Auckland City F.C.: a zebra da Oceania!

  • por Rogério Bibiano
  • 8 Anos atrás

A Doentes por Futebol apresenta a história, os aspectos táticos, os números e as principais curiosidades dos participantes do Mundial de Clubes FIFA 2012. O pontapé inicial desta série é com o Auckland City, da Nova Zelândia, campeão da temporada 2011/2012 da Liga dos Campeões da Oceania, garantindo assim o direito de representar o continente no Mundial.

Auckland City F.C. – equipe neozelandesa representa a Oceania no Mundial de Clubes 2012.
Foto: Auckland City F.C. Official Web Site


Fundado em 2004 num dos poucos países que não tem o futebol como seu principal esporte. A atividade futebolística na Nova Zelândia ainda é amadora, com a maioria dos jogadores de todos os clubes do país exercendo outra profissão para sobreviver. Apesar do pouco tempo de atividade, o Auckland City desenha uma belíssima história no futebol local e continental, do qual já foi quatro vezes campeão, tendo também a oportunidade de participar do seu quarto mundial, sendo a equipe com maior número de participações no torneio, à partir da “era FIFA” no comando organizacional da competição.

A equipe neozelandesa busca representar dignamente o futebol do país, sabendo que a cota de US$16.500,00 é extremamente importante para a saúde financeira do clube, aliado aos US$500 mil garantidos de cota, dinheiro este que o clube reparte com os demais clubes da Liga de futebol da Nova Zelândia (ASB Premiership, composta de oito clubes), o que de certa forma transforma os clubes num todo do país, nos principais clubes do continente.

O Auckland City venceu quatro das sete edições da ASB Premiership, disputada desde 2004, sendo a equipe com maior número de conquistas. Na temporada 2005/2006 a equipe conquistou seu primeiro campeonato continental, representando o continente no Mundial de Clubes de 2006. Teve saldo de duas derrotas, para Al Ahly-EGY (2×0) e Jeonbuk Hyundai Motors-KOR (3×0). A equipe voltou a ganhar a Liga dos Campeões da Oceania, na temporada 2008/2009, consequentemente representando o continente no Mundial de Clubes de 2009, disputado em Abu Dhabi-EAU. Desta vez, a equipe neozelandesa surpreendeu, vencendo o Al Ahli-EAU por 2×0; nas quartas-de-final, a equipe fez um bom jogo, porém, a pouca experiência refletiu num placar final, 3×0 para o Atlante-MEX, campeão da CONCACAF. Na disputa pelo quinto lugar, uma vitória na raça e determinação, ante o TP Mazembe-RDC, campeão africano, garantiu a inédita colocação, especialmente para um clube da Oceania. Na temporada 2010/2011, o clube conquistou a sua terceira Liga dos Campeões da Oceania, conquistando o direito de representar mais uma vez o continente no Mundial de Clubes de 2011. No Japão, a equipe não conseguiu reeditar a boa campanha de 2009, sendo derrotado na estreia, para o Kashiwa Reysol-JAP (2X0).

O Sistema de Jogo

O bicampeão da Oceania costuma atuar num 4-3-3. A equipe é treinada pelo espanhol Ramon Tribulietx, dentro do seu convencional esquema de jogo costuma se postar tendo duas linhas de três à frente da sua linha defensiva. Herança da principal influencia futebolística na Nova Zelândia, o futebol do Auckland City lembra em muitos momentos o padrão tático de anos passados das equipes inglesas, ou seja, muita marcação, bolas em profundidade e o gosto pelo jogo aéreo. Para o Mundial, no entanto, este esquema mais ousado deve dar lugar a um 4-4-2 bastante defensivo, variando muitas vezes para um 4-5-1, com o devido gosto pelo jogo aéreo. Esta mudança tática é explicada pela fragilidade da equipe, especialmente no aspecto técnico, compensada com muita dedicação tática e também com muita força física. O grupo que estará no Mundial é bastante experiente, contando com onze jogadores que estiveram presentes em 2011. 

A equipe deverá atuar da seguinte maneira:

  • Jacob Spoonley (#1) no gol, goleiro que vai para o seu terceiro Mundial.
  • Lateral-direita – James Prichett (#7).
  • Zaga – o capitão e experiente Ivan Vicelich (#15). Na quarta zaga, o espanhol Angel Berlanga (#5) briga por uma vaga com o japonês Takuya Iwata (#3).
  • Lateral esquerda – Simon Arms (#2).
  • No meio, formando a linha de quatro meias – Alex Feneridis (#13), jogando aberto pela direita e com a missão de fazer às vezes de ponta, chegando ao ataque.
  • Andrew Milne (#22), mais centralizado e quase fixo à frente da zaga, zagueiro de origem, mas que vem sendo escalado na posição nos últimos jogos.
  • Albert Riera (#16) – também mais centralizado e geralmente o homem da saída de bola.
  • O croata naturalizado neozelandês, Daniel Saric (#19) compondo o meio-campo e mais aberto pela esquerda, geralmente a saída de bola mais qualificada ao ataque.
  • No ataque, o espanhol Manel Exposito é o jogador encarregado de oferecer uma maior movimentação e consequentemente apresentar-se mais para a transição, jogador tático. Não é raro vê-lo recuado e ajudando efetivamente na marcação.
  • Completa o ataque, Adam Dickinson (#14), jogador que fica no esquema, mais preso, com a missão de segurar os zagueiros adversários.

O elenco do Auckland City, conta dez jogadores estrangeiros, sendo quatro espanhóis, um inglês, um argentino, um costarriquenho, um japonês, um galês e o papuásio David Browne (#21), de apenas dezesseis anos, o jogador mais jovem a participar do Mundial de Clubes. 

O Caminho para o Mundial

O Auckland City, jogou oito jogos, venceu seis, empatou um jogo e sofreu uma derrota; foram vinte gols a favor e nove gols contra. A campanha do Auckland City foi a seguinte:

29/10/2011 – Koloale-SOL 1X4 Auckland City – Lawson Tama/Honiara
19/11/2011 – Auckland City 2×0 Hekari United-PNG – Kiwitea Street/Auckland
18/01/2012 – Auckland City 3×2 Amicale-VAN – Kiwitea Street/Auckland
18/02/2012 – Auckland City 7×3 Koloale-SOL – Kiwitea Street/Auckland
03/03/2012 – Hekari United-PNG 1×1 Auckland City – PMRL/Port Moresby
31/03/2012 – Amicale-VAN 1X0 Auckland City – PVL/Por Villa

Finais

29/04/2012 – Auckland City 2×1 Tefana-POL – Kiwitea Street/Auckland
12/05/2012 – Tefana-POL 0X1 Auckland City – Louis Ganivet/Faaa

O Elenco para o Mundial

1. Jacob SPOONLEY (G)
2. Simon ARMS (D)
3. Takuya IWATA (D)
4. Riki van STEEDEN (D)
5. Angel BERLANGA (D)
6. Jason HICKS (M)
7. James PRITCHETT (D)
8. Chris BALE (M)
9. Manel EXPOSITO (A)
10. Luis CORRALES (A)
11. Daniel KOPRIVCIC (A)
12. Tamati WILLIAMS (G)
13. Alex FENERIDIS (M)
14. Adam DICKINSON (A)
15. Ivan VICELICH (D)
16. Albert RIERA (M)
17. Pedro GARCIA (M)
18. Liam ANDERSON (G)
19. Daniel SARIC (M)
20. Emiliano TADE (A)
21. David BROWNE (D)
22. Andrew MILNE

Comentários

Natural de Telêmaco Borba-PR e criado em meio à "boemia futebolística", com horas de papo sobre futebol, samba e cervejas na pauta. Influência do pai, que também adorava futebol, e da mãe, que sempre apoiou a iniciativa. Técnico em Eletrônica, formado desde 1999, e fanático por futebol, futsal, futebol de praia, society e todo esporte que tenha no futebol a sua essência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.