CLÁSSICOS DPF – Finais do Brasileiro de 2001

  • por Bráulio Silva
  • 7 Anos atrás

Neste sábado, São Caetano e Atlético-PR se enfrentaram num jogo decisivo, válido pela 34ª rodada da Série B.

O São Caetano, que atuava em casa, dependia apenas da vitória para retornar ao G-4 e tirar o CAP da zona de classificação para a Série A. Já os paranaenses – que ocupavam a quarta posição – com a vitória por 3×1 deram um passo gigantesco em busca do acesso.

Com gols de Marcelo (2) e Marcão o Atlético se aproximou do retorno à Série A do Brasileirão. Já o São Caetano estacionou na quinta posição e agora vê um pouco mais distante o sonho de retornar a elite do Futebol Nacional.Mas calma aí. Jogo decisivo entre o Azulão e o Furacão? Já vimos esse filme anteriormente. E foi na final da Primeira Divisão!

No ano de 2001, o São Caetano estava se consolidando como um dos grandes do futebol brasileiro. Após o confuso regulamento da João Havelange no ano anterior, o time do ABC fez boa campanha na Libertadores de 2001. Na primeira fase do brasileirão terminou na liderança. Com uma campanha avassaladora. Em 27 jogos, o Azulão conquistou 18 vitórias, 5 empates e apenas 4 derrotas.

Já o Furacão tinha como amuleto a Arena da Baixada. Dos treze jogos em casa na primeira fase, o time conquistou dez vitórias e três empates. Graças principalmente ao desempenho como mandante, o time paranaense acabou na segunda posição a primeira fase.

No mata-mata, em apenas um jogo os times de melhor campanha jogavam em casa. O São Caetano recebeu o Bahia e segurou o empate em 0x0. Já o Atlético-PR recebeu o São Paulo e venceu por 2×1.

Nas semi-finais, o Furacão passou pelo Fluminense num jogaço, comandados por Alex Mineiro, que marcou todos os gols da vitória por 3×2. Já o São Caetano sofreu pra bater o Atlético-MG, de virada numa partida polêmica, por conta das condições do gramado e de um pênalti não marcado a favor do Galo.

Enfim a final. Dois times que tinham pouca tradição, mas que fizeram um campeonato perto do perfeito. E uma final eletrizante!

1º jogo – Jogando em casa o Atlético queria fazer valer o mando de campo. E logo no começo, abriu o placar com Ilan. O Azulão não se intimidou e começou a dominar a partida. O empate veio numa cobrança de falta com Mancini. A virada poderia sair ainda no primeiro tempo, mas as finalizações pararam em Flávio.

No começo do segundo tempo após nova falta cobrada por Mancini a bola sobrou pro volante Marcos Paulo que colocou os visitantes em vantagem. Mas aí brilhou novamente a estrela de Alex Mineiro. O atacante fez três gols em 30 minutos. O que garantiu a vitória dos paranaenses por 4×2 e uma ótima vantagem pro jogo de volta.

2º jogo – O São Caetano precisava vencer por dois gols de diferença e partiu com tudo para o ataque. Mas o time de Geninho se segurou como pôde. As melhores chances do Azulão eram em chutes de fora da área. Num destes chutes, o meia Bechara acertou o travessão.

No segundo tempo, Alex Mineiro – sempre ele – aproveitou rebote do goleiro e empurrou para as redes. Foi o 17º gol dele no campeonato, o oitavo em quatro jogos da fase final.

Com isso o Atlético-PR enfim conquistou sua estrela dourada. Ao São Caetano restou comemorar uma vaga na Libertadores do ano seguinte, quando eles chegaram ao vice-campeonato.

Agora os times se encontram novamente. Ambos querendo retomar o auge de 11 anos atrás. Quem vai levar a melhor no jogo de logo mais? Qual dos dois times retornará à 1ª Divisão?

Comentários

Paulistano, casado e com 33 anos. Apaixonado por futebol e pelo São Paulo FC. De memória privilegiada, adora relatar e debater fatos futebolísticos de outrora. Ex-estudante de jornalismo, hoje gerencia uma drogaria no município de Barueri, além de escrever para a Doentes por Futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.