Sepp Maier, “Anjo Irônico”

  • por Felippe Garcia
  • 6 Anos atrás

Por Lucas Amaral Nunes

Nos dias atuais Manuel Neuer é o guardião da meta alemã, considerado por muitos especialistas e fãs como um dos melhores goleiros da atualidade. Antes dele, Oliver Kahn exibiu-nos um semblante intrépido e plasticidade elástica, capazes de fazer oscilar até mesmo o mais letal dos atacantes. Porém, há ainda um precedente, não menos brilhante, cujo nome ecoa pelos túneis que nos levam aos confins do futebol. Seu nome e brado, vibrados por mais de uma geração alemã, Sepp Maier. O goleiro era também conhecido como o Anjo Irônico, tanto pelo bom humor que lhe era característico quanto pelas madeixas ruivas encaracoladas que lhe davam um aspecto peculiar.

O original Josef Dieter Maier, mais tarde Sepp, foi proferido por bocas de narradores, ouvido e entoado por orelhas e bocas de milhares de fãs por muitos anos. Em ordem de ocorrência, a adequação do nome foi a segunda mais importante em sua carreira. Antes, trocou de posição por influência do amigo de infância e vida Franz Beckenbauer. Seus primeiros passos e passes com a bola foram em outra extremidade do gramado, como centroavante. Ironicamente, um dos melhores goleiros da história se arriscava, sem muito sucesso, em finalizações e cabeceios que visavam atirar a bola ao fundo das redes, coisa que passaria o restante da vida tentando evitar. Aprendeu então a amar a bola e abraçá-la. E como aprendeu bem.A permuta no gramado fez com que chamasse a atenção de olheiros de vários clubes e, aos quinze anos, foi convidado pelas categorias de base do Bayern de Munique. Diferente da maioria dos jogadores, Maier não teve baixas na carreira, estando sempre entre os mais notórios profissionais por onde passara. Uma carreira sem parábolas, mas com curva ascendente.Ao lado de outros jogadores legendários, três anos após ingressar no clube de Munique, iniciava uma carreira gloriosa, da qual se aposentaria com oito títulos nacionais (quatro campeonatos e quatro copas), três Liga dos Campeões, uma Eurocopa e uma Copa do Mundo. À época, o arqueiro tinha três amigos de quem se orgulharia para o restante da vida: Beckenbauer, Gerd Müller e a bola. Esta última, sua companheira de dias e noites, como certa vez revelara. “Quando criança, eu dormia com a bola e não com um ursinho. Nossa relação era bela, sempre foi o meu amor. Foi presente de Natal e fazia com que eu me sentisse como um rei”. Há quem diga que o costume o acompanha até os dias atuais.A sua indistinta e apaixonante relação com a bola o fez ser colocado entre os cinco melhores goleiros de todos os tempos na eleição da FIFA, atrás apenas de Lev Yashin, Gordon Banks e Dino Zoff. E poucos ousaram discordar. Sepp Maier, o Anjo das Ironias, defensor de metas e amante do esporte, sem dúvidas é uma lenda do futebol.Josef Dieter Maier

★ 1944

Títulos

Campeonato Alemão (4)

Copa da Alemanha (4)

Recopa Europeia

Liga dos Campeões (3)

Eurocopa 1972

Copa do Mundo 1974

Comentários

Publicitário apaixonado por esporte. Fundador do projeto Doentes por Futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.