Ipatinga e o fim

  • por Alexandre Reis
  • 8 Anos atrás

 

Criado no início de 1998 pelo empresário e ex-jogador de Atlético-MG e Cruzeiro, Itair Machado, o projeto Ipatinga Futebol Clube parece mesmo ter se encerrado. Profissionalizado em 21 de maio de 1998 com o nome de Novo Cruzeiro Futebol Clube, clube amador do bairro Novo Cruzeiro em Ipatinga, o time do vale do aço terá nova casa e nome em 2013. Sem apoio da prefeitura e com salários atrasados, o Ipatinga oficializou o pedido para mudar para Betim, região metropolitana de Belo Horizonte. O protocolo foi dirigido à FMF (Federação Mineira de Futebol), onde o pedido será analisado e encaminhado à CBF, que julgará a solicitação. Se aprovado, o novo clube passará a se chamar Betim Esporte Clube a partir de 2013. A mudança poderá ser oficializada pelo presidente do Ipatinga no próximo dia 24.

A exemplo do extinto Ituiutaba e atual Boa Esporte, que fez a alteração do nome no início da Série B do Brasileirão, o Ipatinga, caso não consiga alterar o nome antes do Estadual, terá que esperar até o início da Série C. Outro empecilho para a alteração do nome é o fato de já existir outro Betim Esporte Clube. Para que a mudança se concretize, é necessário que o outro clube seja desfiliado da FMF. No que se refere à nova casa, o Capelão é o único estádio em Betim, com capacidade para 2 mil pessoas. A ideia é reformá-lo e usar a Arena do Jacaré como casa provisória.

O Ipatinga começou a ter reconhecimento nacional em 2005, quando venceu de forma surpreendente o Campeonato Mineiro sobre o Cruzeiro em pleno Mineirão. No primeiro jogo, no Vale do Aço, empate por 1-1. No segundo, vitória por 2-1. E por pouco não repetiu a façanha contra o mesmo Cruzeiro no ano seguinte. O time chegou novamente à final, empatando em 1-1 no Mineirão e perdendo em casa por 1 a 0.

Ainda em 2006, na Copa do Brasil, continuou mostrando seu crescimento. Classificou-se para as quartas e eliminou o Santos (campeão paulista em 2006) nos pênaltis. Chegou na semifinal, onde perdeu para o Flamengo, campeão da competição. Em 2007, após conquistar o vice-campeonato da série B, estreou na elite do futebol nacional.

Após 3 anos de sucesso, o Tigre foi do céu ao inferno. No Campeonato Mineiro de 2008, o Ipatinga era rebaixado para o módulo II após ser derrotado para o Villa Nova em casa por 3-2. No Brasileirão não foi diferente. Com duas rodadas de antecedência, o Ipatinga foi rebaixado à série B para nunca mais voltar. Em 2009, voltou ao módulo I do Campeonato Mineiro, mas fez campanha fraca na Série B, terminando em 15° lugar. A ida à final no estadual em 2010 contra o Atlético-MG (campeão na ocasião) não significou nada. O time foi rebaixado para a 3ª divisão nacional e no ano seguinte para o módulo II do Mineiro. Com boa campanha na série C do ano passado, retornou à série B. Nesse ano, após campanha pífia na segunda divisão, voltou à terceira divisão após perder para o Paraná por 2-0, na 36ª rodada.

Com nova casa e novo nome, o provável Betim Esporte Clube dará a volta por cima? Voltará a jogar de igual pra igual com os grandes da série A? Irá se configurar novamente na elite do futebol brasileiro? Opine.

Comentários

Estudante de Jornalismo, apaixonado por futebol. Seja a final da Copa do Mundo, as semifinais de uma Copa Rural, um jogo da Liga dos Campeões ou eliminatória da 4° divisão de algum campeonato amador do interior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.