de-final.

A equipe do treinador argentino Jorge Sampaoli da Copa Sul-Americana perdeu peças importantes em relação às formações que que conquistaram a Copa Sul-Americana de 2011 e foram semifinalistas da Copa Libertadores da América de 2012. Porém, o traço inicial de jogo segue a mesma ordem destas formações anteriores. La U, quando atua em casa, joga num 3-4-3 clássico. Na defesa, os versáteis Osvaldo González e José Rojas, formam a espinha dorsal e contam com a companhia, de Igor Osorio, ou em alguns casos de Sebastián Martínez, que, embora zagueiro de origem, quando La U atua em casa, geralmente compõe o meio. À frente da zaga, a equipe atua com uma linha de quatro centro-campistas, que inclui o já citado Sebastián Martínez, encarregado de ficar mais na retaguarda, às vezes atuando nitidamente na sobra. O meio-campo conta ainda com o aporte primoroso de Charles Aránguiz, encarregado de organizar a saída de bola de La U. Pelas alas, com a missão de dar acelerar a saída de jogo, primordial ao jogo dos chilenos, estão Matías Rodriguez e Eugenio Mena, incasáveis e fundamentais para o esquema. No ataque, formando a terceira linha, estão o ótimo Gustavo Lorenzetti, aberto pela esquerda, o veloz Sebastián Ubilla, aberto pela direita, encarregados de municiarem Enzo Gutiérrez, artilheiro da equipe na competição com dois gols e autor do gol decisivo em Guayaquil. 

Universidad de Chile. Temporada 2011.

Fora de casa, La U, joga mais atrás, num padrão de jogo nitidamente formatado para explorar o contra-ataque. Assim sendo, é comum observar os chilenos num 3-3-1-3, com a saída do zagueiro Igor Osorio para a entrada do “engache” Guillermo Marino, neste caso Sampaoli recua Sebastián Martínez para compor a linha de três zagueiros, fixa a segunda linha de três homens, mantendo Charles Aránguiz mais recuado e deixa Guillermo Marinocomo encarregado de ditar o ritmo de jogo da equipe, além de municiar a linha ofensiva.

A Doentes por Futebol apresentou a Universidad de Chile, ou simplesmente La U, forte equipe e candidata ao bicampeonato da Sul-Americana. Para você, torcedor, o São Paulo tem condições de passar por La U?

Comentários

Natural de Telêmaco Borba-PR e criado em meio à "boemia futebolística", com horas de papo sobre futebol, samba e cervejas na pauta. Influência do pai, que também adorava futebol, e da mãe, que sempre apoiou a iniciativa. Técnico em Eletrônica, formado desde 1999, e fanático por futebol, futsal, futebol de praia, society e todo esporte que tenha no futebol a sua essência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.