As 10 piores contratações do técnico Sir Alex Ferguson

fergie

Ninguém discute que Sir Alex Ferguson é um dos técnicos mais respeitáveis da Europa, mas ele também é humano. Apesar de ter acertado clinicamente em contratações como Cristiano Ronaldo, Cantona, Rooney, Van der Sar, entre outros, Fergie também já cometeu erros nessa área. Segue abaixo a lista dos 10 maiores “flops” da Era Ferguson no Manchester United.

 

Massimo Taibi

MassimoTaibi

Contratado em 1999 por £4,5M junto ao Venezia, o goleiro italiano era taxado como experiente, após passagens por diversos clubes da Bota, como o Milan. Na sua primeira partida, uma pedreira: clássico contra o Liverpool, maior rival do United. Taibi correspondeu às expectativas e fechou o gol na vitória dos Red Devils por 3 a 2. Foi eleito o melhor jogador da partida.

No entanto, o tempo mostrou que essa partida foi apenas atípica. Semanas depois, contra o Southampton, a defesa toda do United foi motivo de piada na Inglaterra, mas Taibi conseguiu ter o destaque. Engoliu um frangaço clássico em um chute não muito perigoso do bom meia Matt Le Tissier. A partida terminou empatada em 3 a 3.

Depois desse jogo, Taibi passou a perder lugar no time titular para os outros dois goleiros do United (Mark Bosnich e Raimond van der Gouw) e fez apenas 4 jogos. Em um desses, em dezembro de 1999, o Chelsea quebrou uma série invicta de 29 jogos do United, que vinha desde uma derrota por 3 a 1 contra o Middlesbrough, em outubro de 1998, e aplicou uma goleada humilhante de 5 a 0 no clube de Manchester. Taibi foi muito criticado, principalmente pelos três primeiros gols sofridos, todos defensáveis (pelo menos para um bom ou mediano goleiro).

Eric Djemba-Djemba

Eric-Djemba-Djemba

 

“Ele é tão bom que seu nome é falado duas vezes!” Essa foi a frase utilizada na apresentação do camaronês Djemba-Djemba. Contratado por £3,5M junto ao Nantes, da França, em 2003, Djemba-Djemba havia impressionado Ferguson com suas atuações no futebol francês e por sua seleção. A princípio, ele seria contratado para suprir a futura saída do ídolo e capitão Roy Keane. 

Bom, pelo menos no estilo viril e duro de marcação, ele quase chegou perto. Na sua estreia, em jogo pela Supercopa da Inglaterra contra o Arsenal, Djemba-Djemba literalmente deixou sua marca no zagueiro Sol Campbell. Tal entrada foi taxada como “obscena” pelo técnico Arsene Wenger.

O meia camaronês não conseguiu impressionar ninguém na Inglaterra. Após alguns jogos e uma imensa dificuldade em conseguir “domar” a bola, Djemba-Djemba foi vendido ao Aston Villa por £1,5M.

 Juan Sebastian Verón

veron


Depois de 5 anos brilhantes na Itália, Ferguson decidiu investir pesado. Pagou £28M para tirar Verón da Lazio, em julho de 2001. Na época, era a contratação mais cara já feita por um clube inglês. Porém, ele demorou muito para se adaptar ao estilo de jogo praticado na 
Inglaterra e não correspondeu. Para tentar defender sua compra mais cara, até então, Ferguson chegou a ofender alguns jornalistas, chamando-os de “idiotas” durante uma entrevista coletiva, em que muitos deles criticavam o fraco futebol apresentado pelo meia argentino.

Apesar de relativa melhora, Verón acabou sendo vendido ao Chelsea por £15M, em 2003. Onde também viria a “flopar”. O conceituado jornal The Times chegou a listar Verón como um dos 50 piores gastos de dinheiro já feito por clubes ingleses. 

Vale lembrar que na época de sua transferência para o Chelsea, Verón havia se tornado o jogador mais caro da história do futebol, tendo movimentado £77M em transferências. Esse valor mais tarde foi superado por Anelka e Cristiano Ronaldo.

 Kléberson

Kleberson



Depois de impressionar na final da Copa do Mundo de 2002 e por seu bom momento no Atlético Paranaense, Kléberson foi contratado pelo United em agosto de 2003 por £6,5M. Ferguson via o brasileiro como um substituto para Verón, que havia fracassado na Inglaterra. Porém, Kléberson se lesionou logo na sua segunda partida pelo United e sua carreira em Manchester afundou. Nunca conseguiu apresentar o mesmo futebol da época de Furacão e fez apenas 30 jogos em duas temporadas. Marcou 2 gols nesse período. Em agosto de 2005, o brasileiro foi vendido para o Besiktas por quase £3M.

 Ralph Milne

Ralph-Milne


Dois anos após assinar com o United, Ferguson contratou um inexpressivo meia escocês do pequeno Bristol City, chamado Ralph Milne, por £170.000. Muitos devem estar se perguntando: Por que um jogador de pouca fama e que custou tão pouco está nessa relação dos 10 maiores “flops” do United?

A resposta vem do próprio Fergie. Ao ser perguntado, em novembro de 2009, por alguns jornalistas qual havia sido sua pior contratação no United, o treinador não titubeou: “Minha pior contratação foi Ralph Milne. Custou apenas 170 mil, mas eu me condeno todos os dias por isso.” Não é para menos, Milne sempre é lembrado em “honrosas” listas dos torcedores do Manchester United quando o tema em questão é: monte seu time com os piores jogadores que já vestiram a camisa vermelha de Manchester.

Bebe

bebe


Quem? Essa certamente foi a expressão mais utilizada no dia 11 de agosto de 2010, data que foi anunciada a contratação do atacante português Bebe, ex-jogador do Vitória de Guimarães, pelo Manchester United por £7,4M (apesar de que muitas especulações, em Portugal, cravarem que o valor real foi £9M, divididos entre o empresário do jogador, o polêmico Jorge Mendes e o seu ex-clube. Até por essas várias controvérsias, em 13 de abril de 2012, a polícia portuguesa abriu uma investigação sobre essa transferência).

Nem sequer o técnico Alex Ferguson conhecia Bebe. O mesmo disse que só foi conhecê-lo um dia antes da sua apresentação. Você deve estar se perguntando: “mas então por que ele foi contratado?”. A resposta é simples: na época, Bebe foi uma indicação do técnico da seleção portuguesa, Carlos Queiroz, ex-assistente de Ferguson no United.

Após 7 jogos (tendo ficado apenas uma partida durante todos os 90 minutos em campo) e 2 gols, um na Copa da Liga e outro na Liga dos Campeões, Bebe acabou sendo emprestado para o Besiktas. Ferguson não dava sinais de que pretendia utilizá-lo novamente.

 Diego Forlán

Forlan_1

 Que Forlán foi um dos melhores atacantes que o mundo já viu durante sua passagem na Espanha, por Villarreal e Atletico de Madrid, e que foi merecidamente eleito como o melhor jogador da Copa do Mundo de 2010, ninguém discorda. No entanto, ele decepcionou na Inglaterra.


Contratado em 22 de janeiro de 2002 por £6,9M, Forlán demorou 8 meses (desde sua estreia contra o Bolton, no dia 29 de janeiro do mesmo ano, até a vitória do United de 5 a 2 sobre o Maccabi Haifa, pela Liga dos Campeões, em 18 de setembro de 2002) para marcar o seu primeiro gol. No total, foram 27 jogos sem balançar as redes nestes 8 meses.

Depois de quebrar esse jejum, Forlán fez alguns gols, inclusive dois contra o Liverpool para garantir uma vitória do United no clássico do dia 1 de dezembro de 2002. No entanto, suas atuações abaixo do esperado acabaram decepcionando Alex Ferguson. Após 98 jogos e 17 gols, Forlán acabou sendo vendido para o Villarreal em 30 de agosto de 2004.

 William Prunier

prunier


Após boas passagens na França por Auxerre, Bordeaux e Olympique de Marselha, o zagueiro francês Prunier recebeu de Alex Ferguson um período de testes no Manchester United, na temporada 95/96.

Coincidentemente, o United sofreu um duro golpe na defesa na mesma época da chegada de Prunier e perdeu três dos seus quatro zagueiros do elenco titular por motivos de lesão. Com isso, Prunier, que a princípio só faria jogos pelo time reserva durante seu período de testes, ganhou uma chance no elenco titular.

Sua primeira partida foi boa. Vitória do United por 2 a 1 sobre o QPR, com direito a um chute do francês na trave. No entanto, o pior ainda estava por vir. Na partida seguinte, contra o Tottenham, em Londres, Prunier foi um desastre. Não teve nenhuma falha clamorosa, mas cometeu quatro erros de posicionamento nos quatro gols do time da casa. Resultado final: Tottenham 4 x 1 Manchester United.
Mesmo com essas falhas, Ferguson ofereceu uma renovação de contrato ao defensor, mas ele recusou e transferiu-se para o Copenhagen na temporada seguinte.

Anos depois, em uma votação feita pelo jornal The Times, Prunier foi lembrado pelos torcedores do Manchester United como o sexto pior jogador da história do clube.

 Jordi Cruyff

Jordi-Cruyff

 Nome e parentesco de craque. Jordi é filho de Johann Cruyff, uma das maiores lendas do futebol mundial, mas a qualidade para jogar futebol não era hereditária na família Cruyff.


Contratado por £1,4M junto ao Barcelona, Jordi chegou ao United em 1996, em um período que o clube havia se estabelecido como um papa-títulos dentro da Inglaterra. Porém, as diversas lesões, demora na adaptação ao futebol da Terra da Rainha e a falta de qualidade não ajudaram o holandês a conseguir uma sequência no time titular de Ferguson. No total, foram 46 jogos e 8 gols em 4 temporadas nos Red Devills.

 Fabien Barthez

FABIEN-BARTHEZ

Com a saída de Peter Schemeichel, em 1999, Ferguson tentou apostar no goleiro australiano Mark Bosnich para ser o substituto do dinamarquês, mas não deu certo. 

Com isso, Barthez foi contratado por £7,8M, em 2000, junto ao Monaco. Na época, Barthez era considerado por muitos como o melhor goleiro do mundo (inclusive ganhou o Prêmio Yashin e foi eleito pela IFFHS como o melhor goleiro do mundo, ambos os prêmios recebidos no ano 2000). Na sua primeira temporada no United, o goleiro francês venceu a Premier League. Mas ficou marcado por ter ficado esperando a marcação de um impedimento, em jogo pela 4ª fase da Copa da Inglaterra contra o West Ham, do atacante Paolo Di Canio. Só que o lance não foi invalidado e Barthez sofreu o gol do polêmico italiano.
Além disso, Barthez cometeu outros erros na temporada 2000/2001. Entre eles, duas falhas em um jogo contra o Arsenal, que resultaram em dois gols de Thierry Henry. Na Liga dos Campeões, o goleiro levou a culpa pela derrota por 3 a 2, no Old Trafford, contra o Deportivo La Coruña.

Na temporada 2002/2003, Barthez caiu nas graças da torcida ao defender um chute do meia Dietmar Hamman, em um clássico contra o Liverpool. O jogo terminou com uma vitória do United sobre o seu maior rival por 2 a 1.

No entanto, Barthez viria a ser novamente criticado após uma vitória sobre o Real Madrid, na Liga dos Campeões, por 4 a 3 (no agregado, o United perdeu por 6 a 5 e foi eliminado). Muitos consideram que o primeiro gol de Ronaldo foi defensável.

Enfim, Ferguson acabou cedendo a pressão da torcida e da imprensa e colocou o francês no banco. Nas três últimas rodadas da Premier League daquela temporada, o titular do United foi Roy Carroll.
Em outubro de 2003, com a contratação do goleiro norte-americano Tim Howard, Barthez acabou retornando ao Olympique de Marselha, clube que defendeu entre 1992 e 1995, por empréstimo. Entretanto, Barthez só conseguiu jogar pela equipe francesa em janeiro de 2004, por problemas jurídicos com a FIFA, que bloqueou o empréstimo em outubro de 2003. Mais tarde, em abril de 2004, Barthez assinou por dois anos com o Olympique e pôs um fim na sua carreira na Inglaterra. No total, foram 139 partidas pelo United.

 

Colaboraram: Cleyton Santos, Thiago Menezes (ambos da equipe do site Doentes por Futebol) e Jorge Lima, escritor nos sites Championship Brasil e Old Trafford Brasil.

Comentários

Estudante de Redes de Computadores. Fanático por futebol, seja brasileiro ou europeu. Sua preferência, na Europa, é a Premier League.