Equilíbrio absoluto em Portugal

  • por Levy Guimarães
  • 8 Anos atrás

James e Salvio, dois dos principais jogadores desta Liga Sagres

A edição 2012/2013 da Liga Sagres, o Campeonato Português, assiste, até o momento, a um cenário de plena igualdade entre Benfica e Porto na disputa pela liderança.

Com um terço do campeonato decorrido, os dois clubes mais tradicionais do país estão quase que completamente empatados na ponta: ambos possuem 26 pontos, com oito vitórias e dois empates. A única diferença está no número de gols marcados, 26 do Porto contra 25 do rival. Ambos sofreram apenas 6 gols e já abriram uma diferença de 9 pontos para o Braga, 3º colocado.

Além da campanha, os dois times tiveram em comum o desafio de lidar com a ausência de jogadores importantes negociados na última janela de transferências. Como as vendas ocorreram nos últimos dias da janela, não houve tempo hábil para trazer reforços que os substituíssem, obrigando as equipes a buscarem a solução dentro do próprio elenco. E fizeram isso com muita eficiência.

O Porto perdeu nada menos que o principal jogador do futebol português nas duas últimas temporadas, Hulk. Acreditava-se que o brasileiro faria muita falta em jogos mais cascudos, que o Dragão sentiria a ausência daquele craque que decidiria o jogo em um único lance. Mas não é o que vem acontecendo. O time não tem mais Hulk, mas agora tem um James Rodríguez mais maduro e em plena evolução, sendo hoje considerado uma das maiores promessas do futebol mundial. Tem ainda o compatriota de James, Jackson Martínez, que rapidamente se adaptou ao futebol português e é artilheiro da Liga Sagres, com 9 gols. Além dos dois colombianos, conta com um meio-de-campo bastante coeso, com o bom brasileiro Fernando na cabeça-de-área e outros dois pilares do time, Lucho Gonzalez e João Moutinho, responsáveis pelo bom toque de bola portista. A defesa, como na temporada passada, permanece segura, contando com outros três brasileiros entre os titulares (os laterais Danilo e Alex Sandro e o zagueiro Maicon). Há de se destacar, ainda, a boa fase do experiente goleiro Hélton.

Já o Benfica perdeu, ao apagar das luzes do período de transferências, a espinha dorsal de seu meio-campo, os volantes Javi García e Witsel. Além de fazerem a proteção da zaga, eram responsáveis pela saída de bola, além de serem armas importantes na bola aérea e nos chutes de fora da área. Para complicar ainda mais a situação, sobrava apenas um jogador da posição no elenco, o sérvio Matic, que fez uma temporada apenas mediana em 2011/2012. O técnico Jorge Jesus, em meio a tudo isso, fez uma aposta ousada. O argentino Enzo Pérez, que quase não havia jogado na última temporada e que, nas poucas vezes em que isso ocorria, atuava como um meia pelas pontas, era escolhido como o substituto de Witsel. Contrariando muitas expectativas, adaptou-se rapidamente à nova função, e vem formando, ao lado de Matic (que mostra crescimento nessa temporada), uma dupla que pode não ter a mesma qualidade da anterior, mas que vem dando conta do recado.

O time evoluiu em outros setores, principalmente devido a duas contratações cirúrgicas: o meia Salvio e o centroavante Lima, que deram mais velocidade e mobilidade ao setor ofensivo encarnado. Lima, agora companheiro de Cardozo no ataque, é o atacante oportunista e ao mesmo tempo ágil que o Benfica precisava, tendo se encaixado logo de cara na equipe e tendo marcado 6 gols no campeonato, um a menos que Cardozo. Salvio, ao lado de Gaitán, Aimar, Bruno César, Ola John e Nolito, é parte de um vasto leque de opções para o meio, tornando o setor de criação o ponto forte das Águias. Outra importante arma da equipe são os bons laterais Maxi Pereira e Melgarejo, que apoiam constantemente o ataque, chegando à linha de fundo e participando de muitos gols encarnados. A zaga, com o recente retorno de Luisão, que volta de uma suspensão de três meses, ganha um novo alento.

Um outro fator dá um tempero a mais a essa disputa: o clássico entre os dois rivais será na penúltima rodada (no Estádio da Luz no 1º turno e no Estádio do Dragão no 2º). Até lá, certamente disputarão o título ponto a ponto, no que promete ser um dos campeonatos mais equilibrados dos últimos anos.

Comentários

Estudante de Jornalismo e redator no Placar UOL Esporte, belo-horizontino, apaixonado por esportes e Doente por Futebol. Chega ao ponto de assistir a jogos dos campeonatos mais diversos e até de partidas bem antigas, de décadas atrás.