A decepção Zenit

  • por Tiago Lima Domingos
  • 8 Anos atrás

 

Grupo C: Milan, Zenit, Anderlecht e Málaga. A bolinha sorriu e o clube russo caiu num bom grupo, com ótimas chances de classificar-se como líder.

O Milan não era mais o mesmo, perdera Ibrahimovic, Cassano e Thiago Silva. Estava se reconstruindo e notadamente era um time mais fraco. O Málaga, embora tenha mantido boa parte da base que classificou-se de forma inédita à Champions, vivia grave crise financeira com salários atrasados e não teria Santi Cazorla (vendido ao Arsenal), jogador essencial ao esquema do clube espanhol. Portanto era uma incógnita total no grupo. Restava o Anderlecht, claramente o mais fraco dentre os clubes do grupo C. Na época do sorteio, em agosto, muita gente dava o Zenit como o favorito do grupo, o qual se classificaria sem grandes dificuldades.

Passado o sorteio, o clube russo numa cajadada só contratou, em Portugal, dois dos melhores jogadores da Liga Sagres: o brasileiro Hulk e o belga Axel Witsel, gastando nada menos do que cerca de € 100 milhões pelos dois jogadores. Percebia-se a importância dada pelo clube para a Liga dos Campeões. O favoritismo no grupo se alçou ainda mais. Mas foi a partir da chegada dos dois jogadores que a coisa começou a degringolar nos lados da Rússia. Igor Denisov, volante do clube declarou a um jornal local: “Eu entenderia se nós tivéssemos contratado Messi ou Iniesta, eles provavelmente merecem qualquer preço (…). Sim, contratamos alguns bons jogadores que irão claramente ajudar o Zenit. Mas eles realmente são tão melhores que os atuais líderes do time para ganhar três vezes mais?”. A partir daí, Denisov rachou o elenco do time russo, dividindo-o em grupos e colocando em xeque o sucesso da equipe. O jogador foi prontamente afastado. Diziam na época que muitos jogadores recusavam-se a falar com Hulk.

Melhor elenco da Rússia e base da seleção nacional, o Zenit hoje é terceiro colocado no campeonato local. Na Liga dos Campeões, porém, a decepção foi ainda maior. Na estreia do grupo, um passeio na Espanha. Málaga 3×0. Na sequência, vinha o Milan em casa. Nova derrota, dessa vez por 3×2. Decorridas cinco das seis rodadas do grupo, o Zenit está eliminado. Não tem mais chance de avançar às oitavas da competição e briga com o Anderlecht pelo prêmio de consolação: a vaga na Liga Europa.

Hoje, Denisov já está reintegrado ao elenco. “Eu errei nessa situação, fui guiado por minhas emoções, e no final falhei em ajudar meus companheiros”, disse o atleta. Tarde demais? Talvez se lá atrás não houvesse ocorrido à crise no vestiário, o Zenit poderia estar vivendo um momento muito melhor, pois tem time e elenco pra jogar e fazer mais do que fez até aqui. Desde a resolução do problema, o Zenit conseguiu melhores resultados, principalmente no campeonato nacional.

Coincidência ou não, junto ao Manchester City, outro clube milionário, o Zenit é grande decepção da fase de grupos da Liga dos Campões. E abre caminho para discussões. Pois saber contornar um vestiário com ciúmes e muito dinheiro em jogo não é uma tarefa tão fácil de executar. Luciano Spaletti, treinador do clube, não conseguiu e agora o clube colhe os frutos. Amargos, porém.

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.