Mohamed Aboutrika: O Filósofo da África!

  • por Rogério Bibiano
  • 6 Anos atrás

Mohamed Aboutrika em ação pela Seleção Egípcia, contra o Brasil (de Gilberto Silva), na Copa das Confederações 2009. Meia-atacante que é um dos símbolos da história do Futebol Egípcio.
Foto: Reuters.

Mama África na área, seguindo em ritmo de Mundial de Clubes FIFA, para falar sobre um personagem exemplar, seja pela conduta, seja pelo futebol, seja pelo engajamento nas situações do seu povo. Ele é Mohamed Aboutrika.

Nascido no dia 07/11/1978, na cidade egipcia de Gizé, Aboutrika teve uma infância simples, como a maioria dos jogadores de futebol. Começou no Tersana-EGI, e com dezessete anos de idade foi incorporado ao elenco principal do clube. Na temporada 2000/01, marcou seis gols e formou com o sírio Mohannad Al-Boshi uma dupla de ataque que foi sensação daquela temporada. O futebol bem jogado no Tersana-EGI, levaram-no à Seleção Olímpica do Egito. Pelo clube, Aboutrika atuou também nas temporadas de 2001/02 e 2002/03.

Já reconhecidamente um dos maiores talentos do futebol nacional, Aboutrika era disputado pelos maiores clubes do país, e, na temporada 2003/04, disputou quatro jogos pelo Tersana (marcando três gols), antes de transferir-se para o Al-Ahly-EGI. Começava ali, uma das maiores e bem sucedidas parcerias entre um jogador e um clube, do futebol africano e quiçá até do futebol mundial. Nesta temporada, ele marcou onze gols em treze jogos pelo clube, conquistando a vice-artilharia da temporada e o respeito dos fanáticos torcedores do Al-Ahly.
Na temporada 2004/05, Aboutrika foi figura destacada na conquista da Liga do Egito, uma reconquista, após quatro temporadas sem um título. Para completar o bom ano de 2005, o atacante foi, juntamente com o Al-Ahly campeão da Liga dos Campeões da África. Porém, no Mundial de Clubes, a equipe não foi bem, o que, segundo o próprio Aboutrika, foi uma decepção grande face ao que aquele grupo poderia render.

A temporada de 2006 foi especial, talvez a melhor da carreira do jogador, a começar pela conquista da Copa Africana das Nações, disputada no próprio Egito. Posteriormente sagrou-se bicampeão da Liga Egípcia, sendo artilheiro da competição, com 18 gols e ao final do ano bicampeão da Liga dos Campeões da África, terminado como artilheiro do torneio com oito gols, sendo autor do gol decisivo na final contra o C.S. Sfaxien-TUN, aos 47 minutos do segundo tempo. No Mundial Interclubes FIFA, Mohamed Aboutrika, com três gols conquistou a artilharia da competição, sendo até hoje o único africano a conseguir tal feito, ajudando o clube do Cairo na conquista do terceiro lugar do torneio.

Em 2007, o atacante foi peça importante na terceira conquista seguida da Liga Egípcia pelo Al-Ahly e também do vice-campeonato da Liga dos Campeões da África (perdida para o Étoile Sportive du Sahel-TUN). Nesta temporada, Aboutrika foi eleito melhor jogador do Egito pela quarta vez, estabelecendo um novo recorde no país. Conquistou o título da Liga Nacional também nas temporadas 2007/08, 2008/09, 2009/10 e 2010/11, um recorde absoluto.

Pela seleção, Mohamed Aboutrika tornou-se um símbolo e após vencer a Copa Africana das Nações em 2006, foi novamente campeão com a Seleção em 2008, marcando quatro gols na conquista, incluindo o gol decisivo contra Camarões na final. Em 2009, na Copa das Confederações, ganhou destaque com excelente atuação contra o Brasil e contra a Itália. O bom desempenho no torneio, fez com que clubes da Itália e da Inglaterra, procurassem o Al-Ahly para tentar uma transferência, recusada posteriormente pelo próprio jogador, que alegou jogar futebol por prazer, não pelo dinheiro, afirmando que jogava pelos torcedores do Al-Ahly e do Egito.

Bacharel em Filosofia pela Universidade Nacional do Cairo, Mohamed Aboutrika sempre teve uma postura engajada frente às questões políticas da sociedade egípcia em especial, a ponto de haver anunciado a sua aposentadoria do futebol após o lamentável episódio que resultou na morte de 72 torcedores, no dia 01/02/2012 em Port Said, em jogo pelo campeonato nacional, que após este triste episódio foi cancelado. No dia 09/09/2012, Aboutrika recusou-se a entrar em campo em jogo válido pela final da Copa do Egito, por exigir justiça para as vitímas de Port Said, inclusive com fortes declarações contra os militares da Força Nacional de Segurança, que segundo apurações posteriores, iniciaram o tumultuo em Port Said, contra manifestantes do governo deposto do então presidente Hosni Mubarak. Tal atitude, causou a suspensão do atacante do Al-Ahly, revogada às vésperas da semifinal da Liga dos Campeões da África.

Além de ser um jogador atuante em relação aos problemas do seu país em diversos aspectos, Aboutrika tem projetos voltados para as crianças de Gaza, sendo porta-voz contra a violência que assola as crianças da Palestina. Este tipo de postura faz do jogador egípcio uma celebridade futebolística no chamado Mundo Árabe, especialmente pelo fato de que buscar demonstrar a importância do valor humanitário para seu povo, não fugindo aos seus ideais. Um exemplo a ser sempre lembrado pelo bem do futebol, e que por suas grandes atitudes está num patamar acima de muitos e sempre será lembrado e admirado.

Comentários

Natural de Telêmaco Borba-PR e criado em meio à "boemia futebolística", com horas de papo sobre futebol, samba e cervejas na pauta. Influência do pai, que também adorava futebol, e da mãe, que sempre apoiou a iniciativa. Técnico em Eletrônica, formado desde 1999, e fanático por futebol, futsal, futebol de praia, society e todo esporte que tenha no futebol a sua essência.