De Dortmund para o Mundo

  • por Gregor Vasconcelos
  • 7 Anos atrás

Por Gregor Vasconcelos e Mauricio Fernando.

A atual geração alemã vem encantando amantes do futebol no mundo inteiro. O trabalho de base feito na Alemanha após o fracasso da Euro 2004 vem, aos poucos, colhendo seus resultados. Jogadores diferentes do estereótipo alemão vêm surgindo e encantando o mundo da bola. Para coroar essa magnifica geração, ainda falta um título.

As suas esperanças para 2014, estão nos ombros de dois jogadores. Dois meninos de Dortmund que vêm encantando a Europa com suas exibições na Champions League.Marco Reus voltou ao seu clube do coração nessa temporada, depois de jogar nas divisões de base do Dortmund até 2006. Vindo de uma classificação histórica com o modesto Mönchengladbach à Champions League e reconhecido como melhor jogador da Bundesliga pela revista Kicker e pela associação de jornalistas da Alemanha na temporada passada, Reus demorou pouco a se adaptar na sua volta para casa. Os nove gols e quatro assistências em 17 jogos até o momento na atual temporada são números impressionantes, mas mais impressionantes ainda são a qualidade dos gols marcados. Seu primeiro gol pelo Dortmund, uma excelente cobrança de falta em amistoso contra o Werder Bremem, ditou bem o tom de como seria a temporada de Reus. Seu gol de falta contra Augsburg foi magistral, a finalização contra seu ex-clube uma pintura. Não bastasse apenas fazer gols bonitos, Reus também criou o hábito de marcar gols importantes, abrindo o placar nas visitas do Dortmund ao Santiago Bernabéu e ao City of Manchester Stadium. A frieza do jovem alemão é assustadora, raríssimas vezes o vemos perder um gol.Se Reus é o meia-atacante letal do Dortmund, pode-se dizer que a equipe não funcionaria sem a presença do cerebral Mario Götze na armação das jogadas.
Götze (que completou 20 anos em Junho) foi peça fundamental na conquista da Bundesliga 2010/2011, quando na sua primeira temporada como profissional, foi votado como o 4º melhor jogador da competição. Desde então, Götze vem recebendo o reconhecimento merecido. Sua estreia na Seleção Alemã deslumbrou seus adversários brasileiros, que foram humilhados por um garoto com apenas 19 anos de idade. Depois de uma temporada 2011/2012 recheada de contusões, tendo jogado apenas 25 jogos (ainda assim marcando sete gols e dando oito assistências), Götze pouco jogou na Euro, o que parece ter motivado o jogador a voltar com ainda mais força para essa temporada. Em 20 jogos, já são sete gols e seis assistências e atuações dignas de aplauso, como contra o City e o Real fora de casa. O meia impressiona não só pela sua qualidade técnica, mas também por sua vontade dentro de campo. É um jogador que quer estar envolvido na partida a todo momento, cumpre sua função de marcação e ainda pode jogar em qualquer posição no meio-campo ofensivo mantendo uma qualidade altíssima.

Com essa dupla em campo, é impossível duvidar do Dortmund. Muitos não acreditaram que a equipe passaria de fase depois do sorteio dos grupos da Champions League, que colocou o Dortmund no mesmo grupo de Real Madrid, Manchester City e Ajax. Agora, a uma rodada do fim da fase de grupos, o Dortmund já se encontra classificado e com o primeiro lugar garantido.

Comparar a vitória suada por 1×0 contra o Ajax no primeiro jogo e a partida que deu a classificação ontem a noite em Amsterdam dá um bom parâmetro da evolução dessa equipe em um período tão curto de tempo. Antes da estreia, o BVB sofria com as desconfianças. Kagawa, o melhor jogador da equipe na última temporada foi para o Manchester United, o começo na Bundesliga era irregular e, principalmente, muitos ainda se lembravam da participação pífia na Champions League passada.

O time foi a campo nervoso, jogou mal e sofreu para bater o Ajax, a equipe mais fraca do grupo. O gol salvador, veio aos 42 do segundo tempo com Lewandowski. Os céticos acreditavam que o gol não significaria muita coisa, mas ele parece ter tirado o peso do mundo das costas do Dortmund.

Ontem à noite, sob a batuta da dupla de ouro, o Dortmund não tomou conhecimento do mesmo Ajax, mesmo jogando fora de casa. Reus abriu o placar logo aos 8 minutos, após bom passe de Götze, que ampliou a vantagem com um belo gol aos 35 minutos. Ainda no primeiro tempo, Lewandowski pegou a sobra de chute de Götze para marcar o terceiro. O pequenino alemão participou de novo do 4º gol, quando lançou Lewandowski na área e o atacante polonês empurrou para o fundo do gol. O Ajax ainda conseguiu um gol de honra, mas a noite era do Dortmund.

Entre isso tudo, o Dortmund passou por muito. Os céticos diriam que seriam humilhados em Manchester e Madrid, nas duas partidas o empate acabou sendo lucro para os donos da casa. Mas, se há um jogo que simboliza bem o que esse Dortmund de Jürgen Klopp tem sido nas últimas temporadas, este é o confronto com o Real em casa. Uma vitória improvável, não só da qualidade, mas também da entrega.

O Dortmund é um time que gosta de desafios e contando com uma das duplas mais simpáticas e letais do futebol mundial promete demais para o restante dessa Champions League. Os adversários que se cuidem.

Comentários

Torcedor fanatico do Arsenal e do Flamengo, Gregor é fã de longa data da Premier League, acompanhando a liga avidamente há 10 temporadas. Formado em linguística inglesa pela universidade King's College em Londres, agora faz mestrado em linguistica e literatura na universidade de Zurich. Colunista da extinta revista "Doentes por Futebol", hoje é o editor de futebol inglês no site.