Monterrey: Esperança de surpresa mexicana

  • por Mauricio Fernando
  • 8 Anos atrás

A Doentes por Futebol vem apresentando os clubes participantes do Mundial de Clubes 2012 em um guia super especial para desvendar as equipes participantes em detalhes. Continuando a série, vamos falar do Monterrey, do México, campeão da Liga dos Campeões da Concacaf (Concachampions) 2011-12, o que garantiu a equipe o direito de representar as Américas do Norte e Central no Mundial.

Monterrey comemora a conquista da Concachampions 2012
Foto: Fifa.com

 

O Club de Fútbol Monterrey, ou Rayados de Monterrey, como também é conhecido, foi fundado em 1945, ascendeu a divisão principal na década de 1960, mas só veio a se consolidar como força do futebol mexicano e da Concacaf nos últimos dez anos. Das oito finais de campeonato mexicano disputadas pelo clube, seis foram após 2003.

Os Rayados conquistaram apenas quatro títulos nacionais ao todo, figurando apenas como a 8ª força do país em número de conquistas. A primeira conquista veio apenas em 1986, e a segunda só em 2003, ano em que conforme dito foi o ponto de partida para o crescimento do clube, que veio a conquistar os Aperturas de 2009 e 2010 posteriormente.

Já na Liga dos Campeões da Concacaf, competição dominada pelos países mexicanos – campeões das últimas sete edições – o Monterrey é o atual bicampeão. A conquista desta última temporada foi especialmente complicada, pois a equipe teve que passar pelas outras três equipes mexicanas nos mata-matas, e eliminou-as uma a uma: Monarcas Morélia nas quartas, Pumas nas semifinais e Santos Laguna nas finais. O Santos Laguna, que aliás, foi o grande rival do clube na temporada 2011/12, pois posteriormente eles se encontraram novamente nas finais do Clausura mexicano, vencido pelo Santos, que deu o troco.

A temporada 2012/13 porém, não começou tão bem para a equipe, que apesar de ter se classificado para as quartas de final de mais uma Liga dos Campeões, não teve um bom desempenho no Apertura mexicano, sendo eliminado nas quartas pelo Tijuana, terminando a competição na sétima posição, após uma fase inicial irregular. De bom, pode-se considerar o tempo que os Rayados tiveram para se preparar para o Mundial, já que a última partida, a de eliminação na liga mexicana aconteceu no dia 18 de novembro.

O Monterrey chega a seu segundo mundial para recuperar a imagem deixada no primeiro, ano passado, quando os mexicanos foram eliminados nas quartas de final pelo Kashiwa Reysol, campeão japonês, nos pênaltis, após empate por 1×1 no tempo normal. Muitos jogadores presentes neste vexame relataram esta como sendo uma das grandes frustrações da carreira. 19 dos 23 atletas inscritos estavam presentes no ano passado e tem a oportunidade de dar a volta por cima neste ano.

Como expectativa inicial, os Rayados reúnem boas condições de chegar as semifinais para enfrentar o Chelsea, onde ai sim, entrariam como azarões na disputa, com uma pequena possibilidade de surpreender.

O elenco é qualificado, equilibrado e tem experiência suficiente para não se deixar levar pela pressão. Jogadores como os argentinos Basanta, Delgado e Nery Cardoso, e o chileno Suazo possuem uma boa bagagem internacional e são fundamentais para que o Monterrey tenha um bom desempenho em uma competição de tamanha importância.

O treinador também é bastante experiente e competente. Trata-se de Víctor Manuel Vucetich, conhecido no México como “El Rey Midas” por seus excelentes trabalhos e conquistas. Para se ter uma ideia, em sua carreira como treinador, Vucetich em 13 finais, conquistou 12 títulos, entre eles 5 campeonatos mexicanos. No Monterrey, o técnico chegou em 2009, e desde então conquistou cinco títulos, sendo dois nacionais e duas Concachampions.

 O Sistema de jogo

O esquema tático do bicampeão da Concacaf que vem sendo utilizado é o 4-2-3-1, com Delgado e Suazo, atacantes de origem, atuando mais recuados, auxiliando o ótimo Nery Cardoso (ex-Boca Júniors) na armação das jogadas para Aldo De Nigris, o centroavante da equipe. Frequentemente, Suazo atua mais a frente, se aproveitando de seu poder de finalização. O chileno é o artilheiro e principal da equipe, que como um time mexicano que se preze, é bastante leve e tem bom toque de bola.

A defesa pode não ser um paredão, mas é entrosada por conta do tempo que os atletas que a formam, jogam juntos. Destaque para o jovem Mier, de 23 anos, campeão olímpico pela seleção mexicana.

Time base: Orozco, Severo Meza (Osório), Mier, Basanta, Darvin Chávez; Jesús Corona, Walter Ayovi, César Delgado, Nery Cardozo; Humberto Suazo e Aldo De Nigris.

O Caminho para o Mundial

 Em sua caminhada do título da Liga dos Campeões da Concacaf, o Monterrey jogou doze jogos, venceu seis, empatou um jogo e sofreu uma derrota; foram vinte gols a favor e nove gols contra.

A campanha do Monterrey foi a seguinte:

17/08/2011 – Herediano-CRC 0X5 Monterrey– Heredia

23/08/2011 – Monterrey 0x1 Seattle Sounders-EUA  –  Monterrey

14/09/2011 – Comunicaciones-GUA 1×0 Monterrey – Cidade de Guatemala

20/09/2011 – Monterrey 3×1 Comunicaciones-GUA – Monterrey

27/09/2011 – Monterrey 1×0 Herediano-CRC –  Monterrey

18/09/2011 – Seattle Sounders 1×2 Monterrey – Seattle

 

06/03/2012 – Monarcas Morelia 1×3 Monterrey – Morelia

13/03/2012 – Monterrey 4×1 Monarcas Morelia – Monterrey

 

28/03/2012 – Monterrey 3×0 Pumas –  Monterrey

04/04/2012 – Pumas 1×1 Monterrey – Cidade do México

 

18/04/2012 – Monterrey 2×0 Santos Laguna –  Monterrey

25/04/2012 – Santos Laguna 2×1 Monterrey – Torreón

Elenco

1. Jonathan OROZCO (G)

2. Severo MEZA (D)

3. Luis LOPEZ (D)

4. Ricardo OSORIO (D)

5. Darvin CHAVEZ (D)

6. Miguel MORALES (D)

7. Edgar SOLIS (M)

8. Gerardo MORENO (M)

9. Aldo DE NIGRIS (A)

10. Guillermo MADRIGAL (A)

11. Walter AYOVI (M)

12. Jesus DAUTT (G)

13. Abraham CARRENO (A)

14. Jesus CORONA (M)

15. Jose Maria BASANTA (D)

16. Cesar DELA PENA(M)

18. Neri CARDOZO (M)

19. Cesar DELGADO (A)

20. Oscar GARCIA (D)

21. Hiram MIER (D)

23. Juan de Dios IBARRA (G)

24. Sergio PEREZ (D)

26. Humberto SUAZO (A)

Comentários

21 anos, morador de Maringá-PR. Corintiano de coração, aprendi ainda a ser Liverpool, na Europa. Como Doente por Futebol, acompanho diariamente jogos, jogadores e tudo o que acontece acerca deste apaixonante esporte. Minha função por aqui será de analisar e informar tudo o que rola na América do Sul e no México. Responsável ainda pelas colunas "Craque DPF" e "Futebol na Mídia".