Zizinho, “Mestre Ziza”

  • por Lucas Amaral Nunes
  • 6 Anos atrás

Por Lucas Amaral Nunes

 

Nas palavras do célebre Nelson Rodrigues, “não há bola no mundo que seja indiferente a Zizinho”. Um dos maiores craques nascidos em solo brasileiro, Mestre Ziza foi um dos grandes ídolos de grandes torcidas do país, como Flamengo, Bangu e São Paulo, além, claro, de ser aclamado por admiradores do bom futebol.

Foi, em 1950, que se consagrou como o melhor jogador da Copa do Mundo. Torneio, aliás, no qual teve, injustamente, um gol de fantasia anulado, onde fintou magistralmente o zagueiro e finalizou com maestria. O time brasileiro, inconformado, foi às avessas reclamar ao árbitro, mas o camisa 10 permaneceu quieto. Poucos minutos depois, executou exatamente o mesmo lance, como uma vingativa repetição, desta vez validado.

Segundo relatos, Zizinho e seu bigode caricato eram garantia de espetáculo aos espectadores no estádio. “Eu lia Zizinho, todo domingo, no Maracanã”, um dia escrevera Armando Nogueira. Drible, potência no chute, exímio armador. A todas essas características, era possível citá-lo como exemplo.
Grande inspirador para as futuras gerações, é lembrado até hoje como um dos grandes craques a fazer história nos gramados de futebol, além de ser um dos grandes ídolos de um certo Pelé. Futebolisticamente, o termo “gênio” fora inventado para justificar sua postura em campo.

Ao Mestre Zizinho, falecido em 2002, que estaria hoje com 91 anos, os nossos sinceros agradecimentos por sua contribuição ao futebol nacional, uma referência aos amantes do esporte. Um salve àquele que era especialista no tratamento à pelota, como defendia em palavras o próprio: “A bola tem vida própra e gosta de ser bem tratada”.

Tomás Soares da Silva

★ 1921 † 2002

Títulos

Campeonato Carioca (4)

Campeonato Paulista

Copa América

Comentários

Lucas é jornalista desde 2011, mas o fanatismo pelo futebol o acompanha desde o berço. Aficionado por história, jogadores antigos e contemporâneos e causos e contos sobre o mais famoso esporte bretão. Participou de sites como o cruzeiro.org e o fanáticos por futebol. Atualmente atua como editor do futebol mineiro na Doentes por Futebol, onde também é o responsável pela coluna “Lendas do Futebol”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.