Manchester 2×1 Bayern, 1999

  • por Igor Leal da Fonseca
  • 7 Anos atrás

O jogo só termina quando o árbitro apita.

A afirmação é uma das mais antigas no futebol e uma das mais importantes no jogo. No Campeonato Brasileiro desse ano, por exemplo, foram marcados 906 gols. Desses, 202 foram marcados nos últimos 15 minutos de jogo. À título de comparação, tivemos 111 gols marcados nos primeiros 15 minutos de jogo. O Fluminense, campeão brasileiro, anotou 19 dos seus 61 gols no Brasileiro após os 30 minutos do segundo tempo.

Estatísticas de outros campeonatos nacionais apontam na mesma direção. A Premier League, por exemplo, é conhecida pelas inúmeras viradas e gols marcados depois dos 30 minutos do segundo tempo.

Você, aí do outro lado, deve estar se perguntando onde queremos chegar com essas informações. Chegaremos em um jogo histórico para o futebol mundial, disputado no dia 26 de Maio de 1999. Provavelmente você não sabe qual partida ocorreu nesse dia. Recordaremos aqui nesse espaço o jogo Manchester United 2×1 Bayern de Munique, final da Champions League 1998/99.

 

Cartaz da final da UCL 1998/99

 

A final da Champions League 1998/99 foi disputada no Camp Nou. Era o ano do centenário do Barcelona e a UEFA homenageou o clube catalão. Na época, o Barça vivia fase ruim em nível europeu e com o menor número de equipes na Champions, os chamados “grupos da morte” eram mais frequentes. O Barcelona caiu no grupo de Manchester United, Bayern e Brondby, e sucumbiu ainda na primeira fase.

 

O caminho das equipes até a final.

Nos confrontos entre Bayern e Manchester, muito equilíbrio. No primeiro jogo, empate em 2×2, com o gol de empate do Bayern saindo apenas no minuto 90 e de forma inusitada: Sheringham marcou contra. No jogo da volta, empate em 1×1.

Nas quartas de final, o Bayern bateu o Leverkusen, com 6×0 no agregado. O Manchester venceu a Internazionale por 2×0 no jogo de ida e perdia por 1×0 na volta, até Paul Scholes empatar aos 88 minutos de jogo.

Na semifinal, sobrou emoção na reta final dos jogos. No confronto Manchester United x Juventus, Conte abriu o placar para o time italiano. No lotado Old Trafford, o Manchester martelou em busca da vitória, mas só conseguiu o empate. O gol foi marcado por Giggs, aos 92 minutos de jogo.

No outro confronto, o surpreendente Dínamo de Kiev abriu 3×1 contra o Bayern, que chegou ao empate com gols aos 78 e 88 minutos de jogo. Nas partidas de volta, o Bayern venceu por 1×0 e garantiu a classificação.

Mas foi no jogo Juventus x Manchester United que o improvável deu as caras. Após abrir 2×0 antes dos 15 minutos do primeiro tempo, a Juventus viu o Manchester United empatar, com gols aos 24min (Keane) e 34min (Yorke). O resultado era favorável ao time inglês e a Juventus se lançou em busca do terceiro gol. Mas Andy Cole marcou aos 84 minutos de jogo e deu a vitória ao Manchester United. Mais uma vez o clube inglês decidia uma partida no fim do jogo. Mas o pior – ou melhor, depende da ótica – ainda estava por vir.

A grande final.

O Manchester United chegou à decisão cheio de problemas. Fergusson não poderia escalar Keane e Scholes, ambos fora por suspensão. Também tinha o desfalque do zagueiro Berg. Pelo lado alemão, os desfalques eram Lizarazu e Élber .

Logo aos 6 minutos de jogo, Basler abre o placar para o Bayern, cobrando falta. Sentindo falta de Scholes e Keane, o Manchester não criava perigo para o Bayern que, por sua vez, saía em algumas boas situações de contra-ataque, mas não conseguiu aumentar a vantagem.

No segundo tempo, o Bayern continuou tendo as melhores chances e com o controle do jogo, inclusive acertando uma bola na trave. A única grande chance do United foi uma cabeçada de Solskjaer, defendida por Kahn.

Os acréscimos.

Até que aconteceu o milagre. Ou como muitos dizem, a manifestação do pacto. Após uma jogada do Manchester pela esquerda do seu ataque, Effenberg cedeu um escanteio de forma desnecessária. O experiente jogador alemão estava sozinho e poderia ter afastado a bola para o lado tranquilamente, mas optou pelo corte para a linha de fundo e o preço foi alto: após bate e rebate após cobrança de Beckham, Giggs apanhou a sobra na entrada da área e emendou de direita. No meio do caminho, Sheringham tocou na bola e matou Kahn, empatando o jogo para o United. Festa na metade inglesa do estádio.

Na saída de bola do Bayern, o time tenta atacar, mas a bola é roubada e lançada na ponta esquerda para Solskjaer. O zagueiro Kuffour sai na marcação do norueguês, que tenta o cruzamento, conseguindo novo escanteio. Um apressado Beckham cobra, a bola é desviada no meio da área e Solskjaer toca para o fundo do gol. Era a virada do Manchester United, conquistada com 2 gols nos acréscimos, após o Bayern sair na frente com um gol antes dos 15 minutos.

E ainda há quem saia de estádio faltando alguns minutos para acabar o jogo.

Time do United recebe a taça.

 

O gol de Solskjaer.

O árbitro Pierluigi Collina consola Effenberg.

 

 

Comentários

33 anos, morador do Rio de Janeiro. Rubro Negro de coração, apaixonado pelo Maracanã, tem no Barcelona o exemplo de clube para o que entende como futebol perfeito, dentro e fora do campo. Estudioso da memória do futebol, tem nessa sua área de maior atuação no site, para preservar a memória do esporte. Dedica especial atenção aos times mais alternativos, equipes que tiveram grandes feitos, mas que não são tão lembradas quanto as maiores do mundo. Curte também futebol do centro e do leste da Europa, com uma coluna semanal dedicada ao assunto. Um Doente muito antes de fazer parte desse manicômio, sua primeira memória acadêmica é uma redação sobre o Zico, na qual tirou 10 e a mesma foi para o mural da escola. Nunca trabalhou com futebol dessa forma, mas adora o que faz junto com o restante do pessoal e se pergunta o porquê de não ter começado com isso antes. Espera recuperar o ''tempo perdido''. Acha Lionel Messi o melhor que viu jogar e tem em Zico, Petkovic e Ronaldo Angelim como heróis.